como ser youtuber

3 erros fatais que novos YouTubers “grandes” comentem

Influenciadores digitais, ao contrário do que muita gente pensa, não são pessoas perfeitas. Eles cometem erros, inclusive erros estratégicos dentro do negócio deles, como criadores de conteúdo. Às vezes, um canal cresce muito rápido, mais rápido do que imaginava seu apresentador. E com o crescimento do canal, surgem situações novas que nem sempre esse criador de conteúdo sabe lidar. No artigo de hoje, vamos te mostrar alguns pontos que acabam atrapalhando negociações, audiência e claro, o progresso de seus canais.

 

Vamos a eles então!

Não responder a comentários

Pode ser que antigamente, quando seu canal ainda não tinha tanta audiência, você respondia a todos os comentários de pessoas que viam seus vídeos, afinal, não eram tantos assim. Mas com o passar do tempo, seu canal foi ficando maior, mais visualizações e com isso, mais comentários. Pode ser que você até tenha tentado manter a linha de comunicação, respondendo ao máximo de comentários possível, mas depois de um tempo, já cansado, você simplesmente chegou a conclusão de que não é possível responder a todos os comentários. E aí você deixa de responder. Simples assim.

No entanto, por mais que possa ser cansativo passar muito tempo respondendo a comentários, você deve saber que isso é super importante para seu canal. Responder comentários causa mais engajamento do público, que vai ver que você se importa com o que eles dizem. Além disso, também vai ajudar a que seu canal tenha mais interação, o que contribui para um melhor posicionamento de um vídeo. No fim das contas, quanto mais comentários forem feitos em um vídeo, melhor vai ser.

Separe um dia ou dois para responder a comentários. Você pode agendar um horário definido, como uma hora por exemplo em determinado dia e horário, para responder a comentários. Faça isso sempre no mesmo dia e mesmo horário, para te ajudar a ter o costume.

Ignorar a maioria dos e-mails

Quando falamos em “ignorar e-mails” nos referimos a simplesmente esquecer que você tem conta de e-mail. É verdade que a quantidade de spam que todo mundo recebe é cada vez maior, mas mesmo assim, muita gente vai querer falar com você por e-mail.

Claro, você não deve responder a todos os e-mails que recebe. Mas vale a pena dar uma olhada em muitos deles. No meio da montanha de e-mails, estarão e-mails de seguidores do seu canal, que merecem uma atenção sua, porque se não fosse pela audiência deles, que muitas vezes, militam a seu favor e defendem o que você diz nos seus vídeos, você não teria um grande canal hoje. Então dê valor a esses e-mails. Muitas vezes tudo o que eles querem é um pouquinho de atenção, quem sabe dizer um “oi” como resposta seja algo incrível para eles.

Além disso, existe o lado comercial. Existem muitos influenciadores que chegam a ignorar e-mails de propostas comerciais! Por um lado, se entende que muitas das propostas são ruins e fora do interesse do influenciador, porém no meio das mensagens que não interessam, podem estar boas propostas.

Se você é influenciador digital e recebe muitos e-mails com “propostas comerciais” tenha o trabalho de pelo menos, ler todos eles. Aí no meio do monte de propostas que não são atraentes pra você, estarão propostas boas. Não deixe dinheiro na mesa!

 

Errar na hora de passar orçamento para campanhas publicitárias

No começo, ninguém te procurava para fazer anúncios em seu canal. Com o passar do tempo ou “de repente” seu canal cresceu e agora muitas empresas e agências de publicidade andam atrás de você. Querem que você anuncie seus produtos e serviços. Mas, quanto cobrar e como cobrar?

O maior erro que você pode cometer nesse aspecto é supor um valor “porque sim” e passar ao anunciante. Um valor que saiu da sua cabeça porque você achou ele interessante. Não, não!

O que você deve fazer para cobrar de uma maneira mais adequada é ver qual ou quem é sua concorrência. Mas com concorrência, não nos referimos a outros canais iguais ao seu. Eles também podem estar cobrando errado. E você não precisa repetir a bobagem que eles fazem.

Para um anunciante, seu canal é um veículo de divulgação. Um meio em que ele vai divulgar produtos ou serviços. Eu te pergunto: onde mais ele pode anunciar produtos ou serviços, além de um canal do YouTube? Vamos a uma lista de opções? Veja:

  1. Ele pode anunciar no Google
  2. No Facebook
  3. No Linkedin
  4. No Instagram
  5. No Twitter
  6. No Bing
  7. Em blogs
  8. Na TV
  9. No rádio
  10. Em jornais

Está vendo como existe um montão de opções? Seu canal é mais uma delas. O anunciante geralmente considera quais são as melhores opções para anunciar entre as muitas que existem. Então seu principal concorrente não é outro canal parecido com o seu, mas sim outros meios de anúncio.

Então, o que você deve fazer é estudar como essas plataformas concorrentes cobram e se comportam, que resultados trazem entre outras coisas, para que você possa criar uma estratégia vencedora. Mas como fazer isso?

Vamos comentar, bem “por cima” como as plataformas de anúncios que mencionamos acima funcionam. Assim, você poderá pensar num plano de ação e vai ter argumentos para apresentar ao anunciante.

Geralmente, todas as plataformas de anúncios, com exceção dos jornais, TV, rádio e blogs, usam o método do “leilão de palavras-chave”. Esse leilão, que não é visível ao público, determina o valor de palavras que irão “ativar” um anúncio feito por uma empresa. Funciona mais ou menos assim:

Vamos supor alguém que queira anunciar um jogo de panelas. Lá no Google, por exemplo, ele terá que escolher quais palavras irão acionar o anúncio dele. Ou seja, por exemplo, se ele definir que o termo “jogo de panelas” acione seu anúncio, o Google irá verificar quantos outros anunciantes estão pedindo para usar esse mesmo termo. Entre todos os que estão usando o termo, o Google vai ver qual anúncio é o melhor, seguindo padrões de qualidade (que nem sempre são claros) internos. Assim, ele determina qual anúncio vai aparecer mais vezes e também o valor desse anúncio, afinal, se muita gente estiver usando o termo “jogo de panelas” para que o Google mostre todos os anúncios irá ter que cobrar mais caro, pois o anúncio em algum momento irá aparecer nas primeiras posições.

Dessa forma, hoje existem palavras-chave que “custam” entre R$0,01 e R$10,00 o clique ou muito, muito mais. Tudo depende de com esteja o mercado. Existem ferramentas que o Google disponibiliza para que um anunciante saiba mais ou menos o valor de uma palavra-chave e assim possa escolher as mais convenientes para seu anúncio.

Um detalhe: o anunciante só é cobrado quando alguém clica nelas em um anúncio. De outra forma, não há custos. Claro, a ideia é que o Google tente fazer com que as pessoas cliquem no anúncio o máximo possível, afinal, a ideia é ganhar dinheiro.

O anunciante pode determinar quais palavras irão ativar seu anúncio, dessa forma, segmentando bem quem vai ver esse anúncio. As outras plataformas funcionam de maneira muito parecida.

Então você deve saber que essa é sua concorrência. E você precisa saber se “vender” corretamente. Não existe uma fórmula que mostre quanto um anunciante precisa gastar no Google por exemplo, para ter bons resultados. Mas geralmente, quanto mais orçamento ele tiver para investir, melhores serão seus resultados, já que muita gente clica nos anúncios mas não compra nada.

Então, onde você como influenciador digital, ganha das plataformas de anúncios?

  1. Você fala para uma audiência cativa, que confia no que você diz. Seu poder de convencimento é muito maior que um simples texto de anúncio, com uma foto.
  2. Seu anúncio vai ser feito em um vídeo que vai ficar “para sempre” no seu canal, assim o anúncio vai ser permanente para o anunciante, mesmo depois que ele tiver terminado de te pagar. Nas plataformas quando acaba o orçamento, o anúncio desaparece.
  3. O produto ou serviço do anunciante é muito melhor visto num anúncio em seu canal. Você pode testar o produto, mostrar em detalhes as características dele e dar sua opinião e isso não tem anúncio “tradicional” que possa fazer.

Use esses argumentos quando estiver de frente para um anunciante (mesmo que for por meios online). Sobre o preço que você deve propor, leve em consideração o seguinte:

  1. O tamanho da sua audiência. Não falamos aqui de quantos inscritos e sim de quantas pessoas veem seus vídeos por mês. Faça uma média de quantas visualizações seus vídeos recebem por mês. Isso pode dar uma ideia ao anunciante de quantas pessoas irão ver o anúncio que você vai fazer.
  2. Seu nicho de atuação. Se você fala sobre algo muito especializado, como por exemplo, como investir em ações entre outros, você pode valorizar um pouco mais seu conteúdo e cobrar por isso. Pois seu público com certeza está muito “nichado” também e as possibilidades de que o anunciante tenha boas vendas com seu canal são altas.
  3. O preço que o anunciante em média teria que investir nas plataformas de anúncios. Faça uma simulação, crie uma conta no Google Ads e “brinque” de fazer simulações de campanhas. Veja quanto um anunciante gastaria para conseguir certo número de visualizações e cliques. Tudo vai depender também do valor do produto a ser anunciado, então sempre pergunte os preços dos produtos.
  4. Em vez de dar um valor “fechado” (cobrar valores fixos, por exemplo) você pode dizer que cobra por visualização. Isso vai parecer mais atraente para o anunciante, tenha a certeza disso. Experimente cobrar valores entre R$0,05 e R$0,08 por visualização. Faça as contas. Um canal com 100 mil visualizações médias por vídeo, que cobre 5 centavos por visualização, irá receber R$5.000,00. Claro, existem fatores que podem aumentar esse valor, por exemplo se seu canal for de um nicho pouco explorado no YouTube. Além disso, cobrando “por visualização” seu anunciante vai se sentir mais seguro, pois um grande medo que eles têm é que seu anúncio seja colocado num vídeo que poucas pessoas viram e ter pagado “caro” por isso.

Esperamos que essas dicas te ajudem a lidar melhor com seu canal, que agora é grande. Muito sucesso pra você!

Ah, e se quiser apoio profissional para seu canal, CLIQUE AQUI e conheça nossos serviços.

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

code