5 erros que destroem seu canal no YouTube

Existem com certeza, muito mais do que apenas 5 erros que destroem seu canal no YouTube. Mas resolvemos criar essa lista para você, para que você vá corrigindo esses detalhes e pouco a pouco ir aperfeiçoando outros.

Abaixo estão as armadilhas comuns:

ERRO # 1 – Achar que seus vídeos tem que ser sobre o quanto você “é incrível”

Na maioria dos casos, as pessoas são as estrelas de seus próprios vídeos. Mesmo pequenos vídeos de atualização ou tours de casas geralmente apresentam o agente – e é aí que está o problema. Muitos vídeos passam muito tempo apresentando o agente ou sendo sobre o agente. Uma coisa é ser o apresentador do vídeo; outra é fazer o vídeo todo sobre você. Não cometa o erro de pegar um tópico e depois fazer o vídeo todo sobre você. Se você estiver fornecendo informações, como atualizações de mercado, certifique-se de que a maior parte do vídeo se concentre nas atualizações de mercado e não sobre você, o que está fazendo, o que está dirigindo ou para onde está indo.

ERRO # 2 – Querer fazer vídeos sobre si
Isso está na mesma linha do erro nº 1. Embora haja muitas pessoas que fizeram carreira na TV, em blogs ou no YouTube e desenvolveram uma sequência de pessoas que querem ouvir suas opiniões particulares, não cometa o erro de pensar que você se enquadra nessa categoria. A maioria das personalidades do YouTube tem trabalhado nisso por 7 a 10 anos ou mais. Eles conquistaram essa posição ao longo do tempo e com muito esforço. Se você está postando vídeos online que estão recebendo algumas centenas de visualizações, ou se você é novo no YouTube, você deve chegar à conclusão de que ninguém vai lá para ver você. Eles estão assistindo ao seu vídeo por causa do conteúdo prometido do vídeo. Se esse conteúdo não for entregue com rapidez suficiente, eles sairão do vídeo. Para colocar em perspectiva, as personalidades do YouTube costumam atingir várias centenas de milhares de visualizações por vídeo e milhões de visualizações em seu canal a cada mês.

Então, principalmente no começo de seu canal, evite fazer vídeos do tipo “20 coisas sobre mim que você não sabia”. As pessoas “não sabem” porque não têm a menor ideia de quem é você. Então, qual a finalidade de mostrar curiosidades sobre você, se ninguém te conhece ainda?

ERRO # 3 – Os vídeos são muito longos
Você deve ter lido que vídeos com mais de 8 minutos são bons para monetização e isso é verdade. No entanto, para um vídeo ter mais de 8 minutos, ele precisa ser muito interessante, do começo ao fim. E algumas pessoas imaginam que “quanto mais, melhor”. E ai, criam vídeos gigantescos, com mais de 20 minutos, sem se preocupar muito com a qualidade do conteúdo.

Veja, para ser mais claros: se você quer muito aprender a fazer algo, como a montagem de um computador, por exemplo, e você encontra um tutorial bem detalhado, que tem mais de 20 minutos mas que te explica tudo de maneira fácil e interessante, você não vai querer ver o vídeo todo? Claro que sim!

Então o problema e o cuidado de se fazer vídeos longos é com a qualidade do vídeo. Precisa ser muito interessante, do começo ao fim. O mais prático é que você faça vídeos menores e bons. Nunca tente “encher linguiça” só para um vídeo ficar maior.

ERRO # 4 – O ritmo está muito lento
Você deve ter em mente que não está filmando um thriller de suspense. Você está entregando informações. As pessoas geralmente acessam seus vídeos por meio de alguma referência online. Quer se trate de um anúncio com um link para o seu vídeo, um link que você compartilhou ou simplesmente porque foi recomendado com base em um vídeo diferente que alguém estava assistindo, as pessoas chegarão ao seu vídeo querendo ver o que as trouxeram para seu vídeo imediatamente. Não fique enrolando seu público. Os jornais usaram essa técnica por muitos anos. O título é a informação mais importante e a informação torna-se menos interessante à medida que avança no artigo. Você deve fazer o mesmo.

A propósito, um vídeo que começa com um logotipo, seguido por um indivíduo se apresentando antes de entrar no conteúdo, normalmente perderá aproximadamente 30% de seus espectadores nos primeiros 8 a 10 segundos. Pense nisso por um momento. Você trabalha muito para criar esse conteúdo e também para que as pessoas o vejam e, antes de realmente começar a dizer algo sobre ele, cerca de um terço do seu público saiu. Veja nesse artigo o que comentamos sobre a duração de uma vinheta ou introdução.

ERRO # 5 – A frase de chamada para ação está no final do vídeo
Provavelmente, a parte mais importante do vídeo para o pessoal de vendas é a frase de chamariz, o CTA ou chamada para a ação (se inscreva, compartilhe ou outro pedido que você queira fazer). Simultaneamente, a parte menos vista do vídeo é o fim; na verdade, quanto mais longo o vídeo dura, mais o público desiste. Mesmo quando as pessoas assistem a vídeos inteiros, no momento em que a pessoa inicia o encerramento, muitas pessoas fecham o vídeo e nunca chegam a ver o final. O erro que quase todo mundo comete aqui é que todos deixam sua frase de chamada para a ação para o final do vídeo – como na parte do vídeo que ninguém vê. Não cometa esse erro.

Uma opção é colocar sua frase de chamada para ação (seu pedido pra se inscrever no seu canal, por exemplo) mais dentro do conteúdo de seu vídeo. As pessoas viram já parte de seu conteúdo e estão acompanhando, então uma pequena interrupção para pedir algo não vai fazer tanto estrago nas métricas do seu vídeo. 

Conclusão
O tamanho do conteúdo, o dinamismo e a estratégia usada para convidar seu público a fazer o que você quer são essenciais. Deixar de cuidar disso pode destruir seu canal!

Quer ajuda profissional para sua carreira de influenciador digital? CLIQUE AQUI e conheça nossos serviços!

negociar com influenciadores

Introdução para vídeos no YouTube: quanto tempo deve durar? Devo ter uma?

Neste artigo vamos responder à pergunta: se você tem uma introdução no YouTube, quanto tempo ela precisa ter?
Antes de mergulhar no conteúdo, vamos resolver alguns equívocos comuns em torno dos termos vinheta e introdução.

O que é um vídeo de introdução do YouTube?
Tecnicamente, uma introdução é a parte do vídeo em que você o apresenta, mostra ou conta do que trata o vídeo.
Isso também é chamado de teaser.

O que é uma vinheta de vídeo do YouTuber?
Pode ser uma combinação de animação extravagante, logotipo, algumas filmagens de seus vídeos acompanhados de música ou efeitos sonoros.
A vinheta pode ser usado como uma expressão de branding do canal.

Muitas pessoas dizem “introdução” quando na verdade querem dizer “vinheta”.
Para consistência, vamos usar nesse artigo as palavras “vinheta” para a parte gráfica e teaser (introdução) para a parte falada de um vídeo

Por que você precisa de um vídeo de uma vinheta no seu vídeo do YouTube?

Branding
Se você fizesse essa pergunta a um profissional de marketing, ele diria: branding.
“Esta é uma expressão da sua marca, para que as pessoas possam se associar à sua marca.”

Queremos argumentar que existem outras maneiras de marcar seus vídeos: seu avatar, arte do canal e uma marca d’água de vídeo sendo as principais.
Se o vídeo de introdução (vinheta) é a única maneira de comunicar sua marca, você tem outros problemas com que se preocupar.

Confiança
Esse mesmo profissional de marketing argumentaria que uma introdução é o reconhecimento da marca.
Se você disser ou mostrar a mesma coisa repetidamente, é mais provável que as pessoas confiem em você ou em sua marca.
Gostaríamos de argumentar que existem outras maneiras de comunicar confiança.

Os espectadores podem ver seu rosto, olhar em seus olhos e ler suas emoções.
Novamente, se o vídeo de introdução (vinheta) é a única maneira de comunicar confiança, você tem outros problemas com que se preocupar.

Comunique o conteúdo do seu canal O único argumento válido para ter uma introdução (vinheta) no YouTube é dar ao seu espectador uma visão rápida do conteúdo do seu canal no YouTube. Você pode comunicar o que você (e seu canal) são se o espectador vir seu vídeo pela primeira vez. Mas para comunicar o conteúdo do seu canal, você precisa ter mais do que apenas um logotipo animado sofisticado.

Por que você precisa de uma introdução para seus vídeos no YouTube?

Em primeiro lugar, o teaser ou introdução de um vídeo faz com que o público já saiba o que vai encontrar naquele conteúdo. Serve bastante para criar expectativa, aumentar a atenção.

Mas claro, mesmo sendo importante, uma introdução (ou teaser) se for muito grande, vai matar a atenção do público em lugar de prender. Se você “enrolar” demais para soltar o conteúdo do vídeo, as pessoas vão perder a paciência e abandonar seu vídeo.

Como fazer uma boa introdução? Pense no seguinte: se você tivesse que resumir seu vídeo em menos de 30 segundos,  que você diria? Bem, essa seria sua introdução ideal.

 

 

Como saber se estou “enchendo linguiça”?

Quando você vê os espectadores colocarem timestamps (quando comentam: “o conteúdo começa no minuto 2:43”) em seus comentários ou vê comentários que dizem que não, você não vai direto ao ponto, esta é uma grande indicação de que você precisa encurtar o início de seus vídeos.
Em vez de ficar incomodado com a negatividade desses comentários, você precisa vê-los como sinais valiosos que seu público fornece para aumentar sua retenção de público.

A vinheta pode ser uma grande parte disso.
Lembre-se, se os inscritos veem seus vídeos com frequência, essas vinhetas se tornam irritantes.
Eles os viram repetidamente.

Qual deve ser a duração de uma vinheta em um vídeo do YouTube?

Pra resumir: a introdução do seu vídeo não deve ser superior a 1 minuto. Use uma vinheta de 2 a 5 segundos no máximo, caso contrário, as pessoas podem sair fora de seu vídeo. O comprimento exato depende do seu público. Um público mais jovem tem uma capacidade de atenção menor do que um público mais velho.

A melhor medida é testar isso em seu público: lance vídeos com e sem vinheta.
Em seguida, compare as estatísticas em seu gráfico de Retenção de público no YouTube Analytics.
De segundo a segundo, você pode ver onde os espectadores caem.
Provavelmente você verá que muitos espectadores pularão a introdução ou abandonarão o vídeo.

Muitos grandes YouTubers nem mesmo usam vinhetas em seus vídeos do YouTube.
Isso levanta a questão:

Você precisa de uma vinheta para seu canal no YouTube?

Não!
Mas usar uma variação na introdução é inteligente por causa do algoritmo do YouTube.

Muitas pessoas como já comentamos, com o tempo, simplesmente pulam as introduções e vão direto para o conteúdo de um vídeo.

Então, para manter o fluxo do vídeo, use um corte em J, para que o áudio do vídeo continue enquanto a imagem mostra o título.
As informações do vídeo continuam fluindo, portanto, não há necessidade de o visualizador clicar para sair. O ponto aqui é que o YouTube consegue “ler” textos em imagens. Então se você em lugar de usar uma vinheta, utilizar uma imagem mostrando o título de seu vídeo enquanto ainda se escuta você falando, você pode, ainda que de maneira muito discreta, estar ajudando o algoritmo a encontrar e classificar seu vídeo, como também não estará espantando sua audiência.
A tela de título pode até ser uma interrupção de padrão bem-vinda para manter os espectadores assistindo por mais tempo.

Armadilhas comuns de introdução do YouTube

Ego:
Quando você pensa nisso, se uma introdução do YouTube não beneficia o espectador, a introdução do vídeo do YouTube é uma coisa para o ego.
Diz basicamente: “olhe para mim, veja como sou incrível”.

Se você optar por usar um vídeo de introdução, torne-o curto e certifique-se de que beneficia o espectador.
Lembre-se de que o YouTube não é televisão.
YouTube é o YouTube com espectadores que têm a capacidade de atenção de uma banana.

Nunca no início de seu vídeo
Muitos criadores de conteúdo iniciantes do YouTube colocam seu logotipo ou introdução no início de seu vídeo, antes mesmo que o espectador receba algo de valor.
Um espectador decide em 8 segundos se ele (ou ela) quer ver o vídeo ou não.
Você tem 8 segundos para convencer o espectador a ficar, não perca isso na sua introdução.

Os criadores experientes que prestam atenção aos seus gráficos de retenção de público sabem disso.
Em outras palavras: parece amador.
Pessoalmente, se vejo um vídeo que começa com a introdução, clico fora.
Eu sei que muitos espectadores fazem o mesmo.

Ter um vídeo de  introdução de qualidade incompatível com a qualidade do conteúdo do vídeo
Alguns criadores colocam seu coração e alma na melhor  criação de vídeo de introdução de suas vidas!
Mas quando a qualidade e o estilo da introdução do vídeo não correspondem ao resto do vídeo, você fica mal.
Melhor não ter um vídeo de introdução do que um que não corresponda à marca, estilo e qualidade do seu vídeo.

Em resumo

Não é essencial ter uma vinheta para seu vídeo.
Pule totalmente esta introdução do vídeo ou use uma tela de título (como explicamos).

Se você ainda quiser usar um vídeo de introdução do YouTube:

  • Faça-o super curto, de preferência 2 segundos ou menos.
  • Comunique o conteúdo ou objetivo de seu canal

Se você não concorda com nossa opinião, olhe seu gráfico de Retenção de público no YouTube Analytics.
Sempre dirá a verdade sobre o estilo do seu vídeo e o seu público

E se você quer assessoria para sua carreira de YouTuber, CLIQUE AQUI.

6collab

Como fazer sua primeira collab do YouTube acontecer

Os collabs do YouTube são uma ótima maneira de fazer networking com outros YouTubers e ganhar novos assinantes. No entanto, fazer sua primeira collab acontecer pode ser tedioso. É por isso que neste artigo eu quero guiá-lo através do processo de criação de sua primeira collab do YouTube.

No caso de você ser novo no jogo do YouTube, porém, você pode primeiro querer saber:

O que é um YouTube Collab?

“Collab” é abreviação de “colaboração”. Uma collab do YouTube é um vídeo onde dois (ou mais) YouTubers que geralmente trabalham em diferentes canais criam um vídeo juntos. Isso pode assumir diferentes formas.

Se os YouTubers forem capazes de se encontrar, eles podem fazer um vídeo onde ambos estão na frente da câmera. No entanto, você não precisa se encontrar fisicamente para fazer uma collab. Você também pode filmar seus vídeos separadamente e, em seguida, editá-los juntos.

Esses tipos de “collabs online” são legais porque podem envolver muitas pessoas (e você não precisa viver perto deles!). No entanto, eles também podem ser difíceis de fazer, já que você tem que comunicar exatamente que tipo de vídeo você quer deles. Além disso, fazer as pessoas cumprirem um prazo pode ser um desafio.

Por que você deveria fazer um Collab?

Muitos YouTubers fazem collabs só por diversão – o que é uma ótima razão para fazê-los. Mas os collabs também têm outros benefícios:

  • Você faz uma rede com outros criadores – Isso não só vai fazer você se sentir menos solitário como um YouTuber, mas essas relações também podem ser uma grande ajuda para você e seu canal a longo prazo.
  • Collabs pode trazer tráfego sério para o seu canal, o que pode aumentar drasticamente o número de seus assinantes. Em particular, ser apresentado em um canal maior do que o seu pode acelerar drasticamente o crescimento do seu canal.
  • Você adiciona mais variedade ao seu canal – Os telespectadores adoram collabs bem executados! Apresentar outros criadores em seu canal pode ser uma ótima maneira de manter seus assinantes entretidos

Como encontrar ideias de Collab

Ok, então você quer fazer um collab, mas que tipo de vídeo você deve fazer? Encontrar uma ideia de collab pode parecer difícil, mas realmente não é: Apenas pense no que você geralmente faz em seu canal e como outra pessoa poderia contribuir para isso.

  • Você é um vlogger? Você pode fazer uma tag ou um desafio com outro vlogger.
  • Você tem um canal tutorial? Que tal você fazer um vídeo de Perguntas e Respostas com outro criador tutorial?
  • Você revisa filmes no seu canal? Então você pode criar uma collab onde você discute um filme com outro YouTuber.

Há toneladas de coisas que você pode fazer. Se você precisa de alguma inspiração, é uma boa ideia conferir outras collabs – especialmente de canais que são semelhantes aos seus.

Caso precise de ideias mais concretas, criamos  uma lista com 161 ideias do YouTube aqui. Muitos deles podem ser feitos como collabs.

Como encontrar canais do YouTube para collab com

Uma das partes mais difíceis de fazer um collab é encontrar um colaborador. Enquanto algumas pessoas estão abertas a conversar com alguém, muitas vezes não é isso que você quer fazer.

Especialmente se você quiser criar um collab para crescer seu canal, você precisa ter certeza de que seus canais ou pelo menos audiências são um pouco semelhantes entre si. Aqui estão alguns fatores que serão importantes:

  • Idade: Um jovem de 15 anos e um de 35 anos podem não compartilhar o mesmo público (embora certamente haja exceções)
  • Tópico do canal: Se o seu tópico for muito diferente um do outro, seus assinantes provavelmente não estarão interessados em ambos os seus canais. Por exemplo, se você é um vlogger de maquiagem é improvável que alguém que só faz vídeos de games será um bom negócio.
  • Tamanho do canal: Se você está em 200 inscritos, um canal com 20.000 inscritos provavelmente não vai querer combinar um collab com você; afinal, um collab é uma troca de interesses e benefícios. Você, com 200 inscritos está ganhando boa visibilidade, mas e o outro canal, o que ganha?

Outro fator que pode ser importante é a localização. Enquanto alguns tipos de collabs não exigem que você se encontre pessoalmente, outros o fazem (filmar um curta-metragem juntos enquanto não se encontrar é difícil).

Faz sentido pensar em todas essas coisas antes de começar a procurar YouTubers para trabalhar. Assim você sabe exatamente quem será um bom ajuste e quem não vai.

Recursos para encontrar colaboradores

Agora, onde você encontra outros criadores para conversar?

YouTube

Pesquisar diretamente no YouTube pode ser um começo. Você pode filtrar sua pesquisa no YouTube por canais aqui:

Pesquisa do canal do YouTube
O maior problema com a pesquisa do YouTube é que ele prefere grandes canais. Isso significa que pode ser difícil encontrar canais de tamanho semelhante.
Outra maneira de encontrar canais semelhantes no YouTube é conferir os vídeos sugeridos ao lado (ou abaixo) de seus vídeos, já que eles são muitas vezes semelhantes ao seu conteúdo.

Sejamos honestos, porém, procurar canais no YouTube não é uma grande experiência ou mesmo eficaz. Em vez disso, vamos dar uma olhada em algumas outras opções.

Canalcrawler

Encontre canais do YouTube com o Channel Crawler

Channelcrawler é um mecanismo de busca de canais do YouTube que permite filtrar por tamanho de canal, categoria de canal, país, visualizações, número de vídeos, palavras-chave e data do último vídeo. Isso é ótimo para encontrar bons canais para conversar! Além disso, certifique-se de adicionar seu próprio canal ao banco de dados para que você possa ser encontrado.

Fóruns

Muitos fóruns do YouTube têm uma seção onde os criadores podem postar ofertas de collab. Isso muitas vezes pode ser bastante interessante.

O maior problema com isso é que você tem que passar por um monte de posts antes de encontrar uma oferta que seja relevante para o seu canal. Além disso, as postagens podem não ser tão interessantes em alguns dias como em outros. É por isso que você provavelmente vai ter que continuar olhando regularmente durante alguns dias ou até semanas.

 

Meetups

O meetups YouTube são outra ótima maneira de encontrar collabs e muitos especialistas recomendam.. No entanto, os encontros no YouTube não acontecem em todos os lugares. Se você não mora em uma cidade grande, é improvável que haja um encontro no YouTube por perto.

Como se conectar com criadores de canais

Você encontrou alguns canais interessantes? Então é hora de entrar em contato com eles. Infelizmente, entrar em contato com outros YouTubers pode ser um desafio – especialmente se você os encontrou diretamente no YouTube.

Aqui está o principal problema: a função de comentários do YouTube é uma droga!

Pior ainda: Se você adicionar um link ao seu canal ou a um site, sua mensagem provavelmente cairá no filtro de spam. Não é bom se você precisa entrar em contato e quiser contar a alguém sobre o seu canal!

Em vez de confiar na função de comentários do YouTube, tente encontrar outras maneiras de entrar em contato com os criadores. Aqui está o que normalmente funciona melhor.

Email

Muitos YouTubers têm um endereço de e-mail em sua página sobre sobre (certifique-se de adicionar um na sua, também!). Se não for mostrado diretamente no texto, é preciso um clique e um captcha para revelá-los:

O e-mail geralmente é a melhor (e mais profissional) maneira de pedir um collab. No entanto, muitos YouTubers adicionam e-mails às páginas sobre páginas que eles não verificam regularmente. Outros criadores não querem publicar seu endereço de e-mail no YouTube. Nesse caso, sua mensagem pode nunca ser lida. É por isso que também faz sentido contatá-los através das mídias sociais.

Mídias Sociais

Muitos YouTubers têm seu perfil de mídia social vinculado em sua página sobre ou sob seus vídeos:

Você também pode encontrar canais procurando diretamente no Google.

Nem sempre você terá seus e-mails respondidos, mas sempre vale a pena tentar.

Como fazer um Collab do YouTube acontecer

O processo de collab vai depender do tipo de collab que você quer fazer e que estilo de comunicação ambas as partes preferem, mas aqui estão algumas dicas.

1) Escreva e-mails comunicativos e eficazes

Você não vai acreditar quantos pedidos de collab eu recebo que não têm mais informações do que “Whazup, quer collab?” Esta é a pior maneira de começar uma conversa. Não me dá nenhuma informação sobre você, seu canal ou seus planos de collab, e deixa todo o trabalho para mim. Se quer que eu responda, facilite as coisas para mim. Me conta:

  • Quem você é
  • Onde eu posso encontrar o seu canal (envie-lhe um link, não apenas o seu nome de canal!)
  • Que tipo de collab você quer fazer

Você pode até incluir:

  • Onde você encontrou meu canal
  • Por que você gosta dos meus vídeos
  • Por que você acha que vocês seriam um bom collab

2) Deixar as instruções de collab muito claras

Se você está fazendo um collab online, certifique-se de deixar bem claro qual vídeo você quer receber:

  • Sobre o que deveria ser?
  • Deveria ser engraçado/sério/emocional?
  • Deve ser editado ou não?
  • Quanto tempo deve demorar?

3) Estabeleça um prazo

As collabs online sempre precisam de um prazo – caso contrário, como seu parceiro collab saberá quando enviar seu vídeo?

4) Como transferir seu vídeo

Os arquivos de vídeo são muito grandes, então não é uma boa ideia tentar enviá-los por e-mail. Em vez disso, você pode usar serviços como Dropbox ou WeTransfer. O que eu honestamente achei mais fácil, no entanto, é usar o Google Drive, especialmente se você já está usando o Gmail.

Outra possibilidade é carregar o vídeo como “não listado” e enviar o link para o seu colaborador. O receptor pode então pegar o vídeo através de um conversor de vídeo como c onvert2mp3.ne t.

Dicas de colaboração do YouTube

Não desista!

Fazer sua primeira collab acontecer pode levar um tempo, especialmente se você está apenas começando no YouTube. Se você está se sentindo preso, faça uma pausa por um dia, então tente novamente.

Se você está abaixo de 100 inscritos…

Quando você está apenas começando, colaborar com você pode não ser muito benéfico para outros criadores ainda. Se você sente que está sendo rejeitado muito, trabalhe na construção do seu canal até pelo menos uns 1000 inscritos e tente novamente.

Não espere milagres.

Nem toda collab será um sucesso incrível que trará centenas ou até milhares de submarinos. Tenha em mente que mesmo depois de uma collab bem sucedida, apenas uma pequena porcentagem de espectadores vai conferir o YouTuber em destaque (seja você ou seu parceiro collab). Quanto mais realista você for sobre esses números, menos frustrante será o processo.

Divertir-se

Crescer seu canal é ótimo, mas não se esqueça de se divertir enquanto você está fazendo isso. Ao ser um YouTuber divertido para conversar, você vai ter certeza de que as pessoas vão querer conversar com você uma e outra vez.

Quer ajudar para sua carreira de YouTuber? CLIQUE AQUI e conheça nosso serviço de assessoria.

5famosonoyoutube

Como se tornar um YouTuber de sucesso? Leia esses conselhos antes

Você sonha em construir seus próprios seguidores leais no YouTube para poder pedir demissão?

Você não está sozinho. Muitos criadores estão entrando no YouTube em meio à pandemia para tentar transformar seus sonhos em realidade e pegar uma parte dos bilhões de dólares gerados pela receita de publicidade do YouTube.

Não é tarde demais para se tornar “famoso no YouTube” ou construir um negócio viável a partir de seguidores leais do YouTube, mas está definitivamente ficando mais competitivo.

Ser consistente. E seja você mesmo.

Siga uma programação rígida . Isso vai te obrigar a postar de forma consistente. Importante pra isso ter e seguir uma agenda, com toda a programação de sua semana. A gente falou mais sobre isso nesse artigo (clique para ver).

Outra coisa importante é que você não deve tentar imitar a outros YouTubers que gosta. Crie um estilo próprio, seus próprios jargões, caso você queira e sua maneira de apresentar o conteúdo.

 

Aumente seu público com as colaborações certas

Os criadores do YouTube devem pensar em colaborações desde o início. Criar conteúdo compartilhado com outros criadores de suporte é uma ótima maneira de ganhar exposição a novas visualizações e expandir seu público.

Para que uma colaboração seja bem-sucedida, ela precisa fazer sentido organicamente. Os espectadores são espertos, eles podem sentir a falta de autenticidade. Entre em contato com criadores de conteúdo afins que você ama assistir e encontre uma maneira criativa de fazer um vídeo juntos, que vocês compartilham nos canais uns dos outros. O público pode ficar animado para conhecer um novo convidado em uma plataforma familiar e se tornar novos fãs. Claro, leve em conta que geralmente, os YouTubers preferem gravar com quem tem o mesmo público e tamanho da audiência que eles. Então se você está começando, poderá se frustrar se tentar conseguir um “collab” com um grande YouTuber.

Não espere ficar “rico no YouTube” da noite para o dia

“Isso non ecxiste”, diria o padre Quevedo. E não existe mesmo! Para você ter o sucesso que sonha no YouTube, muito conteúdo vai ter que ser criado, muitas horas, dias, meses e até anos de trabalho. Sabemos de canais que levaram 4 anos para conseguir o sonhado milhão de inscritos.

Quer algo rápido? Prepare um Miojo e coma.

Proteja-se contra “autoagressão digital”

A automutilação digital é uma atividade muitas vezes inadvertida em que alguém rola a página para procurar comentários maldosos sobre si mesmo ou procura seu próprio nome em um fórum de fofoca.

Uma das estratégias para evitar essa agressão digital é ler apenas alguns dos comentários em seus vídeos do YouTube logo após o envio, e não lê-los depois. Também é extremamente importante ter uma rede de suporte forte na vida real. Interagir com amigos de infância que a amam, independentemente do que a internet pensa, ajuda a protegê-la da toxicidade da internet, ao mesmo tempo que te ajuda a ficar com os pés no chão, apesar da celebridade que uma pessoa possa ter conseguido.

 

Não há atalho para um público leal e engajado do YouTube

Em vez de tentar fazer vídeos virais, pode ser  que o caminho para o seu sucesso no YouTube requer trabalho árduo e a criação de ótimo conteúdo que as pessoas queiram voltar.

Aqui estão algumas de suas dicas para criar conteúdo de vídeo atraente no Youtube:

 

  1. Tenha uma introdução forte que defina as expectativas para seu vídeo e familiarize os novos espectadores com você e seu conteúdo.
  2. Corte qualquer conteúdo desnecessário ou de preenchimento que você puder de seu vídeo. Não fique “enchendo linguiça” pensando em fazer um vídeo de maior duração.
  3. Pergunte a si mesmo: “Este é um vídeo que eu gostaria de clicar e ficaria feliz em assisti-lo?”
  4. Uma boa iluminação natural é poderosa. Pode fazer com que algo filmado em uma webcam barata tenha uma boa aparência. Tente ficar de frente para uma janela com iluminação natural, se possível.
  5. Seu som é mais importante do que o visual. As pessoas NÃO assistirão a um vídeo com som ruim. Mas se o seu vídeo estiver um pouco pixelado ou você estiver filmando no seu telefone, eles ainda vão assistir se o som estiver bom. Usar um microfone adequado ajuda muito, mas você pode até gravar usando seu celular.
  6. Dedique tempo para escrever os roteiros dos seus vídeos. Sem isso, você vai estar sempre improvisando e o resultado pode sair longe do que você esperava

Quer mesmo ter sucesso como YouTuber? Que tal contratar nossa assessoria? CLIQUE AQUI para saber mais!

3valetudo

Pra ser famoso no YouTube, vale tudo?

Uma vez perguntamos a um adolescente iniciante no YouTube: você faria qualquer coisa para ser famoso no YouTube? Ele respondeu que sim, talvez sem pensar no peso da pergunta feita a ele. O desejo de ser famoso muitas vezes faz com que as pessoas procurem os “meios necessários” para conseguir o que se quer. E às vezes isso vai longe demais.

Nesse artigo, vamos te mostrar porque ir longe demais muitas vezes não vale a pena. Por exemplo, não precisa fazer como o Lejaden fez, numa live em que ele literalmente, leu um dicionário de português INTEIRO:

 

Aliás esse menino tem muita paciência mesmo viu…Nessa outra live ele quis “mandar um salve” para TODAS AS CIDADES DO BRASIL:

Bom, nesses casos, apesar da “loucura”, o rapaz desse canal atualmente tem mais de 53 mil inscritos e os vídeos dele têm boa audiência. No YouTube você pode encontrar qualquer tipo de vídeo com pessoas fazendo de tudo pra chamar sua atenção.

Mas até aí, apesar da loucura de vídeos com desafios que envolvem fazer coisas extremamente demoradas (há um vídeo que encontramos em que um sujeito supostamente esvaziou uma piscina com um pano, embebendo o pano com a água da piscina e torcendo o pano do lado de fora) há outras pessoas que decidem fazer coisas que põem em risco as próprias vidas ou a de outras pessoas, ou chegam perto de cometerem atos ilegais (como um grupo que quis entrar numa delegacia vestidos como os da série “La casa de papel”) entre outras coisas. Será que existe um limite pra tudo isso?

Qual o limite para se criar um vídeo no YouTube?

O limite é a vida e o bem estar próprio e alheio. Uma coisa que você deveria saber é que a maioria dos vídeos com supostos desafios “extremos” são absolutamente falsos. Então faça-se um favor: não acredite na maioria dos vídeos de desafios que estão no YouTube. Eles são cuidadosamente pensados para que o público pense que a pessoa passou por um grande perigo, colocou a vida de um animal em perigo, teve uma grande aventura ou até que cometeu um crime.

O problema de se produzir esse tipo de conteúdo é que nem todo mundo sabe que eles são falsos. E com isso, muita gente que está começando no YouTube pode e muitas vezes pensa, que para se conseguir uma boa audiência é válido fazer esse tipo de conteúdo. Mas o ponto é que, como eles não sabem que se trata de conteúdo falso, eles tentam reproduzir esse tipo de conteúdo, de verdade.

E isso já custou a vida de pessoas. Faz um tempo um adolescente se matou, ao vivo durante uma transmissão online, tentando fazer um desafio. Pode parecer que é fácil fazer certos “desafios” porque existem muitos vídeos de pessoas que parece que os fizeram sem problemas. Só que na verdade, muitos deles nunca aconteceram, realmente, não passando de pura encenação.

Num passado não muito distante, crianças e adolescentes no YouTube eram frequentemente “desafiados” a fazerem desafios em que tinham que tirar toda a roupa e sair correndo em algum local. Esses vídeos davam realmente muita audiência aos canais deles, porém a maioria eram de adultos que tinham segundas intenções com essas crianças. O YouTube inclusive, por causa desse tipo de situação teve que limitar os canais infantis para não permitir comentários.

Recomendações de segurança para criação de conteúdo no YouTube (e fora dele)

  • Nunca coloque a vida de animais em risco. Nada de fazer vídeos queimando coisas perto de animais ou em animais. Nem nada que possa colocar a vida deles em risco, como colocá-los em locais perigosos por exemplo).
  • Jamais aceite desafios que incluam a ingestão de produtos que não são alimentos (detergentes, combustíveis etc).
  • Não aceite fazer vídeos em que você tem que ingerir algum alimento em grandes quantidades. Por exemplo, há vídeos em que a pessoa consome grandes quantidades de sal, açúcar, canela em pó entre outras coisas que em grande quantidade, podem trazer problemas de saúde.
  • Nunca faça vídeos em que você se expõe fisicamente. Primeiro porque você ao fazer isso, está se colocando em perigo e depois porque esse tipo de conteúdo pode eliminar seu canal. O YouTube não permite esse tipo de conteúdo.
  • Não coloque sua vida em risco. Não tente fazer vídeos em que você terá que fazer algo arriscado, como “se mandar pelo correio”, invadir locais e coisas assim. A maioria dos vídeos que você vê são todos falsos, feitos para ganhar sua audiência.
  • Nunca coloque a vida de outras pessoas em risco. Portanto, não faça “trollagens” que envolvam prejudicar alguém, principalmente ao ponto de por essas pessoas em risco. Um exemplo disso são trollagens em carros alheios, em que uma pessoa substitui peças do carro e coisas assim.
  • Se você é criança, sempre grave na presença de um responsável adulto.

Portanto, não vale tudo, na hora de ter sucesso com YouTuber. Existem coisas que você deve por em primeiro lugar, como sua vida, sua dignidade e a dos demais também.

Quer ajudar profissional pra sua carreira? CLIQUE AQUI.

 

marketing de influencia

Como fazer um vídeo viralizar: a fórmula mágica

E se você pudesse fazer uma receita especial e montar um vídeo viral que impressione o seu público? E se você descobrisse o molho secreto que acaba vencedor após vencedor? Criadores de conteúdo e proprietários de pequenas empresas adorariam descobrir uma fórmula mágica que transformará suas estratégias de marketing de conteúdo.

O que é um vídeo viral?

Você provavelmente já se deparou com os vídeos tasty do Buzzfeed enquanto percorre seu feed do Facebook. Projetados especificamente para compartilhamento de redes sociais, esses vídeos são curtos, doces, informativos, apresentam pratos de dar água na boca, e tendem a se tornar virais de forma consistente. Seu sucesso está realmente valendo a pena e as ofertas de vídeo social do Buzzfeed agora compõem cerca de metade de sua receita anual.

Os vídeos virais ganham força rapidamente e são compartilhados várias vezes através das mídias sociais, atingindo pessoas que normalmente não viam seu conteúdo. Às vezes, eles são pegos por publicações maiores e sindicatos e continuam se espalhando como fogo.

Então, como fazer um vídeo viral?

Agora chegamos à parte difícil. Além de alguns acasos de sorte, a maioria dos vídeos virais são o resultado de um monte de trabalho combinado com um pouco de sorte e uma pitada de timing impecável.

Fazer um vídeo viral é muito parecido com cozinhar. Ter uma boa receita e os ingredientes-chave torna mais fácil acertar, mas você ainda vai lutar nas primeiras vezes que experimentá-lo. À medida que você se acostuma com seus equipamentos e conhece suas peculiaridades, a comida começa a ficar cada vez melhor até que você esteja criando pratos incríveis regularmente.

As técnicas e insights que estamos compartilhando aqui não são uma correção rápida ou uma garantia. Adicionar os ingredientes juntos e mexer algumas vezes não significa que você terá sucesso. Em vez disso, essas dicas são a base que você pode usar para criar sua própria receita secreta.

  • Manter seus vídeos curtos e agradáveis

Nossa atenção está cada vez mais procurada. Anunciantes, redes de entretenimento, membros da família, responsabilidades de trabalho e vídeos de animais fofos estão constantemente lutando por sua parte. Como as plataformas de mídia social em que são compartilhadas, vídeos virais são interrompidos. Você não vai ao YouTube ou ao Google e procura por eles. Eles aparecem em seu feed de mídia social e precisam lutar para quebrar o barulho e ganhar sua atenção. É por isso que vídeos curtos funcionam tão bem. Você pode facilmente justificar levar 60 segundos para assistir a história inspiradora de um gatinho que foi resgatado ou a última receita deliciosa do Tasty que seu amigo acabou de compartilhar. Mas, quanto mais tempo o vídeo fica, mais difícil é explicar a si mesmo por que você não está trabalhando nesse projeto que é para amanhã!

  • Concentre-se em uma única mensagem

Conteúdo simples, claro e sucinto faz maravilhas. Isso é verdade quando se trata de criar uma página de aterrissagem de alta conversão ou um post de blog super compartilhável e é definitivamente verdade quando se trata de criar um vídeo viral. Antes de começar, defina do que se trata o seu vídeo e concentre-se em obter esse ponto o mais claramente possível.

  • Fornecer valor

Importantíssimo que seu vídeo mostre a que veio. E que isso gere valor em que o assiste. Mesmo que for fazer você rir muito durante aqueles segundos de duração do vídeo ou aprender uma lição de vida, o ponto é que seu vídeo deve transmitir na audiência sensações boas. Use sua criatividade!

  • Use o formato certo

Maximize a chance de criar um vídeo viral otimizando-o para compartilhamento social. Certifique-se de que seu vídeo é o formato certo para a plataforma em que está levando em conta como as pessoas estão assistindo seus vídeos. Cerca de 85% dos vídeos do Facebook são assistidos sem som, e no final de 2016 eles tinham 1,09 bilhão de usuários móveis diários, um número que vem aumentando constantemente a cada trimestre. Então, crie vídeos otimizados para dispositivos móveis que capturem a atenção do usuário nos primeiros quadros pelas razões certas!

  • Crie uma miniatura (thumbnail) cativante e de marca

Quando seus seguidores compartilham seu vídeo nas redes sociais, a primeira coisa que seus seguidores verão é sua miniatura. Isso é especialmente verdade para plataformas de mídia social que não usam reprodução automática! Crie uma miniatura que capture a essência do vídeo e exija um clique. Se puder, evite usar texto porque ele pode parecer um pouco embaçado em certas telas e em formatos específicos.

  • Título poderoso 

Todo vídeo precisa de um título digno de cliques. Você não precisa usar títulos clickbait se isso não faz parte da sua marca, mas você ainda precisa de uma título poderoso que ande na linha entre clareza e curiosidade. O título precisa definir expectativas para o vídeo. Algumas pessoas confiam na curiosidade, enquanto outras abordam como o vídeo faria você se sentir. A chave é descobrir o que funciona para o seu público e provocar uma forte reação emocional.

  • Continue atento mesmo depois de ter postado o vídeo

O processo de vídeo não termina depois de postar ele. O segredo do vídeo viral é conhecer seu público e superar suas expectativas. Estudar as estatísticas de vídeo e compartilhar análises é fundamental para criar vídeos mais poderosos no futuro. Depois que você postar um vídeo, acompanhe os números dele, e faça uma análise dos resultados.

Afinal, qual o segredo dos vídeos virais?

A teoria pode ser útil, mas, embora os pontos que cobrimos acima sejam uma parte essencial da criação de um vídeo viral, alguns deles se sentirão como conselhos de senso comum para os criadores de vídeo.

Você pode usar ovos, açúcar, manteiga e farinha para fazer um bolo delicioso. Você também pode usá-los facilmente para fazer um prato até mesmo sua mãe iria (muito educadamente) recusar. Então saiba que nessa “receita”, o ingrediente principal é sua criatividade e seu talento!

 

Quer suporte profissional para sua carreira? CLIQUE AQUI

como ser youtuber

3 erros fatais que novos YouTubers “grandes” comentem

Influenciadores digitais, ao contrário do que muita gente pensa, não são pessoas perfeitas. Eles cometem erros, inclusive erros estratégicos dentro do negócio deles, como criadores de conteúdo. Às vezes, um canal cresce muito rápido, mais rápido do que imaginava seu apresentador. E com o crescimento do canal, surgem situações novas que nem sempre esse criador de conteúdo sabe lidar. No artigo de hoje, vamos te mostrar alguns pontos que acabam atrapalhando negociações, audiência e claro, o progresso de seus canais.

 

Vamos a eles então!

Não responder a comentários

Pode ser que antigamente, quando seu canal ainda não tinha tanta audiência, você respondia a todos os comentários de pessoas que viam seus vídeos, afinal, não eram tantos assim. Mas com o passar do tempo, seu canal foi ficando maior, mais visualizações e com isso, mais comentários. Pode ser que você até tenha tentado manter a linha de comunicação, respondendo ao máximo de comentários possível, mas depois de um tempo, já cansado, você simplesmente chegou a conclusão de que não é possível responder a todos os comentários. E aí você deixa de responder. Simples assim.

No entanto, por mais que possa ser cansativo passar muito tempo respondendo a comentários, você deve saber que isso é super importante para seu canal. Responder comentários causa mais engajamento do público, que vai ver que você se importa com o que eles dizem. Além disso, também vai ajudar a que seu canal tenha mais interação, o que contribui para um melhor posicionamento de um vídeo. No fim das contas, quanto mais comentários forem feitos em um vídeo, melhor vai ser.

Separe um dia ou dois para responder a comentários. Você pode agendar um horário definido, como uma hora por exemplo em determinado dia e horário, para responder a comentários. Faça isso sempre no mesmo dia e mesmo horário, para te ajudar a ter o costume.

Ignorar a maioria dos e-mails

Quando falamos em “ignorar e-mails” nos referimos a simplesmente esquecer que você tem conta de e-mail. É verdade que a quantidade de spam que todo mundo recebe é cada vez maior, mas mesmo assim, muita gente vai querer falar com você por e-mail.

Claro, você não deve responder a todos os e-mails que recebe. Mas vale a pena dar uma olhada em muitos deles. No meio da montanha de e-mails, estarão e-mails de seguidores do seu canal, que merecem uma atenção sua, porque se não fosse pela audiência deles, que muitas vezes, militam a seu favor e defendem o que você diz nos seus vídeos, você não teria um grande canal hoje. Então dê valor a esses e-mails. Muitas vezes tudo o que eles querem é um pouquinho de atenção, quem sabe dizer um “oi” como resposta seja algo incrível para eles.

Além disso, existe o lado comercial. Existem muitos influenciadores que chegam a ignorar e-mails de propostas comerciais! Por um lado, se entende que muitas das propostas são ruins e fora do interesse do influenciador, porém no meio das mensagens que não interessam, podem estar boas propostas.

Se você é influenciador digital e recebe muitos e-mails com “propostas comerciais” tenha o trabalho de pelo menos, ler todos eles. Aí no meio do monte de propostas que não são atraentes pra você, estarão propostas boas. Não deixe dinheiro na mesa!

 

Errar na hora de passar orçamento para campanhas publicitárias

No começo, ninguém te procurava para fazer anúncios em seu canal. Com o passar do tempo ou “de repente” seu canal cresceu e agora muitas empresas e agências de publicidade andam atrás de você. Querem que você anuncie seus produtos e serviços. Mas, quanto cobrar e como cobrar?

O maior erro que você pode cometer nesse aspecto é supor um valor “porque sim” e passar ao anunciante. Um valor que saiu da sua cabeça porque você achou ele interessante. Não, não!

O que você deve fazer para cobrar de uma maneira mais adequada é ver qual ou quem é sua concorrência. Mas com concorrência, não nos referimos a outros canais iguais ao seu. Eles também podem estar cobrando errado. E você não precisa repetir a bobagem que eles fazem.

Para um anunciante, seu canal é um veículo de divulgação. Um meio em que ele vai divulgar produtos ou serviços. Eu te pergunto: onde mais ele pode anunciar produtos ou serviços, além de um canal do YouTube? Vamos a uma lista de opções? Veja:

  1. Ele pode anunciar no Google
  2. No Facebook
  3. No Linkedin
  4. No Instagram
  5. No Twitter
  6. No Bing
  7. Em blogs
  8. Na TV
  9. No rádio
  10. Em jornais

Está vendo como existe um montão de opções? Seu canal é mais uma delas. O anunciante geralmente considera quais são as melhores opções para anunciar entre as muitas que existem. Então seu principal concorrente não é outro canal parecido com o seu, mas sim outros meios de anúncio.

Então, o que você deve fazer é estudar como essas plataformas concorrentes cobram e se comportam, que resultados trazem entre outras coisas, para que você possa criar uma estratégia vencedora. Mas como fazer isso?

Vamos comentar, bem “por cima” como as plataformas de anúncios que mencionamos acima funcionam. Assim, você poderá pensar num plano de ação e vai ter argumentos para apresentar ao anunciante.

Geralmente, todas as plataformas de anúncios, com exceção dos jornais, TV, rádio e blogs, usam o método do “leilão de palavras-chave”. Esse leilão, que não é visível ao público, determina o valor de palavras que irão “ativar” um anúncio feito por uma empresa. Funciona mais ou menos assim:

Vamos supor alguém que queira anunciar um jogo de panelas. Lá no Google, por exemplo, ele terá que escolher quais palavras irão acionar o anúncio dele. Ou seja, por exemplo, se ele definir que o termo “jogo de panelas” acione seu anúncio, o Google irá verificar quantos outros anunciantes estão pedindo para usar esse mesmo termo. Entre todos os que estão usando o termo, o Google vai ver qual anúncio é o melhor, seguindo padrões de qualidade (que nem sempre são claros) internos. Assim, ele determina qual anúncio vai aparecer mais vezes e também o valor desse anúncio, afinal, se muita gente estiver usando o termo “jogo de panelas” para que o Google mostre todos os anúncios irá ter que cobrar mais caro, pois o anúncio em algum momento irá aparecer nas primeiras posições.

Dessa forma, hoje existem palavras-chave que “custam” entre R$0,01 e R$10,00 o clique ou muito, muito mais. Tudo depende de com esteja o mercado. Existem ferramentas que o Google disponibiliza para que um anunciante saiba mais ou menos o valor de uma palavra-chave e assim possa escolher as mais convenientes para seu anúncio.

Um detalhe: o anunciante só é cobrado quando alguém clica nelas em um anúncio. De outra forma, não há custos. Claro, a ideia é que o Google tente fazer com que as pessoas cliquem no anúncio o máximo possível, afinal, a ideia é ganhar dinheiro.

O anunciante pode determinar quais palavras irão ativar seu anúncio, dessa forma, segmentando bem quem vai ver esse anúncio. As outras plataformas funcionam de maneira muito parecida.

Então você deve saber que essa é sua concorrência. E você precisa saber se “vender” corretamente. Não existe uma fórmula que mostre quanto um anunciante precisa gastar no Google por exemplo, para ter bons resultados. Mas geralmente, quanto mais orçamento ele tiver para investir, melhores serão seus resultados, já que muita gente clica nos anúncios mas não compra nada.

Então, onde você como influenciador digital, ganha das plataformas de anúncios?

  1. Você fala para uma audiência cativa, que confia no que você diz. Seu poder de convencimento é muito maior que um simples texto de anúncio, com uma foto.
  2. Seu anúncio vai ser feito em um vídeo que vai ficar “para sempre” no seu canal, assim o anúncio vai ser permanente para o anunciante, mesmo depois que ele tiver terminado de te pagar. Nas plataformas quando acaba o orçamento, o anúncio desaparece.
  3. O produto ou serviço do anunciante é muito melhor visto num anúncio em seu canal. Você pode testar o produto, mostrar em detalhes as características dele e dar sua opinião e isso não tem anúncio “tradicional” que possa fazer.

Use esses argumentos quando estiver de frente para um anunciante (mesmo que for por meios online). Sobre o preço que você deve propor, leve em consideração o seguinte:

  1. O tamanho da sua audiência. Não falamos aqui de quantos inscritos e sim de quantas pessoas veem seus vídeos por mês. Faça uma média de quantas visualizações seus vídeos recebem por mês. Isso pode dar uma ideia ao anunciante de quantas pessoas irão ver o anúncio que você vai fazer.
  2. Seu nicho de atuação. Se você fala sobre algo muito especializado, como por exemplo, como investir em ações entre outros, você pode valorizar um pouco mais seu conteúdo e cobrar por isso. Pois seu público com certeza está muito “nichado” também e as possibilidades de que o anunciante tenha boas vendas com seu canal são altas.
  3. O preço que o anunciante em média teria que investir nas plataformas de anúncios. Faça uma simulação, crie uma conta no Google Ads e “brinque” de fazer simulações de campanhas. Veja quanto um anunciante gastaria para conseguir certo número de visualizações e cliques. Tudo vai depender também do valor do produto a ser anunciado, então sempre pergunte os preços dos produtos.
  4. Em vez de dar um valor “fechado” (cobrar valores fixos, por exemplo) você pode dizer que cobra por visualização. Isso vai parecer mais atraente para o anunciante, tenha a certeza disso. Experimente cobrar valores entre R$0,05 e R$0,08 por visualização. Faça as contas. Um canal com 100 mil visualizações médias por vídeo, que cobre 5 centavos por visualização, irá receber R$5.000,00. Claro, existem fatores que podem aumentar esse valor, por exemplo se seu canal for de um nicho pouco explorado no YouTube. Além disso, cobrando “por visualização” seu anunciante vai se sentir mais seguro, pois um grande medo que eles têm é que seu anúncio seja colocado num vídeo que poucas pessoas viram e ter pagado “caro” por isso.

Esperamos que essas dicas te ajudem a lidar melhor com seu canal, que agora é grande. Muito sucesso pra você!

Ah, e se quiser apoio profissional para seu canal, CLIQUE AQUI e conheça nossos serviços.

marketing de influencia

Influenciadores digitais: Mega, Macro, Micro ou Nano saiba quem é quem

Com o mercado de influenciadores de mídia social definido para valer quase US $ 14 bilhões até 2020 , podemos atualmente classificar esses profissionais em categorias; mega influenciadores, macro influenciadores, micro influenciadores e nano influenciadores – e embora pareça que a distinção entre essas quatro categorias é apenas o tamanho de seus seguidores, as diferenças vão muito além. E se você está procurando mergulhar no lucrativo mundo do marketing de influenciadores, conhecer a diferença entre um mega influenciador de um nano influenciador é absolutamente essencial.

 

O que é um Mega Influenciador?

Mega influenciadores são a categoria mais alta de influenciador de mídia social, eles normalmente têm mais de um milhão de seguidores. Gil Eyal, CEO e fundador da HYPR Brands , disse que os mega influenciadores “costumam ser mais famosos do que influentes. Muitas vezes, eles têm um público muito diversificado com diferentes tópicos de interesse. Seus relacionamentos com os membros individuais de seus seguidores tendem a ser mais distantes. Eles não são necessariamente especialistas no assunto, mas definitivamente fornecem muito alcance em um único sucesso. ” Eyal disse.

Se você está procurando um exemplo de mega influenciador, pense em alguém como  Whinderson Nunes por exemplo.

 

Sua marca deve usar um mega influenciador para suas campanhas?

Por terem um número de seguidores substancialmente grande, os mega influenciadores fornecem às marcas um alcance notavelmente maior, mas a um custo muito alto. No momento em que este artigo foi escrito, a celebridade empreendedora Kylie Jenner cobra US $ 1 milhão por postagem de mídia social patrocinada. “A vantagem dos [megainfluenciadores] é que eles dão a você a maior quantidade de exposição e geralmente estão acostumados a trabalhar com marcas e empresas em campanhas de divulgação de influenciadores. No entanto, eles geralmente são mais caros do que outros tipos de influenciadores ”, explicou John Huntinghouse, diretor de marketing digital da Epic Marketing .

Huntinghouse também observou que os mega influenciadores não têm “poder de influenciador de conversão real” devido ao fato de seus seguidores serem tão diversos demograficamente e psicograficamente. Ele mencionou que os mega influenciadores são mais adequados para as campanhas de marketing do topo do funil que promovem produtos que atraem as massas.

Isso é algo que você deve levar em conta na hora de escolher um mega influenciador. Se seu produto pode ser consumido pelas pessoas em geral, é uma boa ideia procurar os grandes, mas se seu produto é de nicho, talvez você deva considerar as outras categorias de influenciadores. Claro, existem grandes influenciadores de nicho, que podem te atender muito bem também.

Top 10 celebridades que mais cobram por posts no Instagram (fonte: Techtudo)

  1. The Rock (Dwayne Johnson): 188 milhões de seguidores – US$ 1.015 milhão (R$ 5,4 milhões)
  2. Kylie Jenner: 183 milhões de seguidores – US$ 986 mil (R$ 5,2 milhões)
  3. Cristiano Ronaldo: 227 milhões de seguidores – US$ 889 mil (R$ 4,7 milhões)
  4. Kim Kardashian: 177 milhões de seguidores – US$ 858 mil (R$ 4,5 milhões)
  5. Ariana Grande: 193 milhões de seguidores – US$ 853 mil (R$ 4,5 milhões)
  6. Selena Gomez: 181 milhões de seguidores – US$ 848 mil (R$ 4,5 milhões)
  7. Beyoncé: 149 milhões de seguidores – US$ 770 mil (R$ 4,1 milhões)
  8. Justin Bieber: 140 milhões de seguidores – US$ 747 mil (R$ 3,9 milhões)
  9. Taylor Swift: 135 milhões de seguidores – US$ 722 mil (R$ 3,8 milhões)
  10. Neymar Jr.: 139 milhões de seguidores – US$ 704 mil (R$ 3,7 milhões)

O que é um macro influenciador?

Os macro influenciadores estão um degrau abaixo dos mega influenciadores. Uma maneira de identificar um macro influenciador é pela contagem de seguidores, que deve ficar entre 100.000 e um milhão de seguidores. “Seu macro influenciador médio fica em algum lugar entre micro e mega. Não há ciência exata diferenciando essas categorias ”, explicou Deepak Shukla, fundador do PearlLemon.

“Ao contrário da maioria dos mega influenciadores, os macro influenciadores geralmente ganharam fama por meio da própria internet, seja por meio de vlogs ou pela produção de conteúdo engraçado ou inspirador”, continuou ele.

A sua marca deve alavancar um macroinfluenciador?

Se você está procurando atingir um determinado tipo de cliente, mas ainda deseja atingir as massas, um macroinfluenciador pode ser mais útil do que um megafluenciador. “Se você deseja atingir um amplo grupo demográfico – como mulheres jovens – um macroinfluenciador é provavelmente o caminho a percorrer”, disse Shukla.

 

O que é um micro influenciador?

Um micro influenciador é alguém que tem entre 1.000 a 100.000 seguidores. Os micro influenciadores se concentram em um nicho ou área específica e geralmente são considerados especialistas do setor ou de tópico. “[Micro influenciadores] têm relacionamentos mais fortes do que um influenciador típico. Isso geralmente é motivado por sua percepção como formador de opinião sobre [a] um determinado assunto. Um microinfluenciador, ao contrário de uma celebridade ou influenciador regular, geralmente tem um público muito uniforme ”, disse Gyal.

Empresas de tecnologia, incluindo Adobe e Squarespace, são bem conhecidas por se engajarem em campanhas de marketing de microinfluenciadores.

A sua marca deve procurar um micro influenciador?

Micro influenciadores têm uma base de seguidores comparativamente menor e não costumam se orgulhar do status de celebridade. Por causa disso, as marcas podem contar com o interesse de seus seguidores no que quer que tenha tornado o micro influenciador “famoso na Internet”.

Shukla ressaltou a relevância desse ponto: “Se um micro influenciador ganhou um número considerável de seguidores por meio de vlogs de viagens, essa é a opção ideal para uma agência de viagens ou companhia aérea”, disse Shukla.

Huntinghouse também destacou que os micro influenciadores geralmente custam muito menos do que os macro influenciadores. “[Micro influenciadores] normalmente oferecem o melhor retorno para seu investimento. Eles têm seguidores, mas normalmente não cobram a mesma taxa que aqueles que têm mais seguidores. ”

Sempre analise o engajamento que um micro influenciador tem.

O que é um Nano influenciador?

Os nano influenciadores são uma espécie relativamente nova de influenciadores. Eles tendem a ter um número menor de seguidores em comparação com micro influenciadores, menos de 1.000 seguidores. “[Um nano influenciador é] alguém que tem influência em sua comunidade. Seria alguém que tem influência na vizinhança ou comunidade local. Alguns exemplos podem ser um pastor local, líder da comunidade local ou líder do governo local ”, disse Huntinghouse.

A ideia por trás dos nano influenciadores, conforme observado por Gyal, é fazer com que “pessoas comuns do dia a dia” influenciem o produto ou serviço de uma marca para seus amigos e familiares. Na maioria das vezes, isso pode ser obtido por meio de conteúdo gerado pelo usuário.

A sua marca deve trabalhar com um nano influenciador?

Um dos benefícios de utilizar nano influenciadores é que eles têm o mais alto nível de engajamento. Por causa disso, muitas marcas começaram a dar maior enfoque aos nano influenciadores. “Marcas representadas por nano influenciadores são frequentemente consideradas mais autênticas, dada a maior probabilidade de que o nano influenciador tenha um relacionamento na vida real com a maioria de seus seguidores”, compartilhou Mike Lu, CEO da Triller .

Mas, apesar dos altos níveis de envolvimento, o tamanho de público típico de um nano influenciador não permite um grande alcance. “A principal [desvantagem] de trabalhar com nano influenciadores [é] o tamanho do público. Para grandes e ambiciosas campanhas de mídia social, você terá que procurar mais conexões e fazer mais pedidos, o que é uma tarefa demorada ”, disse Pilkington.

Como escolher o influenciador de mídia social certo

Se você ainda está procurando orientação sobre como escolher a melhor categoria de influenciador de mídia social, você pode querer prestar atenção nas palavras de Joe Sinkwitz, CEO da Intellifluence . “Em geral, é preciso entender que quanto maior o público, menos focado provavelmente será e, portanto, mais ampla provavelmente terá de ser a oferta. Não é por acaso que encontramos celebridades no Instagram vendendo suplementos dietéticos de chá verde, que têm um apelo amplo, ao invés de algo extremamente específico. [É por isso que] produtos de apelo geral, celebridades e influenciadores maiores são ótimos ”, disse Sinkwitz.

O fato é que existe um lugar ao sol para todo tipo de influenciador digital. E uma campanha também!

Precisa de ajuda com sua carreira de influenciador? CLIQUE AQUI

 

 

Fonte: https://www.cmswire.com/

social-media

O que é marketing de influência?

Marketing de influência ou como as pessoas “chiques” gostam de falar “influencer marketing” é uma estratégia cada vez mais falada entre profissionais de marketing.

E o marketing e a publicidade nos cercam literalmente em todos os lugares, portanto, não é de admirar que as pessoas estejam tentando evitar anúncios e ignorar chamadas de ação irritantes. Mas os negócios precisam de promoção, e é por isso que as empresas precisam encontrar maneiras novas e mais naturais de atrair a atenção das pessoas.

O marketing de influência é o que realmente funciona hoje em dia. Não é isso quando uma celebridade atua em um comercial. É quando um formador de opinião fala aos seus seguidores sobre algo que eles realmente poderiam estar interessados.

De acordo com as estatísticas recentes de marketing de influenciadores, 60% dos consumidores fazem suas compras por recomendações nas redes sociais. Impressionante, não é?

O que é marketing de influenciador?

Um influenciador é uma pessoa que usa plataformas sociais ativamente e tem um certo escopo de interesses. Podem ser blogueiros, jornalistas, celebridades ou outras pessoas que possuem um grande número de seguidores. Além disso e principalmente, são pessoas que influenciam grandes grupos de pessoas com o conteúdo que postam online.

Portanto, marketing influenciador é uma estratégia usada na  publicidade em que a promoção de uma marca é mantida com a ajuda de pessoas que têm influência nas redes sociais.

Usando o marketing de influenciador, você pode atingir tais objetivos, como:

  • aumentar o conhecimento da marca;
  • lealdade crescente;
  • criação de conteúdo exclusivo;
  • atrair um novo público;
  • obter feedback honesto.

Que tipos de influenciadores existem?

Existem 3 tipos principais de influenciadores:

  • Microinfluenciadores  (menos de 1000 a 100 mil seguidores)
  • Macro influenciadores (100 mil a 1 milhão de seguidores)
  • Mega influenciadores (mais de 1 milhão de seguidores)

O principal fator a favor do marketing de influência é que os blogueiros não são apenas pessoas que executam estritamente a tarefa. Os influenciadores são os melhores criadores de conteúdo. Com a ajuda deles, você pode realizar uma campanha de uma forma muito inovadora e incomum. Vejamos como e por que esse tipo de publicidade funciona.

5 motivos pelos quais o marketing de influência funciona

1. Influenciadores de confiança dos consumidores

A confiança é uma das coisas mais essenciais para o sucesso de qualquer campanha. É melhor e mais fácil para as pessoas comprarem novos produtos ou serviços quando você vê que outras pessoas os usam, especialmente aqueles em quem você confia.

O marketing de influência é uma demonstração visual de como funciona. De acordo com uma pesquisa, 88% dos consumidores confiam nas recomendações online tanto quanto nas pessoais , e isso é comprovado por altos ROIs .

2. Influenciadores criam conteúdo de qualidade

Influenciadores são pessoas que definitivamente sabem como chamar a atenção de seu público. Por isso, nem precisa pensar em como seria melhor apresentar seu produto, serviço ou evento ao público. Os criadores de conteúdo farão tudo por conta própria com base em sua experiência prática e revelarão seu produto da melhor maneira possível.

E sabe de uma coisa? Trabalhando com diferentes influenciadores, você obterá uma série de novas abordagens eficazes para publicidade. Um bom bônus, certo?

3. O marketing de influência não sofre com o bloqueio de anúncios

De acordo com o PageFair, 615 milhões de pessoas usam aplicativos Adblock. Mas as pessoas não podem bloquear a postagem de um blogueiro, mesmo que seja de natureza promocional. Além disso, eles nem vão pensar nisso – porque as postagens de influenciadores são interessantes para eles. Eles vão ler, discutir e se envolver.

E é uma das maiores vantagens do marketing de influenciador.

4. O marketing de influenciadores fornecerá percepções preciosas sobre seus consumidores e suas necessidades

Ao cooperar com os criadores de conteúdo, você sempre obtém feedback na forma de curtidas, compartilhamentos e comentários dos usuários. Às vezes, os influenciadores podem dar suas próprias dicas e ideias para uma melhor cooperação futura.

E isso pode ser extremamente benéfico para uma empresa. Em vez de gastar muito tempo e dinheiro para obter o feedback real do mercado, aqui você o obtém instantaneamente. Você verá o que as pessoas realmente pensam sobre seu produto, seus recursos, prós e contras – e usará esses insights para marketing, vendas e desenvolvimento de produtos.

influenciadores toxicos

YouTubers tóxicos: como não ser esse tipo de babaca

A internet “democratizou” as ideias. Hoje em dia, qualquer pessoa pode expor o que pensa, seja nas redes sociais, plataformas sociais, websites, fóruns e outros. O problema é que essa mesma liberdade também criou locais tóxicos, em que as pessoas destilam seu desprezo e ódio por coisas, pessoas ou causas que elas não aprovam, por motivos justos ou não.

No artigo de  hoje, que realmente tem um título um pouco forte, vamos mostrar pra você primeiramente alguns exemplos de YouTubers tóxicos, sem citar nomes de canais (gente tóxica não merece ser divulgada), os prováveis motivos para eles serem assim e a razão pela qual você não deve imitá-los.

O que seria um YouTuber babaca digo, tóxico?

Pessoas tóxicas são aquelas que sempre criam problemas, por serem muito críticas sobre algum assunto, fazerem comentários maldosos, espalharem intrigas e mentiras. Geralmente, são pessoas que estar em sua presença é sempre tenso, porque você não sabe o momento em que ela vai atacar a você ou a outra pessoa.

No YouTube encontramos milhares de canais que têm essas características. São canais de todo o porte. E de vários nichos. Geralmente, os canais que abordam temas em que existem “lados opostos” exploram muito o uso de conteúdo tóxico, como canais de opinião política e de “console wars”.

Exemplo de vídeo tóxico

Um certo canal “gamer” que está em fase de crescimento promove a famosa “guerra de consoles”. Esse tipo de abordagem em si, já não é agradável, porém em última análise, quando um canal é “partidário” de um certo console e se dedica a mostrar novidades sobre o console, notícias em geral sobre ele e de vez em quando fazer um comparativo com o concorrente, isso seria muito mais saudável.

Porém esse canal (que poderia ser muitos, mas não vamos mencionar o nome), costuma fazer vídeos em que ofende diretamente ao público. Em um de seus vídeos, o título era algo como “Se você comprou o console tal, você é um idiota”. E no vídeo ele tenta provar com meias verdades, que o console em questão não roda games em 1080p e sim numa definição que “somente as TVs de tubo, antigas, poderiam rodar”, informação que é facilmente derrubada, quando fazemos uma análise do console que foi alvo de ataques.

Você percebeu o que houve?

No título, ele já ataca a um público e no conteúdo do vídeo ele ataca a um produto de maneira injusta. Tudo isso na busca da audiência!

Recentemente um canal que fazia uma abordagem parecida foi banido do YouTube. Esse que mencionamos parece que está no caminho também.

Porque canais do YouTube tóxicos fazem sucesso?

Você deve se lembrar de sua época da escola, de quando duas pessoas iam “brigar”? Esperamos que você não tenha estudado em um local onde havia isso, mas infelizmente em escolas, principalmente entre adolescentes, acontece muito. Duas pessoas começam a brigar e a se agredir fisicamente, logo depois da saída da escola. Ao redor da briga, uma multidão de crianças e adolescentes acompanham o conflito.

As pessoas gostam de acompanhar uma briga! Por isso que canais de “tretas” no YouTube fazem tanto sucesso. Além disso, quando se fala em algo que desperta uma paixão e quase uma idolatria por parte de um grupo ou de grupos opostos, fica fácil instigar um grupo contra o outro e com isso atrair seguidores.

São influenciadores que vivem do caos. Eles precisam que exista uma briga, dois lados opostos dos quais ele quer fazer de tudo para humilhar e atacar o “inimigo” para chamar a atenção de outros que são adeptos do mesmo pensamento,  também até mesmo de muitos que estão do outro lado, sendo atacados, que irão até os vídeos do canal para se defender e estabelecer uma verdadeira guerra de comentários. E com isso, o vídeo e o canal do influenciador tóxico vai ganhando engajamento.

Não vale a pena ser um YouTuber babaca, digo tóxico!

É verdade que começar uma briga em dois lados pode gerar muita audiência para seu canal. Mas não é uma maneira sadia de se comunicar e influenciar pessoas. Se alimentar do ódio alheio é péssimo para sua reputação, pode afastar possíveis anunciantes (você pode perder dinheiro) e criar uma fama de babaca. Sim, babaca mesmo.

Além disso o YouTube tem políticas contra assédio moral. Veja o que o YouTube diz:

Não é permitido publicar no YouTube conteúdo que ameace pessoas. Também não permitimos conteúdo que persiga um indivíduo com insultos contínuos ou maliciosos com base em características intrínsecas. Por exemplo, incluindo o fato de pertencer a um grupo protegido ou os atributos físicos.

Se você encontrar conteúdo que viola esta política, faça uma denúncia. Acesse este link para ver instruções sobre como fazer isso. Se você quiser denunciar vários vídeos ou comentários, é possível denunciar o canal. Para ver dicas e práticas recomendadas para sua segurança, para manter sua conta segura e para proteger sua privacidade, consulte este artigo da Central de Ajuda.

Se você receber ameaças específicas e sentir que sua segurança está em risco, denuncie diretamente ao órgão local responsável pelo cumprimento da lei.

O que esta política significa para você

Se você envia conteúdo

Não publique no YouTube conteúdo que se encaixe em alguma das descrições abaixo.

  • Conteúdo que tenha insultos prolongados ou maliciosos (por exemplo, gírias ofensivas a etnias) com base nas características intrínsecas de alguém. Isso inclui o fato de pertencer a um grupo protegido, traços físicos, a condição de sobrevivente de abuso sexual, violência doméstica, abuso infantil etc.
  • Conteúdo que tenha o objetivo de humilhar, enganar ou insultar menores de idade. Um menor é um indivíduo que ainda não alcançou a maioridade legal. Na maioria das regiões, essa definição se aplica a pessoas com menos de 18 anos.

Monetização e outras penalidades

Em alguns casos raros, podemos remover o conteúdo ou aplicar outras penalidades quando o criador de conteúdo:

  • incentiva repetidamente o público a ter comportamento abusivo;
  • envia com frequência vídeos que insultam e assediam um indivíduo identificável com base nas características intrínsecas dele;
  • expõe um indivíduo a riscos ou perigo físico com base no contexto político ou social do local;
  • cria conteúdo que afeta negativamente a comunidade do YouTube, incitando a hostilidade entre criadores de conteúdo com o objetivo de receber ganhos financeiros pessoais.

fonte: https://support.google.com/youtube/answer/2802268?hl=pt-BR

 

Se você tem um canal tóxico ou pretende ter um, desejamos do fundo do coração que seu canal fracasse. Além disso, não nos procure, procure em lugar disso um psiquiatra, porque você precisa de um urgente.

Agora se você quer fazer o correto, com bom conteúdo, vamos conversar! CLIQUE AQUI e conheça nosso serviço de assessoria para YouTubers, o mais completo do Brasil!