3valetudo

Pra ser famoso no YouTube, vale tudo?

Uma vez perguntamos a um adolescente iniciante no YouTube: você faria qualquer coisa para ser famoso no YouTube? Ele respondeu que sim, talvez sem pensar no peso da pergunta feita a ele. O desejo de ser famoso muitas vezes faz com que as pessoas procurem os “meios necessários” para conseguir o que se quer. E às vezes isso vai longe demais.

Nesse artigo, vamos te mostrar porque ir longe demais muitas vezes não vale a pena. Por exemplo, não precisa fazer como o Lejaden fez, numa live em que ele literalmente, leu um dicionário de português INTEIRO:

 

Aliás esse menino tem muita paciência mesmo viu…Nessa outra live ele quis “mandar um salve” para TODAS AS CIDADES DO BRASIL:

Bom, nesses casos, apesar da “loucura”, o rapaz desse canal atualmente tem mais de 53 mil inscritos e os vídeos dele têm boa audiência. No YouTube você pode encontrar qualquer tipo de vídeo com pessoas fazendo de tudo pra chamar sua atenção.

Mas até aí, apesar da loucura de vídeos com desafios que envolvem fazer coisas extremamente demoradas (há um vídeo que encontramos em que um sujeito supostamente esvaziou uma piscina com um pano, embebendo o pano com a água da piscina e torcendo o pano do lado de fora) há outras pessoas que decidem fazer coisas que põem em risco as próprias vidas ou a de outras pessoas, ou chegam perto de cometerem atos ilegais (como um grupo que quis entrar numa delegacia vestidos como os da série “La casa de papel”) entre outras coisas. Será que existe um limite pra tudo isso?

Qual o limite para se criar um vídeo no YouTube?

O limite é a vida e o bem estar próprio e alheio. Uma coisa que você deveria saber é que a maioria dos vídeos com supostos desafios “extremos” são absolutamente falsos. Então faça-se um favor: não acredite na maioria dos vídeos de desafios que estão no YouTube. Eles são cuidadosamente pensados para que o público pense que a pessoa passou por um grande perigo, colocou a vida de um animal em perigo, teve uma grande aventura ou até que cometeu um crime.

O problema de se produzir esse tipo de conteúdo é que nem todo mundo sabe que eles são falsos. E com isso, muita gente que está começando no YouTube pode e muitas vezes pensa, que para se conseguir uma boa audiência é válido fazer esse tipo de conteúdo. Mas o ponto é que, como eles não sabem que se trata de conteúdo falso, eles tentam reproduzir esse tipo de conteúdo, de verdade.

E isso já custou a vida de pessoas. Faz um tempo um adolescente se matou, ao vivo durante uma transmissão online, tentando fazer um desafio. Pode parecer que é fácil fazer certos “desafios” porque existem muitos vídeos de pessoas que parece que os fizeram sem problemas. Só que na verdade, muitos deles nunca aconteceram, realmente, não passando de pura encenação.

Num passado não muito distante, crianças e adolescentes no YouTube eram frequentemente “desafiados” a fazerem desafios em que tinham que tirar toda a roupa e sair correndo em algum local. Esses vídeos davam realmente muita audiência aos canais deles, porém a maioria eram de adultos que tinham segundas intenções com essas crianças. O YouTube inclusive, por causa desse tipo de situação teve que limitar os canais infantis para não permitir comentários.

Recomendações de segurança para criação de conteúdo no YouTube (e fora dele)

  • Nunca coloque a vida de animais em risco. Nada de fazer vídeos queimando coisas perto de animais ou em animais. Nem nada que possa colocar a vida deles em risco, como colocá-los em locais perigosos por exemplo).
  • Jamais aceite desafios que incluam a ingestão de produtos que não são alimentos (detergentes, combustíveis etc).
  • Não aceite fazer vídeos em que você tem que ingerir algum alimento em grandes quantidades. Por exemplo, há vídeos em que a pessoa consome grandes quantidades de sal, açúcar, canela em pó entre outras coisas que em grande quantidade, podem trazer problemas de saúde.
  • Nunca faça vídeos em que você se expõe fisicamente. Primeiro porque você ao fazer isso, está se colocando em perigo e depois porque esse tipo de conteúdo pode eliminar seu canal. O YouTube não permite esse tipo de conteúdo.
  • Não coloque sua vida em risco. Não tente fazer vídeos em que você terá que fazer algo arriscado, como “se mandar pelo correio”, invadir locais e coisas assim. A maioria dos vídeos que você vê são todos falsos, feitos para ganhar sua audiência.
  • Nunca coloque a vida de outras pessoas em risco. Portanto, não faça “trollagens” que envolvam prejudicar alguém, principalmente ao ponto de por essas pessoas em risco. Um exemplo disso são trollagens em carros alheios, em que uma pessoa substitui peças do carro e coisas assim.
  • Se você é criança, sempre grave na presença de um responsável adulto.

Portanto, não vale tudo, na hora de ter sucesso com YouTuber. Existem coisas que você deve por em primeiro lugar, como sua vida, sua dignidade e a dos demais também.

Quer ajudar profissional pra sua carreira? CLIQUE AQUI.

 

social-media

5 falhas em campanhas de marketing de influenciador, com as quais você pode aprender

Para empresas que buscam atingir um público mais amplo, o marketing de influenciador se tornou uma tática popular. Pode ajudar as empresas a construir uma imagem de marca positiva e até aumentar as vendas. Se bem feitas, as campanhas de marketing de influenciador podem gerar um ROI incrível.

Apesar do imenso potencial que possui, as marcas precisam ter cuidado ao colaborar com influenciadores. Para que uma parceria funcione com sucesso com um influenciador, visão compartilhada, respeito e comunicação aberta são cruciais.

Muitas campanhas de marketing de influenciadores fracassam porque esses requisitos não são atendidos. À medida que mais marcas procuram explorar o marketing de influenciadores, é importante proceder com algum cuidado.

Neste artigo, vamos dar uma olhada em algumas das falhas do marketing de maior influenciador. Aprenda com os erros deles para que você não tenha que queimar os dedos ao lidar com influenciadores.

Curioso para descobrir quais são essas falhas? Continue lendo…

O marketing do influenciador falha no. 1: Não cumprindo as regras

Marcas e influenciadores precisam agir com responsabilidade ao promover um produto. Isso é especialmente verdadeiro se o produto envolvido for um medicamento ou droga que pode causar efeitos colaterais de longo prazo nos consumidores. Se as regras e regulamentos não forem atendidos, pode haver um alto preço a pagar.

Um dos influenciadores de mídia social mais bem pagos, Kim Kardashian, negligenciou as regras ao fazer parceria com Duchesnay. Ela postou uma selfie no Instagram promovendo seu remédio para enjôo matinal, o Diclegis.

Não cumprir as regras O marketing de influenciador falhaImagem via Instagram

Sua postagem chamou a atenção do FDA (que é um órgão do governo americano que regula remédios e alguns alimentos) e eles se opuseram à falta de equilíbrio entre riscos e benefícios mencionados em sua postagem.

Eles exigiram que a postagem refletisse com precisão as limitações e os riscos do medicamento. O FDA alertou que Duchesnay enfrentaria ações regulatórias se o conteúdo não fosse corrigido ou removido.

Em seguida, Kim Kardashian removeu a postagem. Ela seguiu com outro post em que acrescentou os riscos envolvidos no uso de Didegis.

Por causa disso, a campanha de marketing do influenciador atraiu muita publicidade negativa para a marca e para o influenciador. Para evitar isso, é melhor divulgar todos os efeitos colaterais de um produto claramente. Isso é especialmente verdadeiro para medicamentos e drogas que podem causar danos a longo prazo à saúde dos consumidores.

Então, o que você pode fazer para evitar isso?

Trabalhe com influenciadores autênticos e experientes, com uma história conhecida de colaborações de marca bem-sucedidas.

O marketing do influenciador falha nº 2: usando táticas dissimuladas

Todo mundo sabe que ser abertamente promocional não funciona bem na indústria de marketing de influenciadores. Mas o oposto também é verdadeiro. Usar táticas de publicidade dissimuladas pode parecer pouco autêntico.

Tomemos, por exemplo, a campanha de marketing global da Snickers. Por anos, Snickers tem usado o slogan “Você não é você quando está com fome”. Em 2012, quando colaboraram com Katie Price e Ian Botham (dois famosos da Inglaterra, a primeira é uma modelo  e o segundo um famoso comentarista), decidiram usar seu significado literal para promover sua marca.

A maioria das postagens anteriores de Katie Price no Twitter eram apolíticas, com foco principalmente em moda. Para a campanha, ela começou a postar tweets envolvendo política e economia.

Da mesma forma, Ian Botham, cujos tweets giravam em torno do críquete, começou a twittar sobre aprender violoncelo. Seus tweets atraíram muito interesse no Twitter.

Usando táticas secretas, o marketing de influência falhaImagem via Twitter

Eles conseguiram chamar a atenção com esses tweets porque pareciam fora do personagem. Algumas pessoas também especularam que suas contas podem ter sido hackeadas. Depois de uma série de tweets, eles revelaram o que estava acontecendo.

Os dois postaram uma foto com uma barra de chocolate Snickers com a legenda: “Você não é você quando está com fome”. Como essas postagens não eram muito divulgadas sobre sua natureza publicitária, algumas pessoas questionaram sua legitimidade.

Em seguida, a Advertising Standards Agency do Reino Unido realizou uma investigação nesta campanha publicitária. Embora a campanha tenha sido cancelada, a imagem pública da marca e dos influenciadores foi prejudicada.

O que você pode fazer?

Conheça bem seu público, seus dados demográficos e seus interesses. Com base nisso, personalize sua campanha de marketing de influenciador. Dessa forma, você pode estabelecer uma melhor conexão com o seu público.

 

Falha de marketing do influenciador nº 3: instruções para copiar e colar acidentalmente

O marketing de influenciadores pode ser complicado. Enquanto os influenciadores estão promovendo marcas, a parceria precisa ser percebida como genuína para seus seguidores. Se parecer encenado, pode ser contraproducente.

Bootea, uma marca que vende produtos de fitness e desintoxicação, teve que aprender da maneira mais difícil. Eles fizeram parceria com Scott Disick, que é famoso por sua aparição em um  reality show das Kardashians.

Em uma gafe constrangedora, Scott copiou as instruções da empresa para ele diretamente em seu post no Instagram. A legenda revelou que a marca deu a ele todos os detalhes perfeitamente, incluindo a legenda e a hora do post.

Falha ao copiar e colar acidentalmente as instruções do influenciador de marketing

Pensando que pode ser um caso único?

Não, não foi a única vez que essa falha de marketing de influenciador aconteceu. A supermodelo Naomi Campbell postou uma foto no Instagram com um par de tênis Adidas. Na seção de legenda, ela se esqueceu de editar as instruções da equipe de marketing da Adidas.

Falha no marketing do influenciador de KardashiansImagem via CheatSheet

Ambas as campanhas de marketing de influenciador sofreram por causa de um erro embaraçoso. Os seguidores zombaram tanto das marcas quanto dos influenciadores por causa dessa idiotice.

Então, o que você pode aprender com a falha do marketing de influenciador? Você deve dar aos seus influenciadores mais liberdade criativa. Em vez de dizer a eles o que escrever e quando postar, confie que eles farão bem o seu trabalho.

Ao fazer isso, você evitará muitos problemas. Isso pode evitar que sua marca seja vítima desse tipo de erro de copiar e colar.

Falha de marketing do influenciador nº 4: aparecendo como insensível

Tenha cuidado se estiver planejando criar sua campanha de marketing de influenciador em torno de uma causa social importante. Você precisa abordar o problema com sensibilidade.

Se sua campanha parecer indiferente ao problema ou pior, banalizá-lo, você pode prejudicar seriamente a imagem de sua marca.

Falhas no marketing de influenciador insensívelImagem via Rolling Stones

O comercial da Pepsi de Kylie Jenner pretendia mostrar a diversidade global. No entanto, a campanha afetou o público de maneira errada.

No anúncio, Kylie foi vista se juntando ao protesto Black Lives Matter. Quando a polícia foi enviada para controlar o protesto, Kylie ofereceu a eles uma Pepsi. Esta cena foi a recriação de um fotógrafo icônico que mostrou Leshia Evans confrontando a polícia no protesto de Baton Rouge.

Esta campanha recebeu muitas críticas por banalizar o protesto. Entre os que criticaram a campanha estava Bernice King, filha de Martin Luther King Jr.

Em um tweet sarcástico, ela escreveu: “Se ao menos papai soubesse sobre o poder de #Pepsi.” Seu tweet recebeu 147 mil retuítes e mais de 278 mil curtidas. A seção de comentários estava cheia de pessoas pedindo para que o anúncio fosse removido.

A Pepsi enfrentou muito calor por causa dessa polêmica. Percebendo sua gafe, Pepsi se desculpou publicamente no mesmo tópico do Twitter. Em seguida, eles removeram o anúncio e interromperam sua distribuição.

Não apenas as marcas, mas até os influenciadores precisam ter cuidado com o tipo de conteúdo que postam. Se você está abordando uma questão social, deve certificar-se de mostrar respeito a todos.

Se você está usando o humor, precisa ser duplamente cuidadoso. Você não pode estar fazendo piadas à custa de desrespeitar alguém.

YouTuber sueco, PewDiePie, que tem mais de 53 milhões de assinantes, se envolveu em uma grande polêmica por causa de uma situação semelhante.

Em seus primeiros dias, ele costumava postar vídeos de si mesmo jogando videogame enquanto comentava. No entanto, mais tarde ele passou a cobrir outros tópicos de natureza controversa.

O marketing sueco do influenciador do YouTuber PewDiePie falhaImagem via YouTube

Em 2017, ele carregou um vídeo onde fazia piadas e comentários anti-semitas. No vídeo, dois cingaleses podem ser vistos segurando um cartaz que diz: “Morte a todos os judeus”.

Ele revelou que contratou os dois homens para fazer essa tarefa usando a plataforma freelancer Fiverr por $ 5 dólares. O objetivo era mostrar como você pode usar a Internet para fazer qualquer coisa por um preço baixo. No entanto, as pessoas ficaram chateadas com os comentários anti-semitas e piadas nazistas que ele fez no vídeo.

entrevista com Business Insider Influencer Marketing FailsImagem via Tumblr

Após este incidente, o YouTube removeu seu nome de sua lista de preferências. O YouTube Red, na época, um serviço premium, também cancelou a segunda temporada de seu programa em sua plataforma. Até a Disney, a empresa-mãe da Maker Studios, decidiu romper os laços com ele.

Em uma entrevista ao Business Insider , uma porta-voz da Maker Studios disse que seus vídeos eram inadequados.

“Embora Felix (PewDiePie) tenha criado seguidores por ser provocador e irreverente, ele claramente foi longe demais neste caso e os vídeos resultantes são inadequados. A Maker Studios decidiu encerrar nossa afiliação com ele daqui para frente ”, disse ela.

Mais tarde, ele emitiu um esclarecimento no Tumblr, mas o dano à sua reputação já estava feito. Por causa de comentários ofensivos, ele perdeu colaborações com grandes empresas.

Então, o que podemos aprender com essas falhas de marketing de influenciador?

Antes de colaborar com um influenciador, verifique sua reputação na mídia social. Faça uma verificação completa dos antecedentes e verifique o tipo de conteúdo que eles postam. Se eles postarem conteúdo que possa prejudicar a reputação da sua marca, é melhor ficar longe dessa colaboração.

As marcas também precisam ser mais politicamente conscientes e conscientes sobre suas campanhas de marketing de mídia social. É ótimo defender uma causa, mas apenas se for feito com bom gosto. Qualquer campanha de mídia que envolva questões sociais e políticas deve ser tratada com sensibilidade.

Se você promover conteúdo depreciativo ou menosprezar uma causa, você pode cair em uma sopa. É difícil se redimir depois de atrair publicidade negativa, portanto, certifique-se de que suas campanhas sejam criteriosas.

Falha de marketing de influenciador nº 5: não estar preparado

Pode ser difícil prever o tipo de resposta que sua campanha de marketing pode gerar. Mas é sempre melhor estar preparado para uma boa resposta. Você não fica aquém das promessas que fez no início da campanha.

Por exemplo, veja o que aconteceu com o Festival Fyre. O festival baseado nas Bahamas foi promovido como um festival de música de luxo. Os organizadores do evento prometeram acomodações luxuosas e culinária requintada.

Ja Rule e Kylie Jenner estavam entre os principais influenciadores associados à publicidade do evento. Os preços dos ingressos subiram para US $ 12.000 e os fãs tinham grandes expectativas em relação ao festival.

Embora as promoções parecessem atraentes, a realidade era totalmente diferente. Havia tendas comuns para a estadia e o almoço incluía torradas simples e queijo. Os visitantes, insatisfeitos com os arranjos, recorreram às redes sociais para desabafar.

Os organizadores tiveram que devolver muitos ingressos, pois não havia providências adequadas para os que ainda estavam por chegar. Todos os voos de ida para a ilha Exuma, onde o festival estava ocorrendo, foram cancelados. Aqueles que queriam sair da ilha também tiveram que esperar horas por causa da pressa repentina.

Esse tipo de inconveniência para seus visitantes ou clientes invariavelmente os deixará desapontados.

Mas, como você pode evitar isso?

A melhor maneira de evitar isso é planejar sua campanha minuciosamente. Não exagere apenas para atrair consumidores.

Conheça a sua capacidade e, em seguida, decida quais são as metas realistas a cumprir. Prepare-se com antecedência para que sua campanha corra bem. Se você prometeu guloseimas grátis, certifique-se de ter o suficiente em estoque. Você quer deixar seus consumidores felizes, não frustrados.

E se você quer criar uma campanha com influenciadores vencedora, CLIQUE AQUI e entre em contato.

 

como ser youtuber

3 erros fatais que novos YouTubers “grandes” comentem

Influenciadores digitais, ao contrário do que muita gente pensa, não são pessoas perfeitas. Eles cometem erros, inclusive erros estratégicos dentro do negócio deles, como criadores de conteúdo. Às vezes, um canal cresce muito rápido, mais rápido do que imaginava seu apresentador. E com o crescimento do canal, surgem situações novas que nem sempre esse criador de conteúdo sabe lidar. No artigo de hoje, vamos te mostrar alguns pontos que acabam atrapalhando negociações, audiência e claro, o progresso de seus canais.

 

Vamos a eles então!

Não responder a comentários

Pode ser que antigamente, quando seu canal ainda não tinha tanta audiência, você respondia a todos os comentários de pessoas que viam seus vídeos, afinal, não eram tantos assim. Mas com o passar do tempo, seu canal foi ficando maior, mais visualizações e com isso, mais comentários. Pode ser que você até tenha tentado manter a linha de comunicação, respondendo ao máximo de comentários possível, mas depois de um tempo, já cansado, você simplesmente chegou a conclusão de que não é possível responder a todos os comentários. E aí você deixa de responder. Simples assim.

No entanto, por mais que possa ser cansativo passar muito tempo respondendo a comentários, você deve saber que isso é super importante para seu canal. Responder comentários causa mais engajamento do público, que vai ver que você se importa com o que eles dizem. Além disso, também vai ajudar a que seu canal tenha mais interação, o que contribui para um melhor posicionamento de um vídeo. No fim das contas, quanto mais comentários forem feitos em um vídeo, melhor vai ser.

Separe um dia ou dois para responder a comentários. Você pode agendar um horário definido, como uma hora por exemplo em determinado dia e horário, para responder a comentários. Faça isso sempre no mesmo dia e mesmo horário, para te ajudar a ter o costume.

Ignorar a maioria dos e-mails

Quando falamos em “ignorar e-mails” nos referimos a simplesmente esquecer que você tem conta de e-mail. É verdade que a quantidade de spam que todo mundo recebe é cada vez maior, mas mesmo assim, muita gente vai querer falar com você por e-mail.

Claro, você não deve responder a todos os e-mails que recebe. Mas vale a pena dar uma olhada em muitos deles. No meio da montanha de e-mails, estarão e-mails de seguidores do seu canal, que merecem uma atenção sua, porque se não fosse pela audiência deles, que muitas vezes, militam a seu favor e defendem o que você diz nos seus vídeos, você não teria um grande canal hoje. Então dê valor a esses e-mails. Muitas vezes tudo o que eles querem é um pouquinho de atenção, quem sabe dizer um “oi” como resposta seja algo incrível para eles.

Além disso, existe o lado comercial. Existem muitos influenciadores que chegam a ignorar e-mails de propostas comerciais! Por um lado, se entende que muitas das propostas são ruins e fora do interesse do influenciador, porém no meio das mensagens que não interessam, podem estar boas propostas.

Se você é influenciador digital e recebe muitos e-mails com “propostas comerciais” tenha o trabalho de pelo menos, ler todos eles. Aí no meio do monte de propostas que não são atraentes pra você, estarão propostas boas. Não deixe dinheiro na mesa!

 

Errar na hora de passar orçamento para campanhas publicitárias

No começo, ninguém te procurava para fazer anúncios em seu canal. Com o passar do tempo ou “de repente” seu canal cresceu e agora muitas empresas e agências de publicidade andam atrás de você. Querem que você anuncie seus produtos e serviços. Mas, quanto cobrar e como cobrar?

O maior erro que você pode cometer nesse aspecto é supor um valor “porque sim” e passar ao anunciante. Um valor que saiu da sua cabeça porque você achou ele interessante. Não, não!

O que você deve fazer para cobrar de uma maneira mais adequada é ver qual ou quem é sua concorrência. Mas com concorrência, não nos referimos a outros canais iguais ao seu. Eles também podem estar cobrando errado. E você não precisa repetir a bobagem que eles fazem.

Para um anunciante, seu canal é um veículo de divulgação. Um meio em que ele vai divulgar produtos ou serviços. Eu te pergunto: onde mais ele pode anunciar produtos ou serviços, além de um canal do YouTube? Vamos a uma lista de opções? Veja:

  1. Ele pode anunciar no Google
  2. No Facebook
  3. No Linkedin
  4. No Instagram
  5. No Twitter
  6. No Bing
  7. Em blogs
  8. Na TV
  9. No rádio
  10. Em jornais

Está vendo como existe um montão de opções? Seu canal é mais uma delas. O anunciante geralmente considera quais são as melhores opções para anunciar entre as muitas que existem. Então seu principal concorrente não é outro canal parecido com o seu, mas sim outros meios de anúncio.

Então, o que você deve fazer é estudar como essas plataformas concorrentes cobram e se comportam, que resultados trazem entre outras coisas, para que você possa criar uma estratégia vencedora. Mas como fazer isso?

Vamos comentar, bem “por cima” como as plataformas de anúncios que mencionamos acima funcionam. Assim, você poderá pensar num plano de ação e vai ter argumentos para apresentar ao anunciante.

Geralmente, todas as plataformas de anúncios, com exceção dos jornais, TV, rádio e blogs, usam o método do “leilão de palavras-chave”. Esse leilão, que não é visível ao público, determina o valor de palavras que irão “ativar” um anúncio feito por uma empresa. Funciona mais ou menos assim:

Vamos supor alguém que queira anunciar um jogo de panelas. Lá no Google, por exemplo, ele terá que escolher quais palavras irão acionar o anúncio dele. Ou seja, por exemplo, se ele definir que o termo “jogo de panelas” acione seu anúncio, o Google irá verificar quantos outros anunciantes estão pedindo para usar esse mesmo termo. Entre todos os que estão usando o termo, o Google vai ver qual anúncio é o melhor, seguindo padrões de qualidade (que nem sempre são claros) internos. Assim, ele determina qual anúncio vai aparecer mais vezes e também o valor desse anúncio, afinal, se muita gente estiver usando o termo “jogo de panelas” para que o Google mostre todos os anúncios irá ter que cobrar mais caro, pois o anúncio em algum momento irá aparecer nas primeiras posições.

Dessa forma, hoje existem palavras-chave que “custam” entre R$0,01 e R$10,00 o clique ou muito, muito mais. Tudo depende de com esteja o mercado. Existem ferramentas que o Google disponibiliza para que um anunciante saiba mais ou menos o valor de uma palavra-chave e assim possa escolher as mais convenientes para seu anúncio.

Um detalhe: o anunciante só é cobrado quando alguém clica nelas em um anúncio. De outra forma, não há custos. Claro, a ideia é que o Google tente fazer com que as pessoas cliquem no anúncio o máximo possível, afinal, a ideia é ganhar dinheiro.

O anunciante pode determinar quais palavras irão ativar seu anúncio, dessa forma, segmentando bem quem vai ver esse anúncio. As outras plataformas funcionam de maneira muito parecida.

Então você deve saber que essa é sua concorrência. E você precisa saber se “vender” corretamente. Não existe uma fórmula que mostre quanto um anunciante precisa gastar no Google por exemplo, para ter bons resultados. Mas geralmente, quanto mais orçamento ele tiver para investir, melhores serão seus resultados, já que muita gente clica nos anúncios mas não compra nada.

Então, onde você como influenciador digital, ganha das plataformas de anúncios?

  1. Você fala para uma audiência cativa, que confia no que você diz. Seu poder de convencimento é muito maior que um simples texto de anúncio, com uma foto.
  2. Seu anúncio vai ser feito em um vídeo que vai ficar “para sempre” no seu canal, assim o anúncio vai ser permanente para o anunciante, mesmo depois que ele tiver terminado de te pagar. Nas plataformas quando acaba o orçamento, o anúncio desaparece.
  3. O produto ou serviço do anunciante é muito melhor visto num anúncio em seu canal. Você pode testar o produto, mostrar em detalhes as características dele e dar sua opinião e isso não tem anúncio “tradicional” que possa fazer.

Use esses argumentos quando estiver de frente para um anunciante (mesmo que for por meios online). Sobre o preço que você deve propor, leve em consideração o seguinte:

  1. O tamanho da sua audiência. Não falamos aqui de quantos inscritos e sim de quantas pessoas veem seus vídeos por mês. Faça uma média de quantas visualizações seus vídeos recebem por mês. Isso pode dar uma ideia ao anunciante de quantas pessoas irão ver o anúncio que você vai fazer.
  2. Seu nicho de atuação. Se você fala sobre algo muito especializado, como por exemplo, como investir em ações entre outros, você pode valorizar um pouco mais seu conteúdo e cobrar por isso. Pois seu público com certeza está muito “nichado” também e as possibilidades de que o anunciante tenha boas vendas com seu canal são altas.
  3. O preço que o anunciante em média teria que investir nas plataformas de anúncios. Faça uma simulação, crie uma conta no Google Ads e “brinque” de fazer simulações de campanhas. Veja quanto um anunciante gastaria para conseguir certo número de visualizações e cliques. Tudo vai depender também do valor do produto a ser anunciado, então sempre pergunte os preços dos produtos.
  4. Em vez de dar um valor “fechado” (cobrar valores fixos, por exemplo) você pode dizer que cobra por visualização. Isso vai parecer mais atraente para o anunciante, tenha a certeza disso. Experimente cobrar valores entre R$0,05 e R$0,08 por visualização. Faça as contas. Um canal com 100 mil visualizações médias por vídeo, que cobre 5 centavos por visualização, irá receber R$5.000,00. Claro, existem fatores que podem aumentar esse valor, por exemplo se seu canal for de um nicho pouco explorado no YouTube. Além disso, cobrando “por visualização” seu anunciante vai se sentir mais seguro, pois um grande medo que eles têm é que seu anúncio seja colocado num vídeo que poucas pessoas viram e ter pagado “caro” por isso.

Esperamos que essas dicas te ajudem a lidar melhor com seu canal, que agora é grande. Muito sucesso pra você!

Ah, e se quiser apoio profissional para seu canal, CLIQUE AQUI e conheça nossos serviços.

influenciadores toxicos

YouTubers tóxicos: como não ser esse tipo de babaca

A internet “democratizou” as ideias. Hoje em dia, qualquer pessoa pode expor o que pensa, seja nas redes sociais, plataformas sociais, websites, fóruns e outros. O problema é que essa mesma liberdade também criou locais tóxicos, em que as pessoas destilam seu desprezo e ódio por coisas, pessoas ou causas que elas não aprovam, por motivos justos ou não.

No artigo de  hoje, que realmente tem um título um pouco forte, vamos mostrar pra você primeiramente alguns exemplos de YouTubers tóxicos, sem citar nomes de canais (gente tóxica não merece ser divulgada), os prováveis motivos para eles serem assim e a razão pela qual você não deve imitá-los.

O que seria um YouTuber babaca digo, tóxico?

Pessoas tóxicas são aquelas que sempre criam problemas, por serem muito críticas sobre algum assunto, fazerem comentários maldosos, espalharem intrigas e mentiras. Geralmente, são pessoas que estar em sua presença é sempre tenso, porque você não sabe o momento em que ela vai atacar a você ou a outra pessoa.

No YouTube encontramos milhares de canais que têm essas características. São canais de todo o porte. E de vários nichos. Geralmente, os canais que abordam temas em que existem “lados opostos” exploram muito o uso de conteúdo tóxico, como canais de opinião política e de “console wars”.

Exemplo de vídeo tóxico

Um certo canal “gamer” que está em fase de crescimento promove a famosa “guerra de consoles”. Esse tipo de abordagem em si, já não é agradável, porém em última análise, quando um canal é “partidário” de um certo console e se dedica a mostrar novidades sobre o console, notícias em geral sobre ele e de vez em quando fazer um comparativo com o concorrente, isso seria muito mais saudável.

Porém esse canal (que poderia ser muitos, mas não vamos mencionar o nome), costuma fazer vídeos em que ofende diretamente ao público. Em um de seus vídeos, o título era algo como “Se você comprou o console tal, você é um idiota”. E no vídeo ele tenta provar com meias verdades, que o console em questão não roda games em 1080p e sim numa definição que “somente as TVs de tubo, antigas, poderiam rodar”, informação que é facilmente derrubada, quando fazemos uma análise do console que foi alvo de ataques.

Você percebeu o que houve?

No título, ele já ataca a um público e no conteúdo do vídeo ele ataca a um produto de maneira injusta. Tudo isso na busca da audiência!

Recentemente um canal que fazia uma abordagem parecida foi banido do YouTube. Esse que mencionamos parece que está no caminho também.

Porque canais do YouTube tóxicos fazem sucesso?

Você deve se lembrar de sua época da escola, de quando duas pessoas iam “brigar”? Esperamos que você não tenha estudado em um local onde havia isso, mas infelizmente em escolas, principalmente entre adolescentes, acontece muito. Duas pessoas começam a brigar e a se agredir fisicamente, logo depois da saída da escola. Ao redor da briga, uma multidão de crianças e adolescentes acompanham o conflito.

As pessoas gostam de acompanhar uma briga! Por isso que canais de “tretas” no YouTube fazem tanto sucesso. Além disso, quando se fala em algo que desperta uma paixão e quase uma idolatria por parte de um grupo ou de grupos opostos, fica fácil instigar um grupo contra o outro e com isso atrair seguidores.

São influenciadores que vivem do caos. Eles precisam que exista uma briga, dois lados opostos dos quais ele quer fazer de tudo para humilhar e atacar o “inimigo” para chamar a atenção de outros que são adeptos do mesmo pensamento,  também até mesmo de muitos que estão do outro lado, sendo atacados, que irão até os vídeos do canal para se defender e estabelecer uma verdadeira guerra de comentários. E com isso, o vídeo e o canal do influenciador tóxico vai ganhando engajamento.

Não vale a pena ser um YouTuber babaca, digo tóxico!

É verdade que começar uma briga em dois lados pode gerar muita audiência para seu canal. Mas não é uma maneira sadia de se comunicar e influenciar pessoas. Se alimentar do ódio alheio é péssimo para sua reputação, pode afastar possíveis anunciantes (você pode perder dinheiro) e criar uma fama de babaca. Sim, babaca mesmo.

Além disso o YouTube tem políticas contra assédio moral. Veja o que o YouTube diz:

Não é permitido publicar no YouTube conteúdo que ameace pessoas. Também não permitimos conteúdo que persiga um indivíduo com insultos contínuos ou maliciosos com base em características intrínsecas. Por exemplo, incluindo o fato de pertencer a um grupo protegido ou os atributos físicos.

Se você encontrar conteúdo que viola esta política, faça uma denúncia. Acesse este link para ver instruções sobre como fazer isso. Se você quiser denunciar vários vídeos ou comentários, é possível denunciar o canal. Para ver dicas e práticas recomendadas para sua segurança, para manter sua conta segura e para proteger sua privacidade, consulte este artigo da Central de Ajuda.

Se você receber ameaças específicas e sentir que sua segurança está em risco, denuncie diretamente ao órgão local responsável pelo cumprimento da lei.

O que esta política significa para você

Se você envia conteúdo

Não publique no YouTube conteúdo que se encaixe em alguma das descrições abaixo.

  • Conteúdo que tenha insultos prolongados ou maliciosos (por exemplo, gírias ofensivas a etnias) com base nas características intrínsecas de alguém. Isso inclui o fato de pertencer a um grupo protegido, traços físicos, a condição de sobrevivente de abuso sexual, violência doméstica, abuso infantil etc.
  • Conteúdo que tenha o objetivo de humilhar, enganar ou insultar menores de idade. Um menor é um indivíduo que ainda não alcançou a maioridade legal. Na maioria das regiões, essa definição se aplica a pessoas com menos de 18 anos.

Monetização e outras penalidades

Em alguns casos raros, podemos remover o conteúdo ou aplicar outras penalidades quando o criador de conteúdo:

  • incentiva repetidamente o público a ter comportamento abusivo;
  • envia com frequência vídeos que insultam e assediam um indivíduo identificável com base nas características intrínsecas dele;
  • expõe um indivíduo a riscos ou perigo físico com base no contexto político ou social do local;
  • cria conteúdo que afeta negativamente a comunidade do YouTube, incitando a hostilidade entre criadores de conteúdo com o objetivo de receber ganhos financeiros pessoais.

fonte: https://support.google.com/youtube/answer/2802268?hl=pt-BR

 

Se você tem um canal tóxico ou pretende ter um, desejamos do fundo do coração que seu canal fracasse. Além disso, não nos procure, procure em lugar disso um psiquiatra, porque você precisa de um urgente.

Agora se você quer fazer o correto, com bom conteúdo, vamos conversar! CLIQUE AQUI e conheça nosso serviço de assessoria para YouTubers, o mais completo do Brasil!

 

sabotagem no youtube

30 bobagens que YouTubers fazem – E os motivos pra você não entrar nessa

Nesse artigo, vamos comentar com você sobre coisas terríveis que muito YouTuber faz em troca de visualizações e que não deveriam fazer. Afinal de contas, o que você faria em troco de ter sucesso como influenciador digital? Tem gente que não tem limites.

Preparamos uma lista de coisas que, apesar de muitos YouTubers fazerem, você não deve fazer, porque não são éticas. Vamos lá!

  1. Click bait em quase todo título de vídeo ou thumbnail.
  2. Música de fundo ficar na frente e não no fundo do vídeo. Ou seja, por a música de fundo alta demais.
  3. Usar thumbnails muito “forçadas” ou apelativas. Muitas vezes colocando temáticas sexuais ou sugestivos (incluindo em vídeos em que crianças também assitem)
  4. Mentir sobre o que estamos vendo no vídeo. A pessoa diz que vai fazer algo que na realidade, não fez.
  5. Introdução longa demais. Isso dá vontade de sair do vídeo.
  6. Abusar das “setas gigantes” que às vezes, não apontam para nada na thumbnail. O recurso deve ser usado corretamente.
  7. Fazer mil “caras e caretas” na thumbnail, muitas vezes exagerando a reação que realmente teve diante de algo relatado no vídeo.
  8. Vídeos em que o YouTuber finge estar deprimido e se grava chorando, com close nos olhos (pra todo mundo ver como ele está chorando), para tentar chamar a atenção.
  9. Canais que tem “neura” sobre o tempo de duração de um vídeo. Todos os vídeos tem que ter uma certa duração, sempre.
  10. Enrolar demais pra mostrar o conteúdo real do vídeo. Justamente por causa do ponto anterior.
  11. Falar de maneira artificial, robótica ou muito teatralizada.
  12. Não fazer thumbnail para seus vídeos
  13. Imitar descaradamente a outro canal.
  14. Baixar vídeos de outro canal e usar no seu, com se fossem seus.
  15. Não responder a nenhum comentário.
  16. Fazer vídeos com informações falsas e jurar que são verdade.
  17. Fazer vídeos em que o YouTuber afirma que algo está acontecendo quando na verdade, é tudo ensaiado.
  18. Fazer vídeos em que o YouTuber coloca em risco a vida de animais.
  19. Fazer vídeos em que o YouTuber coloca em risco a vida de outras pessoas.
  20. Fazer vídeos em que o YouTuber coloca em risco a própria vida.
  21. Fazer vídeos cometendo ou querendo fazer parecer que está cometendo um crime.
  22. Quando desmascarado, ameaçar o denunciante.
  23. Pedir troca de inscritos em grupos no Facebook.
  24. Negociar patrocínios sem ter audiência real.
  25. Não cumprir acordos com patrocinadores.
  26. Ignorar e-mails em geral. Muitas boas propostas são ignoradas junto.
  27. Fazer vídeos dizendo estar muito doente, para chamar a atenção. Tempos depois, “milagrosamente” a doença desaparece.
  28. Ofender ao público diretamente, seja no título do vídeo ou no conteúdo.
  29. Desativar comentários porque não quer receber feedback negativo.
  30. Não seguir uma temática no canal. Gravar tudo o que “der na telha”.

Essas são coisas que são muito comuns hoje em dia. Mas você não precisa seguir nada disso. Nós já falamos aqui, aqui e aqui sobre como ter sucesso como YouTuber, além de vários outros artigos publicados.

Se você precisa de ajuda profissional para sua carreira como YouTuber, CLIQUE AQUI e conheça nossos serviços.

 

Como fazer um vídeo viral no YouTube?

Como fazer um vídeo viral?

Na Internet, os vídeos virais podem parecer a forma definitiva de sucesso. Criadores de conteúdo anteriormente desconhecidos podem ter um golpe de sorte (ou uma estratégia de marketing ) e ter seu momento no centro das atenções.

Embora o conteúdo viral possa parecer uma meta glamorosa, é difícil de realmente alcançar, principalmente devido às flutuações na atividade que decidem o que se torna viral e o que não. O conteúdo que funciona um dia pode cair completamente em outra situação, com apenas algumas variáveis ​​ajustadas.

Apesar da dificuldade de generalizar o conteúdo viral, há algumas práticas recomendadas a serem lembradas que podem aumentar suas chances de se tornar viral. Mas, algumas advertências antes de começarmos.

Primeiro, geralmente não é uma boa ideia ter como objetivo específico fazer um vídeo viral. Uma coisa é ter um ótimo conteúdo de vídeo que você deseja comercializar para alcançar o maior número possível de pessoas, mas outra coisa é criar o próprio conteúdo com o objetivo de se tornar viral. Temos a tendência de alertar contra a última opção, pois ela pode levar a conteúdo que não serve para nada e desperdiça seus recursos sem motivo.

Em segundo lugar, qualquer pessoa que prometa que pode fazer um vídeo viral para você está mentindo. Não existe uma fórmula que garanta que o conteúdo se tornará viral. Alguns criadores de conteúdo ou empresas de distribuição podem alegar que você pode contratá-los para tornar seu vídeo viral, mas qualquer acordo que comece dessa forma provavelmente terminará em decepção.

Sim, existem várias semelhanças entre os vídeos que se tornam virais e é possível manipular esses fatores para tentar ter o impacto mais significativo. Não é possível, entretanto, garantir que essas estratégias funcionem para um determinado conteúdo. Mesmo para criadores de conteúdo que tiveram sucesso viral no passado, cada novo conteúdo é um novo desafio que está sujeito às mesmas inconsistências nas tendências de engajamento que o conteúdo de todos os outros.

Com essas isenções de responsabilidade em mente, vamos falar sobre os fatos. Felizmente, existem alguns fatores facilmente ajustáveis ​​que muitos vídeos virais têm em comum. Se sua meta é que seu conteúdo alcance o maior número possível de pessoas, aqui estão seis dicas para otimizá-lo.

Extraia emoções.


O conteúdo viral geralmente se torna viral por um motivo simples: ele provoca emoção. É por isso que existe conteúdo viral “negativo”, como o anúncio da Pepsi de Kendall Jenner que foi acusado de mostrar a luta contra o racismo de uma maneira simplista. O vídeo se tornou viral, ganhando reação, não elogios, mas ainda assim ganhou milhões de visualizações. Obviamente, ter milhões de espectadores assistindo por frustração não é o ideal, então as emoções positivas têm maior probabilidade de gerar a resposta que você deseja. Vale a pena tentar fazer as pessoas sentirem compaixão, humor ou outros sentimentos felizes se você quiser que seu conteúdo ganhe força.

Esse conceito tem muito a ver com o motivo pelo qual o vídeo do Chewbacca dessa mulher se tornou viral. Sua risada é contagiante e emite uma energia positiva e feliz que ressoou claramente com os espectadores.

Compartilhe estrategicamente.


Em seguida, você desejará compartilhar seu conteúdo estrategicamente. Muitas pessoas têm a ideia errada de que o conteúdo viral ocorre de forma completamente orgânica, mas nem sempre é esse o caso. Um vídeo com milhões de visualizações pode ter recebido incentivos de publicidade do conteúdo, divulgação para obter meios de comunicação ou figuras proeminentes para compartilhá-lo, ou de outra forma envidar todos os esforços para colocar o conteúdo diante de tantos olhos quanto possível.

Seja breve


Na era digital, os períodos de atenção são mais curtos do que nunca. O que isso significa para o seu conteúdo? Ninguém (ok, quase ninguém) quer assistir a um vídeo de dez minutos, a menos que ele forneça um valor realmente claro para eles. O conteúdo com maior probabilidade de se tornar viral tende a ser mais curto por natureza, variando de alguns segundos a alguns minutos, no máximo.

Considere o seu tempo


Se sua meta é se tornar viral, provavelmente você desejará postar seu conteúdo em um dia da semana. Algumas pessoas recomendam postar no início da semana também, para que você tenha o máximo possível de dias antes do fim de semana quando tiver um público cativo.

O raciocínio por trás dessa distinção é que muitas pessoas estão digerindo conteúdo no trabalho, nos intervalos do almoço ou quando estão navegando na Internet durante a semana de trabalho. Embora você ainda possa se tornar viral definitivamente no fim de semana, pode haver menos pessoas procurando por conteúdo a qualquer momento. Além disso, você deve evitar postar em feriados (a menos que seu conteúdo seja relevante para o feriado).

Alinhe com os eventos atuais


Semelhante ao último ponto, você vai querer estar ciente do que está acontecendo no mundo quando postar seu conteúdo e, em seguida, ver se consegue alinhá-lo naturalmente. Fique por dentro dos eventos atuais, tópicos de tendência e até formatos de meme populares para colocar seu conteúdo no movimento se algo relevante acontecer.

Seja comprometido


Finalmente, quando você clica no botão “postar”, seu trabalho não acabou! Por um lado, você vai querer continuar monitorando o envolvimento e, potencialmente, interagir com seu público se começar a ganhar força. Se seu conteúdo for bem-sucedido, você também precisará que os meios de comunicação tenham uma maneira de entrar em contato com você para continuar a impulsionar seu sucesso.

Por outro lado, se seu conteúdo não for bem-sucedido, trate-o como um estudo de caso e ajuste para conteúdo futuro. Observe todas as tendências de engajamento, o que funcionou e o que não funcionou e quaisquer imprevistos que possam ter afetado seu conteúdo. Em seguida, use essas informações para otimizar sua abordagem na próxima vez que tiver um ótimo conteúdo.

E se você precisa de apoio para sua carreira de influenciador, CLIQUE AQUI e conheça nossos serviços.

Seis dicas para você mandar bem no YouTube

Você está procurando umas dicas simples e fáceis de usar pra você mandar bem no YouTube? Já encontrou, separamos essas 7 dicas pra você. Vamos direto para o conteúdo:

1. Crie conteúdo simples

Um dos maiores equívocos sobre o YouTube é que o sucesso só acontece se um vídeo se tornar viral. Costuma-se pensar que se você não pode entregar gatos fazendo travessuras ou mostrar uma pegadinha que deu errado – não é para você. 

Isso é totalmente errado, é claro, especialmente considerando as formas em que os usuários estão consumindo conteúdo de vídeo. 

Embora seja verdade que muitas pessoas assistem ao YouTube em seus celulares, isso não significa necessariamente que queiram vídeos extremamente curtos ou puramente divertidos. O Google sugere que, no que diz respeito à visualização de vídeos, o celular é muito parecido com a TV, o que significa que as pessoas estão de fato assistindo à noite, em casa e para relaxar.

Como resultado, as marcas não devem mais pensar no YouTube no contexto do entretenimento ‘em movimento’. Em vez disso, há espaço para conteúdo simples, ou seja, vídeos mais longos e com mais variedade – sejam informativos, educacionais ou mesmo divertidos. 

2. Seja consistente

Uma característica compartilhada pelos canais de maior sucesso no YouTube é a consistência. A forma mais óbvia é a frequência com que os vídeos são postados, com grandes marcas normalmente postando a cada dois dias ou mesmo todos os dias.

A conscistência precisa ser vista não somente na frequencia de postagem, mas também deve se respeitar um estilo de postagem, uma identidade para seu canal, algo que seu público sempre identifique seus vídeos com seu canal e com você.

 

3. Construa uma comunidade

Embora o vídeo bom possa ser eficaz para chamar a atenção, ele tende a criar uma experiência passiva do usuário (em que o espectador está simplesmente assistindo, em vez de interagir). 

Em contraste, a beleza do YouTube é que ele cria um senso de comunidade para as marcas, com cada canal tendo o potencial de construir um público leal e altamente engajado. 

Existe o entendimento comum (tanto dos criadores quanto dos espectadores) de que os comentários são esperados e apreciados. Você deve, portanto, estar pronto e disposto a responder para construir um relacionamento com o público ao longo de um ciclo de comunicação e interação.

4. Incentive a ação

Novamente, é importante que você estimule os usuários a deixar comentários, mas também existem várias outras maneiras pelas quais você pode ajudar a construir um público e promover a lealdade. Os cartões do YouTube são uma ferramenta simples – são notificações pré-programadas que aparecem nos vídeos para apontar os espectadores para outro lugar (em um vídeo por exemplo, um cartão pode ter um link para um produto em destaque, se o canal for de sua empresa).

As telas finais também são uma ferramenta valiosa. Isso permite que marcas ou criadores promovam até quatro elementos no final de um vídeo, como outro vídeo, lista de reprodução ou um site externo. Isso permite que o espectador saiba que ele pode realizar outras ações, o que pode ajudar a mantê-lo dentro das paredes do canal, em vez de clicar em outro lugar.

5. Otimize para pesquisa

Embora o sucesso no YouTube seja sustentado por recursos como conteúdo de qualidade e consistência, ainda é importante para as marcas garantir que os vídeos tenham a exposição máxima possível. Então, como você pode obter uma classificação elevada do seu vídeo? Há uma série de coisas simples que você pode fazer para ajudar no seu conteúdo, como incluir uma palavra-chave importante no título, usar tags relevantes e uma descrição longa e bem elaborada. 

Miniaturas personalizadas também podem ser eficazes para gerar visualizações, com o design da marca novamente ajudando a criar consistência e familiaridade para os visualizadores.

6. Pense em micromomentos

Então, que tipo de conteúdo você deve criar? De acordo com o Google, é útil para as marcas e criadores considerar os ‘micromomentos’ que seu público pode estar experimentando, a fim de criar conteúdo relevante.

Pra aproveitar esses micromomentos, você precisa estar sempre muito atualizado com o que estiver acontecendo em sua volta. De repente, uma notícia em um grande jornal na TV chama a atenção do público e seu canal fala de temas parecidos. Seria o momento ideal de aproveitar a notícia e transformar num vídeo no seu canal.

Além das notícias, acontecimentos marcantes, causas que estejam em alta (e que se encaixe dentro do tema do seu canal, claro) podem ser utilizadas para você criar vídeos.

Não nos referimos aqui a simplesmente copiar a notícia e por no seu canal. Em vez disso, você pode comentar a notícia, dando seu ponto de vista. Ou ainda em lugar de comentar a notícia, você pode criar um ou uma série de vídeos em que você aborda aquele assunto da notícia, com seu ponto de vista.

Esperamos que essas dicas possam ter te ajudado. E claro, se você quiser ajuda para sua carreira CLIQUE AQUI.

Usar vídeo dos outros em seu canal é uma péssima ideia. Saiba aqui a razão.

Com 500 horas de conteúdo sendo carregado no YouTube a cada minuto, há mais e mais pessoas que sonham em ganhar a vida sendo um YouTuber em tempo integral .

E com um número tão impressionante de vídeos, sempre há algumas pessoas que tentam se beneficiar copiando seu conteúdo de outras pessoas.

Portanto, não é de se admirar que o YouTube esteja constantemente vindo com regras cada vez mais rígidas na tentativa de controlar o Velho Oeste, que é uma violação de direitos autorais.

Mas o conteúdo sinalizado como duplicado nem sempre é feito com más intenções, o que causa uma grande confusão.

Vendo que o YouTube pode cancelar a geração de receita em seu canal se seu conteúdo for sinalizado como duplicado, vale a pena se aprofundar no assunto e certificar-se de permanecer na zona de segurança.

Temos respostas para as perguntas mais frequentes que o ajudarão a fazer exatamente isso.

O que é conteúdo duplicado no YouTube?

O conteúdo duplicado é o conteúdo reutilizado ou repetitivo que pode basicamente ser encontrado em outro lugar na sua totalidade ou mesmo apenas parcialmente. De acordo com o YouTube, é um conteúdo que não agrega valor ao vídeo original, não é original ou relevante.

O YouTube leva a sério o conteúdo duplicado e removerá um canal se ele não cumprir suas políticas dessa forma.

Mas, no final das contas, o que mais importa para o YouTube é agregar valor. Portanto, desde que você contribua com valor (seja por meio de comentários, valor educacional ou edição de alta qualidade) para o vídeo original, seu vídeo não será sinalizado como conteúdo duplicado e colocará em risco a monetização de seu canal.

Exemplos de conteúdo duplicado no YouTube

  • pegar um vídeo existente que não é seu trabalho e enviá-lo para seu canal
  • compilações de vídeo reunidas sem absolutamente nenhuma alteração (tanto de seus próprios vídeos quanto de vídeos que não são de sua propriedade)
  • usar música isenta de royalties (embora seja permitido, usar este tipo de música provavelmente sinalizará seu vídeo, pois muitos outros usuários do YouTube usam os mesmos arquivos de áudio em seus vídeos)
  • conteúdo que já tem Content ID (quando um vídeo é enviado ao YouTube, ele recebe um Content ID atribuído)
  • atividades de violação de direitos autorais, como o envio de vídeos de programas de TV, filmes, gravações de shows (oficiais, não seus vídeos móveis), usando músicas das quais você não tem direitos e qualquer outra coisa que esteja sob proteção de direitos autorais
  • enviar vídeos de jogos que não foram editados
  • vários usuários enviando o mesmo vídeo
  • conteúdo que parece ser gerado automaticamente e / ou tem uma voz sintética narrando o conteúdo de terceiros
  • etc.

Como o YouTube descobre conteúdo duplicado?

O YouTube descobre conteúdo duplicado de duas maneiras. O primeiro são os usuários sinalizando um vídeo como conteúdo duplicado e relatando manualmente um canal. A segunda é usando seu próprio algoritmo.

O algoritmo usa uma série de critérios de comparação, incluindo

  • o tamanho do vídeo,
  • o formato em que o vídeo foi carregado,
  • taxa de quadros,
  • forma de onda de áudio,
  • tipo de codificação
  • distribuição de pixels
  • etc.

Cada vídeo enviado obtém um ID de conteúdo com base nesses critérios e pode ser usado para determinar se há uma correspondência de áudio ou vídeo ou mesmo uma correspondência parcial.

O que você pode fazer a respeito depende da situação e de como seu vídeo foi sinalizado (ou melhor, de quem o sinalizou). O algoritmo geralmente sinaliza o conteúdo durante o upload. Então você pode fazer algumas edições, adicionar mais comentários de áudio, adicionar mais conteúdo, mostrar sua presença (na tela) ou qualquer outra coisa para alterar a assinatura digital do vídeo. Você também pode fornecer mais contexto sobre o vídeo na descrição ou no próprio vídeo.

Se você recebeu um relatório manual, as coisas ficam um pouco mais complicadas e você precisa pesquisar um pouco por que isso aconteceu. Você pode tentar editar o vídeo e adicionar mais conteúdo, mas geralmente será necessário mais do que isso para que seu vídeo seja limpo.

Minha descrição do YouTube pode ser sinalizada como conteúdo duplicado?

Sim, se a descrição do seu vídeo do YouTube for uma cópia exata de outro vídeo, ele pode ser sinalizado como conteúdo duplicado. Embora a descrição em si não seja o fator mais forte para conteúdo duplicado, ainda é possível que seu vídeo seja sinalizado. É por isso que é importante sempre ter conteúdo original em suas descrições do YouTube.

O conteúdo duplicado inclui títulos e miniaturas de uma série de vídeos?

Se você tiver uma série de vídeos com títulos semelhantes, como “Episódio 1”, “Episódio 2”, etc., onde as miniaturas são um tanto semelhantes, você não será afetado por uma penalidade de conteúdo duplicado do YouTube.

O algoritmo do YouTube é inteligente o suficiente para saber que o conteúdo real do vídeo é diferente – como a duração do vídeo, o que é mostrado e dito nele, o tópico do vídeo, as “palavras-chave” que você menciona em seu vídeo, etc. .

Na verdade, uma série de vídeos pode aumentar suas métricas de engajamento e, portanto, suas classificações de SEO no YouTube. Ao marcar seu conteúdo em uma série de episódios, você torna mais fácil para o usuário final consumir seu conteúdo – e de alguma forma os incentiva a assistir ao próximo vídeo. Na verdade, uma estratégia popular com esse tipo de série de vídeos é agrupá-los em uma lista de reprodução que torna mais fácil para o usuário continuar sua sessão de exibição.

O conteúdo duplicado do YouTube é diferente do conteúdo duplicado do Google?

Em essência, não, conteúdo duplicado é o conteúdo em qualquer formato (seja texto, imagem, vídeo …) que é copiado / reutilizado de um lugar para outro sem que nada de valor seja adicionado a ele.

Existem, no entanto, três diferenças entre o conteúdo duplicado no YouTube e no Google:

1. Como o conteúdo duplicado é descoberto

O Google pode, para a maior parte do conteúdo, confia em seu algoritmo 100%, pois o código é confiável e seu algorítimo já foi amplamente discutido e estudado. É por isso que você raramente ouve falar de pessoas que relatam conteúdo duplicado de sites ao Google (simplesmente não é necessário). No YouTube, entretanto, as coisas ficam um pouco mais complicadas. Como o algoritmo ainda não é inteligente o suficiente e não é capaz de realmente ver o conteúdo visual, critérios diferentes precisam ser usados ​​para comparação. O algoritmo deve comparar o tamanho, o formato em que o vídeo foi carregado, a taxa de quadros, a forma de onda do áudio, o tipo de codificação, etc. É por isso que o YouTube depende mais dos usuários que relatam canais e sinalizam o conteúdo como duplicado manualmente.

2. Quais são as consequências de ser sinalizado por conteúdo duplicado

A segunda diferença está nas consequências. O Google considera o conteúdo duplicado muito mais leve do que o YouTube. O conteúdo duplicado em seu site pode afetar sua classificação, mas penalidades severas são raras.

O YouTube, por outro lado, não vai pensar duas vezes antes de desmonetizar seu canal, removendo-o do Programa de Parcerias do YouTube e removendo o Superchat de seu canal.

3. Quem é o proprietário do conteúdo

O conteúdo duplicado no Google pode acontecer tanto no seu próprio site quanto se você copiar o conteúdo de terceiros. No YouTube, isso é um pouco diferente – aqui, geralmente você copia conteúdo de outros canais que é penalizado.

O YouTube trata o conteúdo duplicado da mesma forma que o Google e isso influencia as classificações?

Sim, o YouTube trata o conteúdo duplicado de maneira semelhante ao Google e isso afetará a classificação do seu vídeo, pois o vídeo não será mais listado nas páginas de resultados.

É importante mencionar, no entanto, que embora o Google possa pagar uma penalidade ao seu site por causa do conteúdo duplicado, as consequências nunca serão tão graves quanto o YouTube que remove o conteúdo e (às vezes) o canal inteiramente.

Como evitar penalidade de conteúdo duplicado no YouTube

como evitar penalidade de conteúdo duplicado no YouTube

Conteúdo duplicado é qualquer conteúdo que é copiado sem qualquer valor adicional sendo adicionado. E o YouTube e o Google têm tudo a ver com o valor.

Sejamos honestos – o YouTube é baseado em vídeos de reação e comentários em vídeo. Esses vídeos em grande parte emprestam os recursos visuais de outros canais e fontes – sejam clipes de filmes / programas de TV, filmagens de jogos, vlogs ou outro conteúdo. Mas, enquanto houver uma narrativa ou comentário adicionado a ele, ele não será sinalizado como duplicado.

Aqui estão algumas dicas para evitar ser sinalizado por conteúdo duplicado.

  1. Adicione comentários (exemplo – vídeos explicando tudo o que há de errado com um filme)
  2. Mostre que você está no vídeo, comentando e aparecendo no vídeo (exemplo – vídeos de reação)
  3. Não use músicas que tenham direitos autorais, use músicas gratuitas do YouTube
  4. Use as descrições com sabedoria – explique o que você está tentando alcançar com o vídeo e por que parte do material é reutilizado

Ou você pode apenas fazer conteúdo original. Apenas dizendo 😛

O que acontecerá se meu vídeo do YouTube for sinalizado como conteúdo duplicado?

Se o seu vídeo do YouTube for sinalizado por conteúdo duplicado, você receberá um e-mail notificando-o primeiro. Por correio, o YouTube irá informá-lo sobre o que acontece a seguir. Pode ser que eles dêem uma parte da receita do vídeo ao proprietário dos direitos autorais, digam para você retirar o vídeo ou editá-lo e reenviá-lo ou podem estar desmonetizando seu canal por completo. Siga as instruções no e-mail e, se tiver mais perguntas, consulte este artigo para obter ajuda.

Geralmente, existem vários cenários / resultados que serão determinados com base no que sinalizou como conteúdo duplicado. Esses são:

  • O vídeo pode ser desmonetizado
  • O vídeo pode ser removido
  • O canal pode ser desmonetizado (removido do Programa de Parcerias do YouTube)
  • O canal pode ser removido do YouTube

Considere que, como qualquer outro algoritmo, o YouTube provavelmente mantém o histórico de seu canal e permite apenas que muitos “erros” sejam cometidos. Isso significa que ser continuamente sinalizado pelo YouTube resultará em uma penalidade em seu canal.

O que devo fazer se alguém copiar meu vídeo do YouTube um a um?

Se alguém copiou seu vídeo do YouTube um a um, o YouTube tem sistemas para ajudar criadores de conteúdo como você a manter seu conteúdo original e propriedade intelectual. Se alguém copiar seu vídeo do YouTube um a um (ou mesmo parcialmente), você pode enviar uma reclamação de direitos autorais e iniciar uma remoção.

Aqui está um processo passo a passo sobre como denunciar ao YouTube vídeos que copiaram você ou roubaram seu conteúdo:

1.Clique nos três pontos (…) para obter mais opções e escolha Denunciar

2. Escolha “viola meus direitos” e escolha “problema de direitos autorais” na caixa suspensa

3. Clicar em próximo o levará para Enviar um aviso de remoção de direitos autorais

Se o canal cujo vídeo você está denunciando copiou vários vídeos que pertencem a você, envie uma reclamação para tantos quantos puder e denuncie o canal. 3 violações de direitos autorais válidas dentro de 3 meses encerrarão o canal.

Esta é uma ação legal (não no sentido de ser bacana, aqui no sentido de ter valor diante a lei), portanto, leve este processo a sério e certifique-se do que está denunciando. Fazer reivindicações falsas pode resultar na suspensão de sua própria conta.

O que acontece se você tiver o mesmo vídeo em dois canais do YouTube?

Se você conseguir enviar o mesmo vídeo em dois canais do YouTube, o segundo vídeo será sinalizado como conteúdo duplicado e você pode até ter seu canal removido.

No entanto, na realidade, o sistema de ID do conteúdo implementado deve impedir que você faça o upload.

Isso pode ser um problema se você tiver 2 canais que agora decidiu mesclar ou se estiver movendo o vídeo de um canal para outro. Para fazer isso, baixe os vídeos que deseja mover. Tente enviá-los para o novo canal. Se você receber um erro duplicado durante o upload, será necessário encerrar o canal antigo antes de tentar novamente. Mesmo se não houver erro durante o upload, certifique-se de limpar o canal antigo o mais rápido possível para evitar que o novo canal seja removido.

O que acontecerá se meu canal do YouTube for removido devido a conteúdo duplicado? O que posso fazer a respeito?

Se o seu canal for removido por causa de conteúdo duplicado, isso significa que você infringiu os direitos autorais (normalmente outro usuário ou vários usuários o denunciaram manualmente). Às vezes, o canal não é totalmente removido, mas removido do Programa de Parcerias do YouTube (ou seja, desmonetizado) Se isso acontecer, o YouTube recomenda que você edite ou remova o conteúdo do vídeo em questão para que esteja em conformidade com os padrões. Você tem 30 dias para cumprir as políticas do YouTube e reenviar sua inscrição para o Programa de Parcerias do YouTube. Feito isso, o YouTube analisará sua inscrição manualmente e, se você cumprir os padrões e diretrizes, seu canal será restaurado. Você sempre pode atualizar seu vídeo usando o YouTube Studio ( clique aqui para acessar o editor ).

Seu próprio conteúdo pode ser duplicado no YouTube?

Em primeiro lugar, você não poderá enviar o vídeo exato duas vezes, pois o algoritmo irá sinalizá-lo quando você tentar carregá-lo. Quanto às descrições de vídeo, miniaturas, cópias parciais de seus vídeos anteriores e atualizações – contanto que todo o conteúdo seja totalmente seu, o YouTube deve lidar com isso de forma muito mais leve do que normalmente. Em qualquer caso, você deve estar muito mais seguro de relatórios manuais de outros usuários.

Se você quiser ter certeza de que seu vídeo não será sinalizado, pense exatamente no que seus seguidores estão ganhando com este vídeo. Lembre-se de que o YouTube tem tudo a ver com valor agregado.

Para uma solução rápida:

  • Faça alguma edição nas partes copiadas
  • Adicione sua voz ou esteja presente na tela
  • Dê contexto no vídeo ou na descrição do vídeo

Há mais informações sobre isso na resposta a “Como evitar penalidade de conteúdo duplicado no YouTube?” mais acima neste artigo.

Curiosamente, o YouTube também sabe exatamente qual arquivo você está tentando enviar (provavelmente com base em metadados). Isso pode ser visto claramente nos casos em que um de seus vídeos falhou no envio – assim que você tentar reenviar o vídeo, o YouTube irá “gravar” automaticamente o arquivo existente que é mostrado no Editor do YouTube Studio.

Esperamos que agora você compreenda melhor o conteúdo duplicado no YouTube. 

E se você quer apoio profissional par sua carreira de YouTuber, CLIQUE AQUI e conheça nossos serviços.

Fonte: https://morningscore.io/

Como planejar seu conteúdo no YouTube

Caso tenha entrado neste artigo, significa que a sua trajetória no Youtube está começando. O caminho não é fácil, mas não significa que você vai deixar o seu projeto no papel.Neste artigo,você terá acesso ao máximo de informações sobre como planejar o seu conteúdo no Youtube.

Como alcançar seus objetivos na plataforma ?

Para atingir seus objetivos no YouTube, não é suficiente apenas criar um canal e postar de vez em quando. Assim como criar conteúdo para qualquer plataforma, o planejamento é fundamental! Portanto, hoje, vamos apresentar guias de criação passo a passo, scripts e ideias para tópicos de vídeo.

Antes de definir o conteúdo a ser publicado, precisamos entender o processo de compra do consumidor, e o primeiro passo neste canal é a pesquisa. Tendo em mente que o YouTube é o segundo maior mecanismo de pesquisa do mundo, a primeira etapa na definição do conteúdo é entender os problemas, dúvidas ou problemas que o público-alvo deseja resolver e os benefícios que os seus vídeos podem proporcionar .

Outro ponto que deve ser levado em consideração é que não é uma boa ideia usar e abusar dos terríveis “click baits”. Aposte em conteúdos mais fiáveis, onde você possa provar que possui os conhecimentos para ajudar quem assiste. Lembre-se, não existe certo ou errado, tudo depende da sua estratégia. É importante entender qual estilo é mais adequado.Isso será fundamental .

Faça testes com a maior frequência possível

Mesmo com um plano, sabemos que uma estratégia precisa ser verificada na prática. Faça conteúdos variados, sem mudar muito o foco do seu canal. Experimente por exemplo, fazer vídeos com listas (5 coisas que você deve saber sobre…5 maneiras de… E assim vai), vídeos com um tutorial, vídeos gravados em locais abertos e depois em locais fechados e assim por diante. Depois, use o YouTube Studio para ver os números desses vídeos. Com os resultados desses testes, você pode se surpreender ao descobrir que um conteúdo atraente pode exceder suas expectativas, enquanto outro conteúdo parece uma grande aposta, mas os resultados são inferiores ao esperado.

Para criadores e espectadores, a criação de conteúdo de vídeo é um processo de aprendizado contínuo. Espero que essas dicas ajudem você a produzir conteúdo cada vez mais relevante e positivo

Quem você deseja atingir com seu conteúdo ?

A primeira etapa é entender quem criará o conteúdo. Você precisa determinar qual é o seu segmento de público, quem você é e se todos eles correspondem aos interesses do público-alvo.

Com isso, você poderá entender como proceder com o conteúdo do vídeo.

Providencie a maior qualidade possível

O conteúdo em si não deve ser apenas novo, de alta qualidade e fornecer conteúdo interessante, mas também ter um efeito visual.

A produção e edição de vídeos devem estabelecer a experiência do usuário. Imagine começar a assistir algo com imagens pouco nítidas ou problemas de som?

Portanto, não há necessidade de gastar muito dinheiro, mas é ideal usar equipamentos adequados. O cenário também é muito importante, então escolha um local ideal para gravar o vídeo e tenha uma boa iluminação.

Desenvolver programação de conteúdo

Esta é uma das partes mais importantes da definição da estratégia de conteúdo do YouTube. Isso inclui fatores como periodicidade e diversidade, lembre-se disso.

Inove

A diversidade é muito importante para evitar que os usuários percam interesse em seu canal, parem de seguir ou parem de usar seu conteúdo. Porque eles não querem ver o mesmo vídeo toda semana, certo?

Portanto, mescle e aproveite diferentes formatos. Use sua imaginação e criatividade.

Algumas dicas sobre categorias de vídeo são:

  • Ajuda – Este tipo de conteúdo é realizado com o auxílio de buscas que podem ser exibidas no Google. Conte com a ajuda de ferramentas como SEMrush, Google Trends e o próprio campo de pesquisa do YouTube para obter ideias e criar conteúdo para os termos mais pesquisados. Vídeos de tutoriais são os mais comuns
  • Notícias -Você pode comentar notícias sobre um tema que domina. Por exemplo, você pode comentar notícias sobre games (o YouTuber Davy Jones é famoso com esses vídeos), ou sobre política, comportamento (como o YouTuber Izzy Nobre faz) entre outros nichos. Escolha uma temática e vai com tudo!
  • vlogs – este formato é muito popular entre os usuários do YouTube hoje. Nele, você pode contar parte de suas atividades diárias, mostrar todas as suas experiências do dia a dia ou registrar algumas experiências. Isso ajuda a aproximar você, interagir com seus seguidores e permitir que eles o entendam melhor;
  • Unboxing- Você não precisa ter nenhuma parceria com qualquer marca ou empresa. Com este formato, você pode gravar um vídeo ao abrir e usar qualquer produto que você receber ou adquirir. É como um “test drive”, mas também ajuda a orientar os interessados ​​em usá-lo.
  • Fotografia de lapso de tempo – frequentemente usada para transformações, obras, estilos de aparência ou decorações. Este é um vídeo que pode exibir rapidamente um conteúdo que leva muito tempo, assim como você “acelera” o vídeo.

Analise sua concorrência

Ao construir uma estratégia de conteúdo para o YouTube, é importante entender o que canais parecidos com o seu e que fazem sucesso. Isso não é para copiar o conteúdo, mas para te ajudar em tópicos que o público gosta ou não gosta.

Análise e use SEO

Além de usar a pesquisa de palavras-chave para obter conteúdo mais pesquisável, você também deve pesquisar o SEO do YouTube e usar os campos de título, descrição, tags, categoria para processamento estratégico e fazer seu conteúdo aparecer na pesquisa usando técnicas de SEO.

Parcerias são de suma importância

As parcerias podem ajudá-lo a divulgar mais conteúdo, aumentar seu público e aumentar o conhecimento da marca. Você pode convidar outras pessoas para participar de seu canal ou pode convidar os canais de outras pessoas para gravar vídeos especiais. Lembre-se que em geral, YouTubers gostam de fazer vídeos juntos quando o tema e o público são parecidos. Então não pense que se seu canal acaba de começar, você poderá gravar com grandes YouTubers. Vá devagar e sempre, que dá super certo! Procure quem for parecido com o perfil do seu canal.

Espalhe a palavra!

As pessoas precisam saber que seu vídeo existe. Além de ter uma estratégia de palavras-chave e título claramente definida, você também pode promover o desenvolvimento do seu público por meio da divulgação de vídeos nas redes sociais (Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn) a partir do conteúdo.

O ideal é você começar a divulgação de seu vídeo logo depois de postar ele, porque isso vai te ajudar a que seu vídeo seja recomendado pelo YouTube.

Se você precisa de apoio profissional para sua carreira de YouTuber CLIQUE AQUI

IMG_256

Como escolher um influenciador para a sua campanha?

IMG_256

O trabalho bem feito de um influenciador digital pode gerar uma conversão bem positiva para o seu negócio. Mais como qualquer estratégia que vinculo ao marketing é crucial se atentar há alguns pontos para que ser obtenha sucesso.

Um dos pontos de atenção é o PERFIL DO INFLUENCIADOR DIGITAL ESCOLHIDO. A escolha certa, na hora certa, no momento certo vai influenciar o desenvolvimento da sua marca.

O perfil correto é fundamental para que transmita a mensagem ao seu público da maneira correta. Portanto, ser você tem pensado em aplicar o marketing de influencia no seu negócio, é importante ter atenção nas seguintes dicas:

Quando falamos sobre influenciadores, número de seguidores não pode ser levado como quesito de boas referências.

É natural que você ser baseie que a pessoa é uma boa influence pelo o número de seguidores que ela tem, um grande erro! Pois, quanto maior o número de seguidores, não é garantia nenhuma de sucesso. Antes de olhar o número de seguidores que o influence tem, é legal olha ser o perfil do mesmo vai atender o seu público de divulgação. Personalidade e valores estão atrelados ou melhor aliados a sua marca?

Se basear pelo o número de seguidores do influence não é uma métrica recomendada, é importante que o influence tem algum tipo de conexão com o seu produto ou serviço.

Seu público vai dar valor ao que você está indicado, por ser referência no assunto, por isso antes de sair por aí solicitando que o influence divulgue sobre o seu produto, avalie o perfil do mesmo, veja outros trabalhos semelhantes ao seu e avalie ser a comunicação do mesmo é o suficiente para a sua campanha.

Engajamento com o público será sempre um referencial.

Para que toda a sua campanha gere bons frutos, excelentes resultados o influenciador precisa ter um excelente relacionamento com os seguidores.

Ser popular na web e ter com isso um bom engajamento, verifique ser os post do mesmo impactam um grande público, e veja ser esse impacto é positivo.

Conteúdo que oferecem valor ao público é sempre bem avaliado, recomedado e compartilhado.

Oferecer conteúdos de valor é a CHAVE de SUCESSO de qualquer négocio.

Só tem interação, quando você oferece QUALIDADE, a principal preocupação e responsabilidade de um bom influenciador é entregar qualidade.

Não basta apenas sair por aí fazendo publicações, de nada vai adiantar ser não oferecer qualidade, engajamento e visualizações, ofereça por isso conteúdos relevantes.

Tenha muito bem definido o que você quer.

Estabelecer o objetivo da campanha é fundamental para o sucesso do seu marketing de influência, a busca no mercado por um profissional que é especialista no assunto sempre será a melhor opção.

É outra coisa que você precisa ter em mente é o seguinte, você terá um gasto com o influenciador, seja pagando ou até mesmo através das famosas permuta, quanto maior o número de seguidores e audiencia, mais caro será o influenciador é óbvio.

Porém ressalto novamente, que nem sempre ter o número maior de seguidores é sinônimo de qualidade.

Canal e diversas outras redes sociais

Nem sempre o cara que é referência no facebook será o que tem mais seguidores no instagram, por isso que é extremamente importante ter o seu público alvo muito bem definido, isso será acertivo para a divulgação do seu negócio.

O público alvo vai concentrar as suas ações dentro do marketing, dessa forma você vai criar audiência e engajamento com o seu público.

Tipo de influenciador é importante ter bem definido.

Um bom influenciador é especialista no assunto, por isso podemos definir:

  • Influenciador agitado o que gosta de está em foco a qualquer custo, gosta de ser polêmica.
  • Influenciador jonalista é o que conta fatos reais, passa informações verídicas.
  • Influenciador autoridade é o profissional que fala sobre o assunto com experiência no mercado.
  • Influenciador especialista fala sobre o assunto com propriedade.
  • Influenciador celebridade é capaz de dar um longo alcancer para a marca.
  • Influenciador conector é o que divulga o seu produto usando a marca.

Depois de ter todos os alicerces acima bem definidos, chegou a hora de olhar como anda a sua concorrência.

É um detalhe crucial, depois que você encontrar o influenciador perfeito para fazer a sua campanha, verifique como anda o histórico da campanha escolhida no mercado, usar o mesmo influenciador que a outra marca utiliza, dependendo do seu negócio não é muito recomendado, pois o público pode não ser identificar com a sua marca.

Por isso, cheque tudo isso antes de contratar o profissional, depois de escolhido o seu influenciador, chegou a hora das formalidades.

Você precisa e deve fazer um contrato de prestação de serviço, é importante formalizar. Isso vai dar mais segurança para a campanha para ambos os lados, além de controlar a sua comunicação com o influenciador, pois de fato é uma troca de custo x benefício.

Tenha atenção em todas as particularidades desse contrato, o preço pode variar muito de acordo com a entrega que você pode solicitar do influencer, negócio e leve em consideração todos os critérios, pois será essa personalidade que vai impulsionar o alcance ou melhor as fronteiras geograficas da sua marca.

Espero que essas dicas ajudem a vocês impulsionarem o seu negócio, mais ser precisar de ajudar, nós somos uma assesoria especializada em influencers digitais, acesse o nosso site e confira hoje mesmo os nossos serviços www.warpmedia.com.br/servicos juntos podemos romper as barreiras da sua carreira.