3valetudo

Pra ser famoso no YouTube, vale tudo?

Uma vez perguntamos a um adolescente iniciante no YouTube: você faria qualquer coisa para ser famoso no YouTube? Ele respondeu que sim, talvez sem pensar no peso da pergunta feita a ele. O desejo de ser famoso muitas vezes faz com que as pessoas procurem os “meios necessários” para conseguir o que se quer. E às vezes isso vai longe demais.

Nesse artigo, vamos te mostrar porque ir longe demais muitas vezes não vale a pena. Por exemplo, não precisa fazer como o Lejaden fez, numa live em que ele literalmente, leu um dicionário de português INTEIRO:

 

Aliás esse menino tem muita paciência mesmo viu…Nessa outra live ele quis “mandar um salve” para TODAS AS CIDADES DO BRASIL:

Bom, nesses casos, apesar da “loucura”, o rapaz desse canal atualmente tem mais de 53 mil inscritos e os vídeos dele têm boa audiência. No YouTube você pode encontrar qualquer tipo de vídeo com pessoas fazendo de tudo pra chamar sua atenção.

Mas até aí, apesar da loucura de vídeos com desafios que envolvem fazer coisas extremamente demoradas (há um vídeo que encontramos em que um sujeito supostamente esvaziou uma piscina com um pano, embebendo o pano com a água da piscina e torcendo o pano do lado de fora) há outras pessoas que decidem fazer coisas que põem em risco as próprias vidas ou a de outras pessoas, ou chegam perto de cometerem atos ilegais (como um grupo que quis entrar numa delegacia vestidos como os da série “La casa de papel”) entre outras coisas. Será que existe um limite pra tudo isso?

Qual o limite para se criar um vídeo no YouTube?

O limite é a vida e o bem estar próprio e alheio. Uma coisa que você deveria saber é que a maioria dos vídeos com supostos desafios “extremos” são absolutamente falsos. Então faça-se um favor: não acredite na maioria dos vídeos de desafios que estão no YouTube. Eles são cuidadosamente pensados para que o público pense que a pessoa passou por um grande perigo, colocou a vida de um animal em perigo, teve uma grande aventura ou até que cometeu um crime.

O problema de se produzir esse tipo de conteúdo é que nem todo mundo sabe que eles são falsos. E com isso, muita gente que está começando no YouTube pode e muitas vezes pensa, que para se conseguir uma boa audiência é válido fazer esse tipo de conteúdo. Mas o ponto é que, como eles não sabem que se trata de conteúdo falso, eles tentam reproduzir esse tipo de conteúdo, de verdade.

E isso já custou a vida de pessoas. Faz um tempo um adolescente se matou, ao vivo durante uma transmissão online, tentando fazer um desafio. Pode parecer que é fácil fazer certos “desafios” porque existem muitos vídeos de pessoas que parece que os fizeram sem problemas. Só que na verdade, muitos deles nunca aconteceram, realmente, não passando de pura encenação.

Num passado não muito distante, crianças e adolescentes no YouTube eram frequentemente “desafiados” a fazerem desafios em que tinham que tirar toda a roupa e sair correndo em algum local. Esses vídeos davam realmente muita audiência aos canais deles, porém a maioria eram de adultos que tinham segundas intenções com essas crianças. O YouTube inclusive, por causa desse tipo de situação teve que limitar os canais infantis para não permitir comentários.

Recomendações de segurança para criação de conteúdo no YouTube (e fora dele)

  • Nunca coloque a vida de animais em risco. Nada de fazer vídeos queimando coisas perto de animais ou em animais. Nem nada que possa colocar a vida deles em risco, como colocá-los em locais perigosos por exemplo).
  • Jamais aceite desafios que incluam a ingestão de produtos que não são alimentos (detergentes, combustíveis etc).
  • Não aceite fazer vídeos em que você tem que ingerir algum alimento em grandes quantidades. Por exemplo, há vídeos em que a pessoa consome grandes quantidades de sal, açúcar, canela em pó entre outras coisas que em grande quantidade, podem trazer problemas de saúde.
  • Nunca faça vídeos em que você se expõe fisicamente. Primeiro porque você ao fazer isso, está se colocando em perigo e depois porque esse tipo de conteúdo pode eliminar seu canal. O YouTube não permite esse tipo de conteúdo.
  • Não coloque sua vida em risco. Não tente fazer vídeos em que você terá que fazer algo arriscado, como “se mandar pelo correio”, invadir locais e coisas assim. A maioria dos vídeos que você vê são todos falsos, feitos para ganhar sua audiência.
  • Nunca coloque a vida de outras pessoas em risco. Portanto, não faça “trollagens” que envolvam prejudicar alguém, principalmente ao ponto de por essas pessoas em risco. Um exemplo disso são trollagens em carros alheios, em que uma pessoa substitui peças do carro e coisas assim.
  • Se você é criança, sempre grave na presença de um responsável adulto.

Portanto, não vale tudo, na hora de ter sucesso com YouTuber. Existem coisas que você deve por em primeiro lugar, como sua vida, sua dignidade e a dos demais também.

Quer ajudar profissional pra sua carreira? CLIQUE AQUI.

 

como ser youtuber

3 erros fatais que novos YouTubers “grandes” comentem

Influenciadores digitais, ao contrário do que muita gente pensa, não são pessoas perfeitas. Eles cometem erros, inclusive erros estratégicos dentro do negócio deles, como criadores de conteúdo. Às vezes, um canal cresce muito rápido, mais rápido do que imaginava seu apresentador. E com o crescimento do canal, surgem situações novas que nem sempre esse criador de conteúdo sabe lidar. No artigo de hoje, vamos te mostrar alguns pontos que acabam atrapalhando negociações, audiência e claro, o progresso de seus canais.

 

Vamos a eles então!

Não responder a comentários

Pode ser que antigamente, quando seu canal ainda não tinha tanta audiência, você respondia a todos os comentários de pessoas que viam seus vídeos, afinal, não eram tantos assim. Mas com o passar do tempo, seu canal foi ficando maior, mais visualizações e com isso, mais comentários. Pode ser que você até tenha tentado manter a linha de comunicação, respondendo ao máximo de comentários possível, mas depois de um tempo, já cansado, você simplesmente chegou a conclusão de que não é possível responder a todos os comentários. E aí você deixa de responder. Simples assim.

No entanto, por mais que possa ser cansativo passar muito tempo respondendo a comentários, você deve saber que isso é super importante para seu canal. Responder comentários causa mais engajamento do público, que vai ver que você se importa com o que eles dizem. Além disso, também vai ajudar a que seu canal tenha mais interação, o que contribui para um melhor posicionamento de um vídeo. No fim das contas, quanto mais comentários forem feitos em um vídeo, melhor vai ser.

Separe um dia ou dois para responder a comentários. Você pode agendar um horário definido, como uma hora por exemplo em determinado dia e horário, para responder a comentários. Faça isso sempre no mesmo dia e mesmo horário, para te ajudar a ter o costume.

Ignorar a maioria dos e-mails

Quando falamos em “ignorar e-mails” nos referimos a simplesmente esquecer que você tem conta de e-mail. É verdade que a quantidade de spam que todo mundo recebe é cada vez maior, mas mesmo assim, muita gente vai querer falar com você por e-mail.

Claro, você não deve responder a todos os e-mails que recebe. Mas vale a pena dar uma olhada em muitos deles. No meio da montanha de e-mails, estarão e-mails de seguidores do seu canal, que merecem uma atenção sua, porque se não fosse pela audiência deles, que muitas vezes, militam a seu favor e defendem o que você diz nos seus vídeos, você não teria um grande canal hoje. Então dê valor a esses e-mails. Muitas vezes tudo o que eles querem é um pouquinho de atenção, quem sabe dizer um “oi” como resposta seja algo incrível para eles.

Além disso, existe o lado comercial. Existem muitos influenciadores que chegam a ignorar e-mails de propostas comerciais! Por um lado, se entende que muitas das propostas são ruins e fora do interesse do influenciador, porém no meio das mensagens que não interessam, podem estar boas propostas.

Se você é influenciador digital e recebe muitos e-mails com “propostas comerciais” tenha o trabalho de pelo menos, ler todos eles. Aí no meio do monte de propostas que não são atraentes pra você, estarão propostas boas. Não deixe dinheiro na mesa!

 

Errar na hora de passar orçamento para campanhas publicitárias

No começo, ninguém te procurava para fazer anúncios em seu canal. Com o passar do tempo ou “de repente” seu canal cresceu e agora muitas empresas e agências de publicidade andam atrás de você. Querem que você anuncie seus produtos e serviços. Mas, quanto cobrar e como cobrar?

O maior erro que você pode cometer nesse aspecto é supor um valor “porque sim” e passar ao anunciante. Um valor que saiu da sua cabeça porque você achou ele interessante. Não, não!

O que você deve fazer para cobrar de uma maneira mais adequada é ver qual ou quem é sua concorrência. Mas com concorrência, não nos referimos a outros canais iguais ao seu. Eles também podem estar cobrando errado. E você não precisa repetir a bobagem que eles fazem.

Para um anunciante, seu canal é um veículo de divulgação. Um meio em que ele vai divulgar produtos ou serviços. Eu te pergunto: onde mais ele pode anunciar produtos ou serviços, além de um canal do YouTube? Vamos a uma lista de opções? Veja:

  1. Ele pode anunciar no Google
  2. No Facebook
  3. No Linkedin
  4. No Instagram
  5. No Twitter
  6. No Bing
  7. Em blogs
  8. Na TV
  9. No rádio
  10. Em jornais

Está vendo como existe um montão de opções? Seu canal é mais uma delas. O anunciante geralmente considera quais são as melhores opções para anunciar entre as muitas que existem. Então seu principal concorrente não é outro canal parecido com o seu, mas sim outros meios de anúncio.

Então, o que você deve fazer é estudar como essas plataformas concorrentes cobram e se comportam, que resultados trazem entre outras coisas, para que você possa criar uma estratégia vencedora. Mas como fazer isso?

Vamos comentar, bem “por cima” como as plataformas de anúncios que mencionamos acima funcionam. Assim, você poderá pensar num plano de ação e vai ter argumentos para apresentar ao anunciante.

Geralmente, todas as plataformas de anúncios, com exceção dos jornais, TV, rádio e blogs, usam o método do “leilão de palavras-chave”. Esse leilão, que não é visível ao público, determina o valor de palavras que irão “ativar” um anúncio feito por uma empresa. Funciona mais ou menos assim:

Vamos supor alguém que queira anunciar um jogo de panelas. Lá no Google, por exemplo, ele terá que escolher quais palavras irão acionar o anúncio dele. Ou seja, por exemplo, se ele definir que o termo “jogo de panelas” acione seu anúncio, o Google irá verificar quantos outros anunciantes estão pedindo para usar esse mesmo termo. Entre todos os que estão usando o termo, o Google vai ver qual anúncio é o melhor, seguindo padrões de qualidade (que nem sempre são claros) internos. Assim, ele determina qual anúncio vai aparecer mais vezes e também o valor desse anúncio, afinal, se muita gente estiver usando o termo “jogo de panelas” para que o Google mostre todos os anúncios irá ter que cobrar mais caro, pois o anúncio em algum momento irá aparecer nas primeiras posições.

Dessa forma, hoje existem palavras-chave que “custam” entre R$0,01 e R$10,00 o clique ou muito, muito mais. Tudo depende de com esteja o mercado. Existem ferramentas que o Google disponibiliza para que um anunciante saiba mais ou menos o valor de uma palavra-chave e assim possa escolher as mais convenientes para seu anúncio.

Um detalhe: o anunciante só é cobrado quando alguém clica nelas em um anúncio. De outra forma, não há custos. Claro, a ideia é que o Google tente fazer com que as pessoas cliquem no anúncio o máximo possível, afinal, a ideia é ganhar dinheiro.

O anunciante pode determinar quais palavras irão ativar seu anúncio, dessa forma, segmentando bem quem vai ver esse anúncio. As outras plataformas funcionam de maneira muito parecida.

Então você deve saber que essa é sua concorrência. E você precisa saber se “vender” corretamente. Não existe uma fórmula que mostre quanto um anunciante precisa gastar no Google por exemplo, para ter bons resultados. Mas geralmente, quanto mais orçamento ele tiver para investir, melhores serão seus resultados, já que muita gente clica nos anúncios mas não compra nada.

Então, onde você como influenciador digital, ganha das plataformas de anúncios?

  1. Você fala para uma audiência cativa, que confia no que você diz. Seu poder de convencimento é muito maior que um simples texto de anúncio, com uma foto.
  2. Seu anúncio vai ser feito em um vídeo que vai ficar “para sempre” no seu canal, assim o anúncio vai ser permanente para o anunciante, mesmo depois que ele tiver terminado de te pagar. Nas plataformas quando acaba o orçamento, o anúncio desaparece.
  3. O produto ou serviço do anunciante é muito melhor visto num anúncio em seu canal. Você pode testar o produto, mostrar em detalhes as características dele e dar sua opinião e isso não tem anúncio “tradicional” que possa fazer.

Use esses argumentos quando estiver de frente para um anunciante (mesmo que for por meios online). Sobre o preço que você deve propor, leve em consideração o seguinte:

  1. O tamanho da sua audiência. Não falamos aqui de quantos inscritos e sim de quantas pessoas veem seus vídeos por mês. Faça uma média de quantas visualizações seus vídeos recebem por mês. Isso pode dar uma ideia ao anunciante de quantas pessoas irão ver o anúncio que você vai fazer.
  2. Seu nicho de atuação. Se você fala sobre algo muito especializado, como por exemplo, como investir em ações entre outros, você pode valorizar um pouco mais seu conteúdo e cobrar por isso. Pois seu público com certeza está muito “nichado” também e as possibilidades de que o anunciante tenha boas vendas com seu canal são altas.
  3. O preço que o anunciante em média teria que investir nas plataformas de anúncios. Faça uma simulação, crie uma conta no Google Ads e “brinque” de fazer simulações de campanhas. Veja quanto um anunciante gastaria para conseguir certo número de visualizações e cliques. Tudo vai depender também do valor do produto a ser anunciado, então sempre pergunte os preços dos produtos.
  4. Em vez de dar um valor “fechado” (cobrar valores fixos, por exemplo) você pode dizer que cobra por visualização. Isso vai parecer mais atraente para o anunciante, tenha a certeza disso. Experimente cobrar valores entre R$0,05 e R$0,08 por visualização. Faça as contas. Um canal com 100 mil visualizações médias por vídeo, que cobre 5 centavos por visualização, irá receber R$5.000,00. Claro, existem fatores que podem aumentar esse valor, por exemplo se seu canal for de um nicho pouco explorado no YouTube. Além disso, cobrando “por visualização” seu anunciante vai se sentir mais seguro, pois um grande medo que eles têm é que seu anúncio seja colocado num vídeo que poucas pessoas viram e ter pagado “caro” por isso.

Esperamos que essas dicas te ajudem a lidar melhor com seu canal, que agora é grande. Muito sucesso pra você!

Ah, e se quiser apoio profissional para seu canal, CLIQUE AQUI e conheça nossos serviços.

influenciadores toxicos

YouTubers tóxicos: como não ser esse tipo de babaca

A internet “democratizou” as ideias. Hoje em dia, qualquer pessoa pode expor o que pensa, seja nas redes sociais, plataformas sociais, websites, fóruns e outros. O problema é que essa mesma liberdade também criou locais tóxicos, em que as pessoas destilam seu desprezo e ódio por coisas, pessoas ou causas que elas não aprovam, por motivos justos ou não.

No artigo de  hoje, que realmente tem um título um pouco forte, vamos mostrar pra você primeiramente alguns exemplos de YouTubers tóxicos, sem citar nomes de canais (gente tóxica não merece ser divulgada), os prováveis motivos para eles serem assim e a razão pela qual você não deve imitá-los.

O que seria um YouTuber babaca digo, tóxico?

Pessoas tóxicas são aquelas que sempre criam problemas, por serem muito críticas sobre algum assunto, fazerem comentários maldosos, espalharem intrigas e mentiras. Geralmente, são pessoas que estar em sua presença é sempre tenso, porque você não sabe o momento em que ela vai atacar a você ou a outra pessoa.

No YouTube encontramos milhares de canais que têm essas características. São canais de todo o porte. E de vários nichos. Geralmente, os canais que abordam temas em que existem “lados opostos” exploram muito o uso de conteúdo tóxico, como canais de opinião política e de “console wars”.

Exemplo de vídeo tóxico

Um certo canal “gamer” que está em fase de crescimento promove a famosa “guerra de consoles”. Esse tipo de abordagem em si, já não é agradável, porém em última análise, quando um canal é “partidário” de um certo console e se dedica a mostrar novidades sobre o console, notícias em geral sobre ele e de vez em quando fazer um comparativo com o concorrente, isso seria muito mais saudável.

Porém esse canal (que poderia ser muitos, mas não vamos mencionar o nome), costuma fazer vídeos em que ofende diretamente ao público. Em um de seus vídeos, o título era algo como “Se você comprou o console tal, você é um idiota”. E no vídeo ele tenta provar com meias verdades, que o console em questão não roda games em 1080p e sim numa definição que “somente as TVs de tubo, antigas, poderiam rodar”, informação que é facilmente derrubada, quando fazemos uma análise do console que foi alvo de ataques.

Você percebeu o que houve?

No título, ele já ataca a um público e no conteúdo do vídeo ele ataca a um produto de maneira injusta. Tudo isso na busca da audiência!

Recentemente um canal que fazia uma abordagem parecida foi banido do YouTube. Esse que mencionamos parece que está no caminho também.

Porque canais do YouTube tóxicos fazem sucesso?

Você deve se lembrar de sua época da escola, de quando duas pessoas iam “brigar”? Esperamos que você não tenha estudado em um local onde havia isso, mas infelizmente em escolas, principalmente entre adolescentes, acontece muito. Duas pessoas começam a brigar e a se agredir fisicamente, logo depois da saída da escola. Ao redor da briga, uma multidão de crianças e adolescentes acompanham o conflito.

As pessoas gostam de acompanhar uma briga! Por isso que canais de “tretas” no YouTube fazem tanto sucesso. Além disso, quando se fala em algo que desperta uma paixão e quase uma idolatria por parte de um grupo ou de grupos opostos, fica fácil instigar um grupo contra o outro e com isso atrair seguidores.

São influenciadores que vivem do caos. Eles precisam que exista uma briga, dois lados opostos dos quais ele quer fazer de tudo para humilhar e atacar o “inimigo” para chamar a atenção de outros que são adeptos do mesmo pensamento,  também até mesmo de muitos que estão do outro lado, sendo atacados, que irão até os vídeos do canal para se defender e estabelecer uma verdadeira guerra de comentários. E com isso, o vídeo e o canal do influenciador tóxico vai ganhando engajamento.

Não vale a pena ser um YouTuber babaca, digo tóxico!

É verdade que começar uma briga em dois lados pode gerar muita audiência para seu canal. Mas não é uma maneira sadia de se comunicar e influenciar pessoas. Se alimentar do ódio alheio é péssimo para sua reputação, pode afastar possíveis anunciantes (você pode perder dinheiro) e criar uma fama de babaca. Sim, babaca mesmo.

Além disso o YouTube tem políticas contra assédio moral. Veja o que o YouTube diz:

Não é permitido publicar no YouTube conteúdo que ameace pessoas. Também não permitimos conteúdo que persiga um indivíduo com insultos contínuos ou maliciosos com base em características intrínsecas. Por exemplo, incluindo o fato de pertencer a um grupo protegido ou os atributos físicos.

Se você encontrar conteúdo que viola esta política, faça uma denúncia. Acesse este link para ver instruções sobre como fazer isso. Se você quiser denunciar vários vídeos ou comentários, é possível denunciar o canal. Para ver dicas e práticas recomendadas para sua segurança, para manter sua conta segura e para proteger sua privacidade, consulte este artigo da Central de Ajuda.

Se você receber ameaças específicas e sentir que sua segurança está em risco, denuncie diretamente ao órgão local responsável pelo cumprimento da lei.

O que esta política significa para você

Se você envia conteúdo

Não publique no YouTube conteúdo que se encaixe em alguma das descrições abaixo.

  • Conteúdo que tenha insultos prolongados ou maliciosos (por exemplo, gírias ofensivas a etnias) com base nas características intrínsecas de alguém. Isso inclui o fato de pertencer a um grupo protegido, traços físicos, a condição de sobrevivente de abuso sexual, violência doméstica, abuso infantil etc.
  • Conteúdo que tenha o objetivo de humilhar, enganar ou insultar menores de idade. Um menor é um indivíduo que ainda não alcançou a maioridade legal. Na maioria das regiões, essa definição se aplica a pessoas com menos de 18 anos.

Monetização e outras penalidades

Em alguns casos raros, podemos remover o conteúdo ou aplicar outras penalidades quando o criador de conteúdo:

  • incentiva repetidamente o público a ter comportamento abusivo;
  • envia com frequência vídeos que insultam e assediam um indivíduo identificável com base nas características intrínsecas dele;
  • expõe um indivíduo a riscos ou perigo físico com base no contexto político ou social do local;
  • cria conteúdo que afeta negativamente a comunidade do YouTube, incitando a hostilidade entre criadores de conteúdo com o objetivo de receber ganhos financeiros pessoais.

fonte: https://support.google.com/youtube/answer/2802268?hl=pt-BR

 

Se você tem um canal tóxico ou pretende ter um, desejamos do fundo do coração que seu canal fracasse. Além disso, não nos procure, procure em lugar disso um psiquiatra, porque você precisa de um urgente.

Agora se você quer fazer o correto, com bom conteúdo, vamos conversar! CLIQUE AQUI e conheça nosso serviço de assessoria para YouTubers, o mais completo do Brasil!

 

sabotagem no youtube

30 bobagens que YouTubers fazem – E os motivos pra você não entrar nessa

Nesse artigo, vamos comentar com você sobre coisas terríveis que muito YouTuber faz em troca de visualizações e que não deveriam fazer. Afinal de contas, o que você faria em troco de ter sucesso como influenciador digital? Tem gente que não tem limites.

Preparamos uma lista de coisas que, apesar de muitos YouTubers fazerem, você não deve fazer, porque não são éticas. Vamos lá!

  1. Click bait em quase todo título de vídeo ou thumbnail.
  2. Música de fundo ficar na frente e não no fundo do vídeo. Ou seja, por a música de fundo alta demais.
  3. Usar thumbnails muito “forçadas” ou apelativas. Muitas vezes colocando temáticas sexuais ou sugestivos (incluindo em vídeos em que crianças também assitem)
  4. Mentir sobre o que estamos vendo no vídeo. A pessoa diz que vai fazer algo que na realidade, não fez.
  5. Introdução longa demais. Isso dá vontade de sair do vídeo.
  6. Abusar das “setas gigantes” que às vezes, não apontam para nada na thumbnail. O recurso deve ser usado corretamente.
  7. Fazer mil “caras e caretas” na thumbnail, muitas vezes exagerando a reação que realmente teve diante de algo relatado no vídeo.
  8. Vídeos em que o YouTuber finge estar deprimido e se grava chorando, com close nos olhos (pra todo mundo ver como ele está chorando), para tentar chamar a atenção.
  9. Canais que tem “neura” sobre o tempo de duração de um vídeo. Todos os vídeos tem que ter uma certa duração, sempre.
  10. Enrolar demais pra mostrar o conteúdo real do vídeo. Justamente por causa do ponto anterior.
  11. Falar de maneira artificial, robótica ou muito teatralizada.
  12. Não fazer thumbnail para seus vídeos
  13. Imitar descaradamente a outro canal.
  14. Baixar vídeos de outro canal e usar no seu, com se fossem seus.
  15. Não responder a nenhum comentário.
  16. Fazer vídeos com informações falsas e jurar que são verdade.
  17. Fazer vídeos em que o YouTuber afirma que algo está acontecendo quando na verdade, é tudo ensaiado.
  18. Fazer vídeos em que o YouTuber coloca em risco a vida de animais.
  19. Fazer vídeos em que o YouTuber coloca em risco a vida de outras pessoas.
  20. Fazer vídeos em que o YouTuber coloca em risco a própria vida.
  21. Fazer vídeos cometendo ou querendo fazer parecer que está cometendo um crime.
  22. Quando desmascarado, ameaçar o denunciante.
  23. Pedir troca de inscritos em grupos no Facebook.
  24. Negociar patrocínios sem ter audiência real.
  25. Não cumprir acordos com patrocinadores.
  26. Ignorar e-mails em geral. Muitas boas propostas são ignoradas junto.
  27. Fazer vídeos dizendo estar muito doente, para chamar a atenção. Tempos depois, “milagrosamente” a doença desaparece.
  28. Ofender ao público diretamente, seja no título do vídeo ou no conteúdo.
  29. Desativar comentários porque não quer receber feedback negativo.
  30. Não seguir uma temática no canal. Gravar tudo o que “der na telha”.

Essas são coisas que são muito comuns hoje em dia. Mas você não precisa seguir nada disso. Nós já falamos aqui, aqui e aqui sobre como ter sucesso como YouTuber, além de vários outros artigos publicados.

Se você precisa de ajuda profissional para sua carreira como YouTuber, CLIQUE AQUI e conheça nossos serviços.

 

como ser youtuber

Vai mudar o nicho do seu canal do YouTube? Cuidado com o tiro no pé!

Todo canal do YouTube precisa de um nicho. E se isso não está claro para você, você está fazendo tudo errado no YouTube.

Não adianta nada ter um canal que em um vídeo você dá uma receita de bolo e no outro você dá um tutorial de como pintar seu carro em casa (aliás, será que fica bom fazer isso em casa?). Então, ter um nicho, um tema central, é muito importante.

Acontece que às vezes alguns influenciadores digitais, depois de criarem dezenas, em alguns casos, centenas de vídeos com uma mesma temática, decidem mudar o tipo de conteúdo que publicam. Pode ser que se cansaram de tanto falar sobre aquele assunto e agora querem falar sobre outras coisas, que também são de seu interesse (o deles). Tem alguma coisa de errado nisso? Bom, vamos analisar nesse artigo sobre a viabilidade de se mudar o nicho de um canal no YouTube

Mudar de nicho no YouTube: o perigo do “tiro no pé”

Existe sim, um problema enorme de você mudar a temática de seu canal do YouTube. Esse problema está concentrado em duas frentes:

  1. Seu público, que já está acostumado com receber o conteúdo atual de seu canal. E se seu canal faz sucesso com esse conteúdo, parte de seu público pode ir embora se perceber que o canal já não apresenta o que eles gostam de ver. E isso é um enorme problema, porque seu canal pode se transformar em uma verdadeira “zona fantasma” com muitos inscritos e poucas visualizações.
    Se você der uma procurada no YouTube, vai achar dezenas de canais, em alguns casos com mais de 1 milhão de inscritos e com pouquíssimas visualizações em cada vídeo. Uma tristeza! E na maioria dos casos, esses canais um dia decidiram mudar o tipo de conteúdo.
  2. O próprio algoritmo do YouTube pode prejudicar seu canal. O objetivo do YouTube é organizar o conteúdo que está na plataforma e mostrar para as pessoas o conteúdo que elas gostam de ver. Se você por exemplo, é inscrito de um canal que faz análises de produtos de informática, provavelmente você vai começar a receber muitos ou até todos os vídeos de canais que você é inscrito e falam sobre esse tema, além de receber várias sugestões de canais para ver seus vídeos.
    E o que aconteceria se um dos canais que você acompanha que faz essas análises de informática “de repente” começa a falar sobre como aprender inglês? Para o YouTube, esse canal era até então, um canal sobre informática e agora está mudando de nicho. O que o YouTube vai fazer é pouco a pouco reclassificar esse canal. O ponto é que com isso, ele vai deixar de mostrar o conteúdo dele, até mesmo para quem é inscrito nele, pois essas pessoas ainda querem saber sobre informática. E com isso, o canal perde relevância, porque com certeza já existem vários canais que já falam sobre aprender inglês. E com isso, o canal vai acabar “começando do zero” de novo. Não é uma boa ideia!

Mostre respeito a seus inscritos

Quem se inscreveu em seu canal, o fez por vários motivos, mas com certeza o principal foi o conteúdo que a pessoa encontrou nele. Você mudar seu conteúdo pode ser visto como uma forma de desrespeito a seus inscritos, pessoas que gostam do que estão acostumadas a ver com você.

Simplesmente mudar subitamente o tema central de um canal sem que exista um motivo muito sério para isso pode ser muito ruim para você como influenciador digital. Queremos comentar sobre um canal que acompanhamos, sem mencionar o nome. O canal em questão tem 50 mil inscritos mais ou menos e por vários meses postou vídeos sobre um certo game muito famoso. O canal contava com vários quadros referentes a esse jogo e a audiência do canal variava entre 30 e 70 mil visualizações, com vídeos chegando a 90 mil visualizações, o que é um número excelente, se contarmos que o canal tem 50 mil inscritos. Muitos canais com 1 milhão de inscritos não tem essa audiência!

Um dia, o dono do canal fez um vídeo dizendo que decidiu mudar e diversificar o conteúdo do canal. Mostrando quadros diferentes. Na verdade, bem diferentes. Bom, pra ser ainda mais francos, completamente diferentes. O canal passou a analisar e comentar “acontecimentos e fatos estranhos” mudando assim o nicho por completo.

Qual foi o resultado? Primeiro a audiência foi caindo, despencando. E por fim, o canal foi abandonado pelo seu dono, que há meses não publica nenhum vídeo novo. Igual a esse caso, poderíamos contar dezenas de casos parecidos. Poderíamos dar vários outros exemplos. O ponto é que a história do seu canal não precisa ser essa, nem ter esse fim.

No outro lado da moeda, podemos comentar de alguns canais, que inclusive prestamos assessoria, que em ocasiões recusa fazer campanhas de divulgação de jogos que não tenham relação com os jogos que ele joga em seu canal, para não prejudicar o SEO (a otimização do canal).

 

Tem algum motivo “bom” para mudar o nicho de um canal?

Pode acontecer de que você tenha que mudar o nicho de seu canal, mas isso seria apenas em casos muito extremos. Veja alguns desses motivos:

  • O nicho atual do seu canal está sendo coibido e desestimulado pelo YouTube.
  • O tema de seu canal é sobre algo que nunca te trouxe boa audiência, depois de você produzir conteúdo constantemente e de qualidade, você percebeu que a audiência era mínima e aí decide ir pra outro nicho, parecido com o original.
  • Seu canal não estava bem-organizado e o conteúdo não era bem-produzido, e por isso você não tinha audiência.
  • Seu canal trazia um conteúdo que, de alguma forma, você não acredita mais nele ou inclusive acredita que pode ser prejudicial a outras pessoas.

Seja como for, se você perceber que seu canal deve mudar de nicho, fale isso com sua audiência. Veja o que eles vão te responder. Percebeu que uma quantidade considerável de pessoas está pedindo para você não mudar? Pense novamente.

É lógico que você precisa produzir conteúdo que gosta. Mas precisa pensar na sua audiência também, principalmente se você quer trabalhar profissionalmente como influenciador digital.

O poder de um nicho para um canal do YouTube

Você não faz ideia do poder de se ter um nicho em seu canal! E se sabe, com certeza já deve estar colhendo os bons resultados disso. Para que você tenha ideia, além dos nichos, tem muitos canais que focam em subnichos dentro de um nicho. Como?

Imagine um canal de games. Agora pense num canal de games que faz conteúdo de Free Fire. Apenas Free Fire. Com o tempo, o YouTube vai reconhecer esse canal como especialista neste game e vai começar a recomendar a quem procure algo sobre Free Fire no YouTube. Há muitos canais assim no YouTube, que falam apenas de um único game, por vários anos. Depois de um tempo, esses canais podem até mudar o game em que dão foco, mas geralmente irão manter o estilo de game. No exemplo mencionado, pode ser que um canal de Free Fire depois mude o foco para falar de outro game no estilo “Battle Royale”.

Então veja só: além de escolher um nicho, uma temática para seu canal, é sempre uma ótima ideia escolher um subnicho para ele também. Isso vai te ajudar bastante, principalmente no começo.

Por esses motivos, pense sempre não duas vezes, mas muitas vezes antes de mudar o tema do seu canal. O resultado pode ser muito amargo. Em todo caso, se você quiser muito falar de outros assuntos, é melhor criar um novo canal. De outra forma, mantenha seu foco e tenha um nicho. Ou até um subnicho!

E se você está procurando ajuda para sua carreira de influenciador digital, CLIQUE AQUI e conheça nossos serviços!

 

 

Seis dicas para você mandar bem no YouTube

Você está procurando umas dicas simples e fáceis de usar pra você mandar bem no YouTube? Já encontrou, separamos essas 7 dicas pra você. Vamos direto para o conteúdo:

1. Crie conteúdo simples

Um dos maiores equívocos sobre o YouTube é que o sucesso só acontece se um vídeo se tornar viral. Costuma-se pensar que se você não pode entregar gatos fazendo travessuras ou mostrar uma pegadinha que deu errado – não é para você. 

Isso é totalmente errado, é claro, especialmente considerando as formas em que os usuários estão consumindo conteúdo de vídeo. 

Embora seja verdade que muitas pessoas assistem ao YouTube em seus celulares, isso não significa necessariamente que queiram vídeos extremamente curtos ou puramente divertidos. O Google sugere que, no que diz respeito à visualização de vídeos, o celular é muito parecido com a TV, o que significa que as pessoas estão de fato assistindo à noite, em casa e para relaxar.

Como resultado, as marcas não devem mais pensar no YouTube no contexto do entretenimento ‘em movimento’. Em vez disso, há espaço para conteúdo simples, ou seja, vídeos mais longos e com mais variedade – sejam informativos, educacionais ou mesmo divertidos. 

2. Seja consistente

Uma característica compartilhada pelos canais de maior sucesso no YouTube é a consistência. A forma mais óbvia é a frequência com que os vídeos são postados, com grandes marcas normalmente postando a cada dois dias ou mesmo todos os dias.

A conscistência precisa ser vista não somente na frequencia de postagem, mas também deve se respeitar um estilo de postagem, uma identidade para seu canal, algo que seu público sempre identifique seus vídeos com seu canal e com você.

 

3. Construa uma comunidade

Embora o vídeo bom possa ser eficaz para chamar a atenção, ele tende a criar uma experiência passiva do usuário (em que o espectador está simplesmente assistindo, em vez de interagir). 

Em contraste, a beleza do YouTube é que ele cria um senso de comunidade para as marcas, com cada canal tendo o potencial de construir um público leal e altamente engajado. 

Existe o entendimento comum (tanto dos criadores quanto dos espectadores) de que os comentários são esperados e apreciados. Você deve, portanto, estar pronto e disposto a responder para construir um relacionamento com o público ao longo de um ciclo de comunicação e interação.

4. Incentive a ação

Novamente, é importante que você estimule os usuários a deixar comentários, mas também existem várias outras maneiras pelas quais você pode ajudar a construir um público e promover a lealdade. Os cartões do YouTube são uma ferramenta simples – são notificações pré-programadas que aparecem nos vídeos para apontar os espectadores para outro lugar (em um vídeo por exemplo, um cartão pode ter um link para um produto em destaque, se o canal for de sua empresa).

As telas finais também são uma ferramenta valiosa. Isso permite que marcas ou criadores promovam até quatro elementos no final de um vídeo, como outro vídeo, lista de reprodução ou um site externo. Isso permite que o espectador saiba que ele pode realizar outras ações, o que pode ajudar a mantê-lo dentro das paredes do canal, em vez de clicar em outro lugar.

5. Otimize para pesquisa

Embora o sucesso no YouTube seja sustentado por recursos como conteúdo de qualidade e consistência, ainda é importante para as marcas garantir que os vídeos tenham a exposição máxima possível. Então, como você pode obter uma classificação elevada do seu vídeo? Há uma série de coisas simples que você pode fazer para ajudar no seu conteúdo, como incluir uma palavra-chave importante no título, usar tags relevantes e uma descrição longa e bem elaborada. 

Miniaturas personalizadas também podem ser eficazes para gerar visualizações, com o design da marca novamente ajudando a criar consistência e familiaridade para os visualizadores.

6. Pense em micromomentos

Então, que tipo de conteúdo você deve criar? De acordo com o Google, é útil para as marcas e criadores considerar os ‘micromomentos’ que seu público pode estar experimentando, a fim de criar conteúdo relevante.

Pra aproveitar esses micromomentos, você precisa estar sempre muito atualizado com o que estiver acontecendo em sua volta. De repente, uma notícia em um grande jornal na TV chama a atenção do público e seu canal fala de temas parecidos. Seria o momento ideal de aproveitar a notícia e transformar num vídeo no seu canal.

Além das notícias, acontecimentos marcantes, causas que estejam em alta (e que se encaixe dentro do tema do seu canal, claro) podem ser utilizadas para você criar vídeos.

Não nos referimos aqui a simplesmente copiar a notícia e por no seu canal. Em vez disso, você pode comentar a notícia, dando seu ponto de vista. Ou ainda em lugar de comentar a notícia, você pode criar um ou uma série de vídeos em que você aborda aquele assunto da notícia, com seu ponto de vista.

Esperamos que essas dicas possam ter te ajudado. E claro, se você quiser ajuda para sua carreira CLIQUE AQUI.

Tem como seu canal crescer “do dia pra noite”? Entenda aqui

“Quero que meu canal cresça logo!”

“Por que o canal do fulano já tem tantos inscritos e o meu ainda não?”

“Será que esse ano eu chego ao milhão de inscritos?”

Você já fez algumas dessas perguntas acima? Pode ser que sim, principalmente se você quer muito crescer no YouTube rapidamente, assim como a maioria das pessoas que começam um canal por lá.
Mas tem muita coisa que você precisa saber antes de querer “rushar” seu sucesso no YouTube, de maneira descontrolada. Vamos ver nesse artigo alguns detalhes que podem prejudicar você, caso você seja apressadinho. Vejamos.

Crescer rápido, mas o que é rápido para você?

Uma coisa é certa. É verdade que existem canais que começam e em um mês já têm milhares de inscritos. Como é que eles conseguem (e você não)?

Bem, em primeiro lugar, nós já falamos aqui detalhes que podem prejudicar seu canal. Mas mesmo que você esteja fazendo tudo direitinho, o sucesso que você quer pode vir num prazo diferente do que você tem em sua cabeça.

Pense nesses fatores aqui:

  • Temática do canal: existem assuntos que, dependendo da maneira em que foram apresentados, geraram mais interação e com isso, mais crescimento que outros. Nunca compare “pêras com laranjas”. Se seu canal é sobre culinária, jamais pense em comparar com o crescimento que outro canal que você acompanha, de games, que está de alguma forma crescendo mais que o seu. Cada canal é uma história diferente, mesmo inclusive, que os dois canais tiverem a mesma temática.
  • Será que um canal que está crescendo subitamente, está fazendo alguma coisa “do lado negro da força”? Como você deve saber, hoje existem muitas formas de fazer crescer um canal, de maneira artificial e perigosamente contra as regras do YouTube. Uma pessoa que esteja disposta a investir algumas centenas de reais em “compra” de visualizações” por exemplo, vai conseguir um resultado que chamamos de “resultado cosmético”: apenas para manter aparência de sucesso. E tenha uma certeza: milhares de canais fizeram, fazem ou vão fazer isso em algum momento, ou em muitos momentos.
    E mesmo que não tem como acusar um canal de estar comprando resultados, isso pode sim, ter acontecido.
  • Rede de relacionamento poderosa: algumas pessoas, mesmo sendo desconhecidas, têm contatos ou até amizades com grandes influenciadores digitais. Quando elas decidem criar seus canais, esses amigos ilustres podem dar um apoio muito poderoso, que é divulgar o canal da pessoa para seu público, às vezes até mesmo fazendo alguma promoção envolvendo sorteio de algo ou alguma premiação.
    Outras pessoas fazem parte de grandes comunidades nas redes sociais, como grupos no Facebook, onde pode ser que elas já tenham certo grau de influencia. Quando criam um canal, e o divulgam nessas comunidades, o crescimento pode ser acelerado, principalmente no começo.
  • Vídeo viral: o dono de um canal, até então desconhecido pode decidir produzir um vídeo com um assunto do interesse de milhões de pessoas, assunto esse que está sendo discutido em todas as partes e que no momento da postagem do vídeo, existe pouco conteúdo publicado no YouTube. Ele posta o vídeo no momento certo, com o assunto certo. Resultado: o vídeo viraliza! Isso acontece muito no YouTube, geralmente o canal começa a ser conhecido por muitas pessoas e começa uma escalada até se tornar um canal com grande público. O segredo é saber qual é um assunto que esteja fazendo sucesso e que ao mesmo tempo, exista pouca informação sobre ele no YouTube. Pra isso, é essencial estar atento às novidades e produzir conteúdo rápido.

Muitos canais de sucesso hoje demoraram mais de 1 ano para serem canais de renome. Alguns levaram alguns anos. Já outros conseguiram centenas de milhares de inscritos em poucos meses.

Assim, cada canal tem seu tempo. Claro, você sempre pode acelerar o processo, com boas práticas e com apoio profissional, se você puder contratar.

Mas então, como crescer mais rápido?

Primeiro, você pode tentar seguir essas dicas AQUI, AQUI E AQUI. Além disso, você deve tentar isso:

  • “Espalhe a palavra por aí”: se você tem canal, então mostra pra todo mundo que você tem. Afinal, se você tem vergonha de mostrar seu conteúdo, então alguma coisa já está mal no seu pensamento para com seu canal. Nas redes sociais, peça pra todos os seus contatos se inscreverem e compartilharem seus vídeos. Em grupos onde é permitido divulgar canais, vai lá “vender seu peixe”. E no WhatsApp a mesma coisa: coloque o link dos vídeos novos na atualização temporária de perfil, comente com os contatos por meio de listas de transmissão, enfim. Distribuia seu conteúdo!
  • Experimente anunciar. O YouTube tem um sistema de anúncios nativo, que pode te ajudar a conseguir mais visualizações e inscritos. E não é muito caro!
  • Produza bastante conteúdo relevante. Capriche nos assuntos dos vídeos, sem esquecer a edição e a thumbnail. E lembre-se que esse conteúdo tem que ser constante, sem falhar nenhuma semana.
  • Experimente produzir mais contéudo. Se você posta um video por semana, que tal aumentar a dose? Quanto mais conteúdo houver, melhor posicionado seu canal poderá estar, se todos os vídeos forem de uma mesma temática.
  • Procure ajuda especializada. Às vezes o que você precisa é de orientação profissional. Imagine contar com uma equipe que vai tomar conta das edições, calendário editorial, thumbnails, divulgação, enfim, tudo para que sua única preocupação seja gravar seus vídeos? Bem, se você ficou interessado, CLIQUE AQUI pra conhecer nossa proposta.

Se você tem realmente o desejo de ser profissional como influenciador digital, seja persistente e constante na produção de conteúdo. Vai com tudo que dá certo!

Como o YouTube conta as visualizações?

Quando se trata de entender as visualizações no YouTube, é importante entender o que realmente significa uma visualização. O YouTube conta uma visualização, dependendo se o espectador iniciou a exibição de um vídeo ou não.

Saber como o YouTube conta as visualizações pode parecer simples, mas na verdade não é tão simples assim. E claro, conhecer essa métrica vai te ajudar a saber como você vai com seu canal, então vamos entender como funciona isso!

Como o YouTube conta as visualizações?

O YouTube quer garantir que as visualizações de vídeo sejam provenientes de pessoas reais. É por isso que uma visualização do YouTube é contada apenas quando os dois critérios a seguir se aplicam:

  1. Um usuário  intencionalmente  inicia a exibição de um vídeo.
  2. O usuário assiste na plataforma por  pelo menos 30 segundos .

Se você pular um vídeo, mas o  tempo total que  você assistir for  superior a 30 segundos , a visualização também contará. Se você assistir por menos de 30 segundos, provavelmente  não.

As visualizações repetidas contam até um certo ponto (por exemplo, alguém assiste a um vídeo várias vezes ao dia), mas elas param de contar em um determinado número que o YouTube não especificou. Os especialistas acreditam  que, após 4 ou 5 visualizações em um dia, o YouTube para de adicionar novas visualizações ao número de contagem de visualizações de um vídeo. Portanto, não  cometa o erro  de pensar que você pode fazer com que seus amigos ou membros de sua equipe assistam seus vídeos repetidamente, porque a resposta é: você simplesmente não pode.

Mas e os vídeos com menos de 30 segundos? Como é possível que eles também acumulem visualizações? Os especialistas não têm certeza de quanto de um usuário deve assistir para contar como uma exibição. Lembre-se de que o limite de exibição de 30 segundos importa apenas porque é um fator que ajuda o YouTube a decidir se vale a pena monetizar um vídeo, e vídeos com menos de 30 segundos não podem ser monetizados.

Os bots de visualização não funcionam

Os espectadores precisam assistir a vídeos no YouTube de maneira realista e lógica . Isso significa que, se uma conta estiver pulando aleatoriamente de vídeo em vídeo e assistindo a cada uma por 30 segundos, sem uma razão lógica pra isso, o YouTube assumirá que o observador é um bot e deixará de contar suas visualizações.

Outros motivos para o YouTube não contar visualizações são:

  • O YouTube  não conta uma visualização de um usuário que deixa comentários de spam  nos vídeos (em teoria, pelo menos).
  • O YouTube não contará as visualizações de vídeos incorporados em uma página que iniciam automaticamente . Então incorporar seus vídeos em um site não necessariamente vai te dar mais visualizações.

Contagem de visualizações de lives do YouTube

Hoje, o YouTube não possui apenas vídeos pré-gravados e enviados que as pessoas podem assistir em sua plataforma. Eles também têm um  recurso de vídeo ao vivo , onde os usuários podem assistir aos vídeos das pessoas ao vivo, em tempo real, são as lives. Mas as visualizações das transmissões ao vivo contam como visualizações regulares?

A resposta é  sim!  O YouTube conta as visualizações ao vivo , assim como as visualizações de vídeos pré-gravados. Como todos os vídeos do YouTube, o único pré-requisito para vídeos ao vivo no YouTube é que eles sigam as diretrizes da comunidade para poder permanecer na plataforma. Portanto, esteja ciente:

É normal ver as visualizações aumentarem ou diminuirem enquanto o YouTube verifica que elas são reais. Aqui estão mais informações sobre como isso funciona: https: // yt.be/help/Jgao Equipe do YouTube

Dentro de 24 horas, suas visualizações ao vivo do YouTube podem ser ajustadas quando seus espectadores

  1. usarem o mesmo IP em vários dispositivos ao mesmo tempo
  2. abrir muitas janelas diferentes e assista ao vídeo ao mesmo tempo
  3. atualizarem a página depois de assistir 30 segundos ou menos

Isso aconteceu com o septeto pop coreano BTS quando eles lançaram seu single ‘ON’. Nas primeiras 24 horas, as visualizações diminuíram de cerca de 83 milhões para 48 milhões . Ainda assim, a música se tornou a maior estreia do YouTube de todos os tempos , com 1,54 milhão de espectadores simultâneos.Veja o videos dos caras aqui.

Muitos usuários do YouTube dizem que os vídeos ao vivo são mais usados ​​para gerar interação e envolvimento com sua comunidade e inscritos, e que os vídeos editados e enviados são uma maneira muito melhor de aumentar sua contagem de visualizações ou solidificar sua marca, para que você possa começar a ganhar dinheiro com seu canal do YouTube.

Por que o YouTube é tão exigente quanto ao que é uma visualização?

O YouTube teve que ser mais rígido sobre como eles contam visualizações, porque os usuários tentaram, de várias maneiras, enganar a plataforma para que parecesse que seu vídeo foi visto mais vezes do que antes. Os usuários tentam  falsificar a contagem de visualizações  porque um número alto de visualizações pode resultar na  monetização dos vídeos ou na promoção pelo próprio YouTube.

Para minimizar o potencial de YouTubers estar falsificando visualizações, o YouTube criou um sistema para detectar o que é uma visualização real. Embora eles não sejam completamente abertos sobre o  algoritmo para detectar uma visão real , existem alguns fatos importantes que sabemos sobre a contagem de visualizações.

Quando o YouTube verifica se meu vídeo é real?

Há um  ponto de inflexão  no YouTube em que os funcionários da empresa analisam o vídeo e verificam se é real e correto estar no site. Esse ponto de inflexão é  301 visualizações .

Durante anos, um vídeo teria uma contagem de “mais de 301 visualizações” quando a empresa o verificasse.

Hoje, a contagem de visualizações continua aumentando, mas ainda é o ponto em que as pessoas no QG do YouTube veem um vídeo e certificam-se de que ele é realmente popular, sem ganhar popularidade falsa com bots ou visualizações não legítimas.

Depois que as visualizações de qualidade são contadas, as atualizações de contagem de visualizações são mais frequentes. O processo de inclusão de todas as visualizações de qualidade pode levar algum tempo, dependendo da popularidade e da visualização de um vídeo. Posteriormente, a contagem de visualizações é atualizada com mais frequência, mas lembre-se de que validamos constantemente as visualizações, portanto, a contagem de visualizações sempre pode ser ajustada. Ajuda do YouTube

Calculadora de visualizações do YouTube

Para descobrir se sua conta é monetizável agora, você pode usar uma ferramenta como uma calculadora de visualização do YouTube. Esta calculadora do Social Blade  pode ajudá-lo a ver qual será o seu CPM estimado, assim como seus ganhos diários estimados, ganhos mensais estimados e projeção anual estimada.

Visualizações do YouTube diferentes no Analytics

A dificuldade de contar as visualizações é visível mesmo na interface do usuário do YouTube. Ao analisar as estatísticas de exibição no YouTube, é óbvio que o próprio YouTube não tem tanta certeza sobre como contá-las. De fato, eles não têm certeza

  • quais visualizações são reais ou falsas,
  • quais valem a pena contar,
  • e quais valem a pena exibir na Página de exibição do YouTube ou no YouTube Analytics.

Apenas veja por si mesmo. Assista a um de seus vídeos e dê uma olhada nessas páginas do YouTube

  • Pesquisa do YouTube,
  • a página de exibição do YouTube,
  • YouTube Analytics,
  • o novo estúdio de criação.

Você provavelmente verá que as estatísticas de exibição do seu vídeo diferem ligeiramente nessas páginas.

Ao procurar o mesmo vídeo na Pesquisa do YouTube, o vídeo parece ter menos visualizações. Obviamente, o YouTube calcula e armazena em cache seus resultados de pesquisa em intervalos regulares. Os dados de exibição devem ser armazenados em cache em diferentes servidores do YouTube em todo o mundo . Isso é feito para tempos de resposta mais rápidos. Sempre que uma solicitação é feita para um vídeo, o servidor mais próximo fornece o vídeo e aumenta a contagem de visualizações em seu log local.

O mesmo se aplica à visualização de dados de contagem no YouTube Analytics, também conhecido como Creator Studio Classic. O YouTube não mostra a contagem de visualizações em tempo real . No entanto, pelo menos a contagem de visualizações corresponde à que conhecemos na Pesquisa do YouTube.

Você pode pensar que esse número é o mesmo na nova ferramenta de análise do YouTube. Curiosamente, não é. O YouTube obviamente apresenta uma terceira maneira de contar visualizações.

Então você vê: não é tão fácil. O próprio YouTube não tem uma resposta precisa sobre a questão de quantas visualizações seu vídeo tem.

Qual a importância das visualizações como uma métrica do YouTube?

Mas as opiniões são realmente importantes? As visualizações são a melhor moeda para medir o sucesso do YouTube?

De acordo com a Academia de criadores do YouTube,  eles não são. Não mais! 

No passado, as visualizações geravam a descoberta e a classificação de um vídeo: esse é o número total de vezes que alguém clicou em “reproduzir” em um vídeo.

Mas as visualizações mostram apenas o número de vezes que um player de vídeo foi carregado, e não se alguém realmente queria vê-lo ou se quis mesmo assistir. O YouTube reconheceu que nem todas as visualizações eram iguais e ajustou nosso algoritmo de classificação para melhor explicar o envolvimento do usuário.

De fato, removemos o relatório de visualizações inteiramente do YouTube Analytics e o substituímos pelo tempo de exibição . Academia de criadores do YouTube

Visualizações legítimas do YouTube: a chave para o sucesso da monetização

No final das contas, o YouTube é uma excelente maneira de aumentar a reputação da sua empresa ou a sua e expandir sua presença como uma estrela da Internet. Para fazer isso, você precisa gerar visualizações – e essas visualizações devem ser legítimas. Ao aprender o que conta como visualização no YouTube, o que são visualizações legítimas no YouTube e como consegui-las, você pode investir em maneiras úteis e saudáveis ​​de usar a plataforma para marketing e promoção e garantir que está obtendo o melhor retorno pelo seu tempo e esforços.

Se você precisa de ajuda profissional para sua carreira de YouTuber ou influenciador digital, somos uma agência de comunicação com foco influenciadores digitais. Quer conhecer nossos serviços? CLIQUE AQUI

10 dicas para iniciar um canal do YouTube

Com a continuação aumento da cultura de blogs de vídeo , é completamente compreensível que qualquer jovem experiente em tecnologia seja atraído pela idéia de iniciar um canal no YouTube. Afinal, é um hobby divertido e interativo com o potencial de transformar você em uma personalidade on-line popular – com o benefício adicional de ajudá-lo a conhecer novas pessoas, obter material gratuito de empresas e, é claro, obter uma renda bastante impressionante.

Mas se você deseja obter um aumento constante de seguidores ou pelo menos publicar conteúdo decente que tenha um bom número de visualizações e curtidas, precisará fazer mais do que apenas se tornar um membro colaborador no YouTube. Aqui estão algumas dicas úteis para garantir que você aproveite ao máximo seu empreendimento no mundo dos vlogs e criação de conteúdo.

Mulher gravando um vídeo de maquiagem para seu canal do YouTube
Imagem via Shutterstock

Aqui estão algumas dicas para iniciar um canal bem-sucedido do YouTube:

Planeje seu conteúdo

Antes de criar seu canal no YouTube, você provavelmente já decidiu o tipo de conteúdo de vídeo que deseja exibir. As melhores maneiras de aumentar suas visualizações e conquistar seguidores ainda é manter seu conteúdo interessante e envolvente; quanto mais as pessoas puderem se relacionar com ela, mais elas quererão clicar nela e assistir até o final.

Mulher pensando em idéias para o canal do YouTube
Imagem via Shutterstock

Também ajuda a manter o seu tema, se você tiver um. Por exemplo, muitos YouTubers de sucesso têm canais dedicados para viagens, tutoriais ou suas vidas diárias. Os espectadores gostam de viver indiretamente através das pessoas que assistem, para que saibam o que podem esperar e forneçam material interessante que possam desfrutar.

Arme-se com o equipamento certo

O uso do smartphone é certamente uma maneira aceitável de gravar vídeos, mas se você deseja que os espectadores apreciem seu conteúdo, é realmente bom investir no equipamento certo. A maioria dos YouTubers usa DSLRs ou câmeras sem espelho, juntamente com outros acessórios essenciais para videografia , como tripés, lentes e iluminação de estúdio.

Imagem plana de equipamento essencial para videografia
Imagem via Shutterstock

Lembre-se, porém, que uma boa câmera de vlogging não é tudo. Se você negligenciar outras coisas, como qualidade de áudio e iluminação, seus espectadores ainda poderão perder o interesse em seus vídeos após os primeiros segundos e não se inscreverão para você.

Invista em um bom microfone que você possa montar em sua câmera. Ao mesmo tempo, lembre-se das condições de gravação e crie o hábito de verificar se o áudio é nítido o suficiente para que os espectadores entendam. Para obter melhores resultados, use um microfone de lapela projetado para captar o som principalmente da frente, para que o ruído dos lados e atrás do microfone possa ser cancelado. Alguns vloggers chegam ao ponto de investir em vários microfones para diferentes situações de gravação – você pode precisar de um microfone de lapela (pequenos microfones que podem ser afixados à sua camisa) para gravar vídeos de fitness ou qualquer outro tipo de vídeo que exija que você esteja longe longe da câmera ou de um bom microfone condensador (ou qualquer microfone comumente usado para podcasting)) que permitirá fazer narrações nítidas.

Procure Inspiração

À medida que avança, pode ser mais desafiador apresentar novos conteúdos que correspondam ao hype dos seus primeiros vídeos. Mas não se preocupe – até mesmo os artistas estabelecidos do YouTube passam pela mesma coisa de vez em quando. O segredo é procurar inspiração em todos os lugares – mesmo quando você está fora e faz uma pausa na gravação. Liste suas idéias. Confira outros vídeos e aproveite as ideias deles para torná-los seus.

Mulher assistindo um vlog de viagens em um tablet
Imagem via Shutterstock

Evite se comparar com outras pessoas e concentre-se em seu próprio canal. Contanto que você goste e aproveite os conceitos apresentados, seus espectadores sentirão sua sinceridade e amor por seu ofício, e isso ajudará a despertar o interesse deles. Enquanto você está nisso, aproveite todas as oportunidades para melhorar e evoluir em outras áreas. Explore outras técnicas de filmagem de câmera , estilos de edição e abordagens da sua apresentação.

Faça cada segundo contar

É igualmente importante que você produza conteúdo de qualidade e exclua tudo o que você acha que pode não contribuir para melhorar seus vídeos. Isso significa que você precisa ser seletivo com os clipes incluídos no corte final. Escolha apenas suas melhores fotos (e recorte momentos de ar morto) para manter os espectadores interessados ​​e envolvidos durante todo o vídeo.

Homem filmando um vídeo de revisão de laptop para seu canal no YouTube
Imagem via Shutterstock

Depois de obter um número maior de seguidores, você pode ter um pouco mais de liberdade para incluir algumas dessas cenas artísticas (ou sem sentido), mas lembre-se sempre de pensar como um espectador e criar o que você gostaria de ver.

Comece com o software de edição simples

Só porque você está criando vídeos, não significa que você precisa de um software avançado (como o Final Cut Pro) para editar seu conteúdo. Esses programas de software não melhoram necessariamente seu conteúdo, principalmente se você estiver enfrentando muitos problemas durante as primeiras semanas.

Mulher editando um vídeo para o canal do YouTube em um laptop
Imagem via Shutterstock

Se você é novo na edição de vídeos, faria muito melhor com programas simples como o Windows Movie Maker ou o Apple iMovie. Eles são muito mais fáceis de usar e podem ser baixados facilmente (de graça), se você ainda não os tiver no seu computador.

Otimize seus vídeos

Outro segredo para dar mais visibilidade aos seus vídeos é otimizar seu conteúdo para ajudá-lo a ser classificado no YouTube. Assim que você enviar o seu primeiro vídeo, forneça um título descritivo e bom que os espectadores provavelmente escrevam na barra de pesquisa – e inclua sua palavra-chave principal ou frase-chave. Por exemplo, o título “Viagem de aniversário para Nova York” é muito melhor que “Nova York, vamos lá!”

laptop com foto de uma mulher e beleza gráficos relacionados
Imagem via Shutterstock

Além disso, certifique-se de usar tags relevantes que ajudarão a colocar seu vídeo em várias categorias relacionadas. Em caso de dúvida, analise a concorrência e verifique quais tags outros vídeos semelhantes estão usando. Por fim, escreva uma boa descrição com pelo menos 200 palavras e inclua as palavras-chave alvo, sinônimos e variações de palavras-chave de cauda longa. Isso não apenas ajudará os espectadores a descobrir exatamente do que se trata o seu vídeo, mas também o ajudará a classificar nas páginas de resultados dos mecanismos de pesquisa.

Crie sua rede

Embora não seja necessariamente classificado como um site de rede social, o YouTube tem tudo a ver com conectar, compartilhar e colaborar com outros usuários. Portanto, para ter sucesso, você precisa fazer um esforço para construir sua rede. Isso é particularmente crítico na comunidade do YouTube, pois as colaborações entre criadores se mostraram eficazes em ajudar um canal a crescer e conquistar novos inscritos, pois ajuda os dois colaboradores a ganhar exposição com a base de inscritos do outro.

Duas mulheres filmando um vídeo para o YouTube
Imagem via Shutterstock

Converse com outros criadores, faça amigos e não tenha medo de entrar em contato com YouTubers maiores para obter informações sobre uma possível colaboração. Certamente pode ser intimidador, mas você não chegará a lugar algum a menos que tente!

Conecte-se com seus espectadores

Com o tempo, você ganha lentamente seguidores e recebe mais comentários dos fãs em seus vídeos e, eventualmente, recebe mensagens em suas contas pessoais de mídia social – você pode até receber algumas mensagens de fãs, caso decida compartilhar sua caixa postal . Tanto quanto possível, reserve um tempo para se conectar com seus espectadores. Lembre-se de que suas contas de mídia social são uma extensão do seu canal do YouTube, então tente compartilhar momentos da sua vida em plataformas sociais populares como Instagram, Twitter e Snapchat. Também é importante que você tente ler e responder a todos os tweets, comentários e quaisquer outras mensagens que receber (o máximo que puder).

Homem sorrindo enquanto conversava em seu laptop
Imagem via Shutterstock

Tais interações são importantes, pois ajudam seus assinantes a aprender mais sobre você, além de ajudar a promover um senso de comunidade e camaradagem on-line entre sua pequena comunidade. Não basta que eles gostem do seu conteúdo; eles também precisam gostar de você e da experiência geral deles com seu canal.

A interação com seus espectadores também pode ajudá-lo a obter inspiração para novas idéias de conteúdo. E, no mínimo, manterá você inspirado a continuar, apesar das dificuldades de crescer e manter seu canal.

Ignorar todos os comentários negativos

Não importa quão grande ou pequeno o seu canal, sempre haverá comentários negativos. Afinal, o YouTube é um foco para pessoas cruéis que se escondem convenientemente atrás de seus avatares em branco. Não importa se o seu conteúdo for bom e o quão duro você trabalhe em seu canal, sempre haverá pessoas que farão comentários odiosos e tentarão derrubá-lo.

Mulher lendo comentários de ódio em seu telefone
Imagem via Shutterstock

Em vez de deixá-los afetá-lo, lembre-se de que você não pode agradar a todos e não esqueça aqueles que apreciam você e o que você faz. Busque força dessas pessoas para superar a negatividade e continuar produzindo conteúdo para elas.

Carregar vídeos regularmente

Outra dica importante é ser consistente com seus envios. Não importa o quão imperfeito você ache que seu conteúdo seja, é importante que você continue divulgando seus vídeos, como acontece com os podcasts .

Mulher gravando um vídeo de moda para seu canal do YouTube
Imagem via Shutterstock

Alguns proprietários de canais do YouTube publicam vídeos uma ou duas vezes por semana e informam aos espectadores sobre essa programação (geralmente no final de cada vídeo) para que os espectadores saibam quando voltar. Isso proporciona a um canal uma chance maior de obter um fluxo constante de visualizações, especialmente quando ele obtém vários inscritos ativos. Depois de descobrir uma programação conveniente que funcione para você, cumpra-a. Você deve melhorar e obter mais atenção rapidamente!

Se você quer ajuda profissional para seu canal no YouTube, somos uma agência de influenciadores digitais e podemos ajudar. Conheça nossos pacotes, CLIQUE AQUI

fonte: https://www.adorama.com/

Porque seu canal no Youtube não está crescendo – parte 01

Porque seu canal no Youtube não está crescendo

 

A maioria das pessoas se pergunta porque seu canal no YouTube não está crescendo. É normal esse questionamento, afinal, quase todo mundo que começa um canal no YouTube tem como objetivo ver esse canal crescer em número de inscritos e claro, de visualizações. E além disso, essas pessoas têm o sonho de serem famosas, assim como os famosos da atualidade no YouTube.

Aí você cria seu canal, pensa num nome bem legal, cria uma capa para seu canal e grava seu primeiro vídeo. Até aí tudo parece ótimo, até que você posta esse primeiro vídeo.

Uma vez que o vídeo está publicado no YouTube, parece que a cada 5 minutos você quer ver como está a audiência do seu vídeo. No final do dia você percebe que aquele vídeo que você fez com tanta empolgação não atingiu tantas visualizações quanto você queria.

E no final do primeiro mês de vida do seu canal, você tem a impressão que seu canal não saiu do lugar: pouquíssimos inscritos, pouca gente vendo seus vídeos e a cada vídeo novo que você publica parece que você tem uma nova decepção. Depois de alguns meses tentando, você por fim desiste do seu canal, cansado de tanto “tentar” e não conseguir.

Mas o que será que houve? Pode ter sido vários fatores, mas alistamos alguns aqui pra ver se você se identifica com algum (ou alguns):

  • Você não usou palavras chave nos textos de descrição dos seus vídeos: palavras chave são aquelas palavras que as pessoas escrevem la na barra de pesquisa do YouTube. Por exemplo se uma pessoa está procurando por dicas do jogo “Ghost Recon Wildlands” da Ubisoft, provavelmente ela escreva lá no buscador do YouTube algo como “dicas ghost recon wildlands” ou alguma variação dessa frase.
    Se seu vídeo for falando desse jogo, é importante que você inclusa tanto no título como também no campo “descrição” um texto onde a palavra chave “dicas ghost recon wildlands” apareça várias vezes. Sim, escreva um texto grande, vale a pena!
  • No seu canal, se fala “de tudo”: o problema não é ter um canal de conteúdo variado, o problema é ter um canal fora de foco. Pense bem, se você quer que seu canal seja de games, evite trazer para seu canal “desafios” por exemplo. Isso por pelo menos 2 motivos: primeiro, o seu público se inscreveu em seu canal porque gostou de certo vídeo que viu. Se esse vídeo foi um de games, e de repente ele começa a ver que você está postando vídeos de desafios, ou vlog de humor junto com o conteúdo de games, esse pessoal vai embora do seu canal. Pode até ser que eles não se desinscrevam, porém não vão mais acompanhar seus vídeos.
    O outro motivo é que o YouTube tenta mostrar para as pessoas os vídeos que forem mais relevantes dentro do assunto que elas estão procurando. Se seu canal é uma verdadeira “bagunça” de conteúdo, fica difícil recomendar ele pra alguém que procura certo contéudo.
  • Você posta vídeos apenas “quando dá na telha”: isso é problemático também. Em geral quem se inscreve e acompanha seu conteúdo precisa se acostumar que em tal dia da semana vai poder ver novidades no seu canal. E o YouTube também gosta de uma frequência de vídeos bem programada.
    Lógico, às vezes pode ser difícil manter uma regularidade na postagem dos vídeos, principalmente por causa do fator tempo.
  • Falta capricho nos vídeos: e com falta de capricho não falamos necessariamente de edição simples, isso não é necessariamente um problema. O problema é a falta de capricho no que se vai apresentar para o público. Já comentamos em outro artigo sobre a forma em que alguns encaram seu canal. Se seu objetivo é ser um “profissional do YouTube”, então pense, planeje e aja como profissional. Antes de postar um vídeo ou de gravar, escreva um roteiro sobre o que você quer postar. Pense se o que você vai apresentar está legal, está divertido para o público que vai assistir. Se não estiver (seja honesto nessa análise) mude. Não grave “qualquer coisa”, porque sua audiência não perdoa desleixo.

NENHUM CANAL CRESCE “DO DIA PRA NOITE”

Isso é algo que você também precisa ter em mente. Uma vez uma pessoa nos procurou dizendo que queria que seu canal, na época com 9 inscritos, conquistasse 1 milhão de inscritos até o fim daquele ano (o que lhe dava 8 meses para ir dos 9 ao milhão de inscritos!).

Canais que fazem sucesso hoje em dia não começaram a ter sucesso assim que começaram. Alguns conseguiram chegar ao sucesso depois de um, dois ou até vários anos! Então pensar que você vai criar um canal hoje e amanhã vai estar cheio de inscritos é uma ilusão que você não deve ter.

“MAS OS CANAIS GRANDE DE HOJE NÃO FAZEM ISSO”

Depois de ler essas dicas todas acima, pode ser que você agora esteja assim: “ok, mas os canais grandes que acompanho não fazem tudo isso aí que vocês falaram e são grandes. ” Pode ser, mas você já ouviu falar no ditado “criou fama e deitou na cama”?

Muitos dos que hoje são famosos sentem (de maneira equivocada) que já não precisam praticamente fazer muito pela otimização do seu canal. Qualquer vídeo que postarem terá milhares de views. Então pra eles, “tanto faz” o título ou mesmo a descrição de seus vídeos.

Importante dizer que esse erro não é cometido por todos os grandes. Se você procurar, vai ver que ainda há muitos que fazem questão de fazer tudo certinho, como deve ser.

Como você vai disputar audiência com quem tem muitos milhares de inscritos? Sua melhor arma é sua preparação!

QUER AJUDA PROFISSIONAL COM SEU CANAL? Clique aqui!