influenciadores toxicos

YouTubers tóxicos: como não ser esse tipo de babaca

A internet “democratizou” as ideias. Hoje em dia, qualquer pessoa pode expor o que pensa, seja nas redes sociais, plataformas sociais, websites, fóruns e outros. O problema é que essa mesma liberdade também criou locais tóxicos, em que as pessoas destilam seu desprezo e ódio por coisas, pessoas ou causas que elas não aprovam, por motivos justos ou não.

No artigo de  hoje, que realmente tem um título um pouco forte, vamos mostrar pra você primeiramente alguns exemplos de YouTubers tóxicos, sem citar nomes de canais (gente tóxica não merece ser divulgada), os prováveis motivos para eles serem assim e a razão pela qual você não deve imitá-los.

O que seria um YouTuber babaca digo, tóxico?

Pessoas tóxicas são aquelas que sempre criam problemas, por serem muito críticas sobre algum assunto, fazerem comentários maldosos, espalharem intrigas e mentiras. Geralmente, são pessoas que estar em sua presença é sempre tenso, porque você não sabe o momento em que ela vai atacar a você ou a outra pessoa.

No YouTube encontramos milhares de canais que têm essas características. São canais de todo o porte. E de vários nichos. Geralmente, os canais que abordam temas em que existem “lados opostos” exploram muito o uso de conteúdo tóxico, como canais de opinião política e de “console wars”.

Exemplo de vídeo tóxico

Um certo canal “gamer” que está em fase de crescimento promove a famosa “guerra de consoles”. Esse tipo de abordagem em si, já não é agradável, porém em última análise, quando um canal é “partidário” de um certo console e se dedica a mostrar novidades sobre o console, notícias em geral sobre ele e de vez em quando fazer um comparativo com o concorrente, isso seria muito mais saudável.

Porém esse canal (que poderia ser muitos, mas não vamos mencionar o nome), costuma fazer vídeos em que ofende diretamente ao público. Em um de seus vídeos, o título era algo como “Se você comprou o console tal, você é um idiota”. E no vídeo ele tenta provar com meias verdades, que o console em questão não roda games em 1080p e sim numa definição que “somente as TVs de tubo, antigas, poderiam rodar”, informação que é facilmente derrubada, quando fazemos uma análise do console que foi alvo de ataques.

Você percebeu o que houve?

No título, ele já ataca a um público e no conteúdo do vídeo ele ataca a um produto de maneira injusta. Tudo isso na busca da audiência!

Recentemente um canal que fazia uma abordagem parecida foi banido do YouTube. Esse que mencionamos parece que está no caminho também.

Porque canais do YouTube tóxicos fazem sucesso?

Você deve se lembrar de sua época da escola, de quando duas pessoas iam “brigar”? Esperamos que você não tenha estudado em um local onde havia isso, mas infelizmente em escolas, principalmente entre adolescentes, acontece muito. Duas pessoas começam a brigar e a se agredir fisicamente, logo depois da saída da escola. Ao redor da briga, uma multidão de crianças e adolescentes acompanham o conflito.

As pessoas gostam de acompanhar uma briga! Por isso que canais de “tretas” no YouTube fazem tanto sucesso. Além disso, quando se fala em algo que desperta uma paixão e quase uma idolatria por parte de um grupo ou de grupos opostos, fica fácil instigar um grupo contra o outro e com isso atrair seguidores.

São influenciadores que vivem do caos. Eles precisam que exista uma briga, dois lados opostos dos quais ele quer fazer de tudo para humilhar e atacar o “inimigo” para chamar a atenção de outros que são adeptos do mesmo pensamento,  também até mesmo de muitos que estão do outro lado, sendo atacados, que irão até os vídeos do canal para se defender e estabelecer uma verdadeira guerra de comentários. E com isso, o vídeo e o canal do influenciador tóxico vai ganhando engajamento.

Não vale a pena ser um YouTuber babaca, digo tóxico!

É verdade que começar uma briga em dois lados pode gerar muita audiência para seu canal. Mas não é uma maneira sadia de se comunicar e influenciar pessoas. Se alimentar do ódio alheio é péssimo para sua reputação, pode afastar possíveis anunciantes (você pode perder dinheiro) e criar uma fama de babaca. Sim, babaca mesmo.

Além disso o YouTube tem políticas contra assédio moral. Veja o que o YouTube diz:

Não é permitido publicar no YouTube conteúdo que ameace pessoas. Também não permitimos conteúdo que persiga um indivíduo com insultos contínuos ou maliciosos com base em características intrínsecas. Por exemplo, incluindo o fato de pertencer a um grupo protegido ou os atributos físicos.

Se você encontrar conteúdo que viola esta política, faça uma denúncia. Acesse este link para ver instruções sobre como fazer isso. Se você quiser denunciar vários vídeos ou comentários, é possível denunciar o canal. Para ver dicas e práticas recomendadas para sua segurança, para manter sua conta segura e para proteger sua privacidade, consulte este artigo da Central de Ajuda.

Se você receber ameaças específicas e sentir que sua segurança está em risco, denuncie diretamente ao órgão local responsável pelo cumprimento da lei.

O que esta política significa para você

Se você envia conteúdo

Não publique no YouTube conteúdo que se encaixe em alguma das descrições abaixo.

  • Conteúdo que tenha insultos prolongados ou maliciosos (por exemplo, gírias ofensivas a etnias) com base nas características intrínsecas de alguém. Isso inclui o fato de pertencer a um grupo protegido, traços físicos, a condição de sobrevivente de abuso sexual, violência doméstica, abuso infantil etc.
  • Conteúdo que tenha o objetivo de humilhar, enganar ou insultar menores de idade. Um menor é um indivíduo que ainda não alcançou a maioridade legal. Na maioria das regiões, essa definição se aplica a pessoas com menos de 18 anos.

Monetização e outras penalidades

Em alguns casos raros, podemos remover o conteúdo ou aplicar outras penalidades quando o criador de conteúdo:

  • incentiva repetidamente o público a ter comportamento abusivo;
  • envia com frequência vídeos que insultam e assediam um indivíduo identificável com base nas características intrínsecas dele;
  • expõe um indivíduo a riscos ou perigo físico com base no contexto político ou social do local;
  • cria conteúdo que afeta negativamente a comunidade do YouTube, incitando a hostilidade entre criadores de conteúdo com o objetivo de receber ganhos financeiros pessoais.

fonte: https://support.google.com/youtube/answer/2802268?hl=pt-BR

 

Se você tem um canal tóxico ou pretende ter um, desejamos do fundo do coração que seu canal fracasse. Além disso, não nos procure, procure em lugar disso um psiquiatra, porque você precisa de um urgente.

Agora se você quer fazer o correto, com bom conteúdo, vamos conversar! CLIQUE AQUI e conheça nosso serviço de assessoria para YouTubers, o mais completo do Brasil!