4 fatores que fazem um canal ter sucesso no YouTube

Ter sucesso no YouTube, ganhar dinheiro com YouTube, ter muitos inscritos no YouTube… Se você tem canal no YouTube, quantas vezes você já pesquisou uma dessas frases no Google? Será que tem algum segredo para ser famoso no YouTube?

É difícil responder a essas perguntas de uma maneira direta. Mas uma coisa é certa: um canal de sucesso no YouTube com certeza contou com um conjunto de fatores que resultaram nesse sucesso. Podemos listar alguns:

  • Pioneirismo: muitos canais que começaram muitos anos atrás e se mantiveram ativos em geral hoje são canais de maior audiência. O ponto é se manter ativo, postando vídeos pelo menos uma vez por semana, ao longo do tempo. Esse fator, pioneirismo, obviamente por si só, traz benefícios a longo prazo.
  • Inovação: se você conseguir criar algo novo no seu canal, novo e de interesse de muita gente, então você tem chances de ter o tão desejado sucesso no YouTube. Hoje em dia, a maioria dos canais no YouTube oferecem conteúdos muito parecidos. E não estamos falando apenas por exemplo, de que há muitos canais que falam de games por exemplo. O problema é que muitos canais tem praticamente o mesmo estilo e até mesmo o mesmo conteúdo!
    Ainda falando sobre games, pense em um canal de games de sucesso. Onde foi que ele acertou? Como são apresentados os vídeos? O que tem de diferente no canal em relação a outros? Sempre existe uma resposta e saber ela pode te ajudar a ter sucesso no YouTube também.
  • Canal constantemente otimizado para o YouTube (SEO no YouTube): existem técnicas simples que se forem aplicadas a seu canal, você pode “ajudar” o YouTube a mostrar seu canal mais vezes para mais pessoas. Esse é um processo lento, mas que se for feito constantemente, os resultados são enormes. Muita gente por exemplo, ao postar seus vídeos, não usa corretamente o campo “descrição”, onde poderia estar um texto que iria ajudar o vídeo a ser divulgado.
  • Promoção adequada do canal: esse é um dos pontos mais polêmicos. Dizemos isso porque geralmente quando se pensa em promover o canal, o que vem à mente é postar em grupos no WhatsApp e no Facebook. E esse tipo de promoção, realmente dá um certo resultado sim! Mas é bem limitado. Aconselhamos você a fazer esse tipo de promoção, mas de maneira despretensiosa.
    Nos grupos de divulgação, todo mundo está fazendo o mesmo, ou seja, divulgando seus vídeos. Quantas pessoas que vão a esses grupos assistem aos vídeos divulgados lá? Menos do que você imagina!
    Uma maneira que sempre dá muito resultado são as campanhas pagas. Naturalmente que não são todos os que tem condições de investir nisso. Mas se você puder fazer isso, pelo menos de vez em quando, vai ver como faz toda a diferença, principalmente se você precisa de um resultado a curto ou médio prazo.

Da lista acima, o único fator que é opcional para que você tenha sucesso no YouTube é o ponto 01: pioneirismo. Ou seja, você pode começar um canal hoje, e se seguir estritamente os outros 3 pontos, as chances de que você tenha sucesso são muito maiores.

Depois de ler esse artigo, dá uma analisada “à frio” no seu canal. Você segue MESMO os passos acima? Cuida do texto da descrição, usando o máximo de espaço pra por informação que faz referência ao seu vídeo? Se alguém perguntar o que seu canal tem de diferente dos outros, você sabe responder? E como você faz a promoção do seu canal?

Também lembre-se que os resultados de crescimento podem levar um certo tempo para aparecerem. Há canais no YouTube que levaram anos para serem reconhecidos e ganharem grande audiência. Muitos canais começam e se mantém por 1 ano ou vários anos com poucos inscritos e pouca audiência. E, depois viralizam e crescem rapidamente. Não desista!

A Warp Media oferece atualmente dois tipos de serviços para influenciadores digitais: o credenciamento e a assessoria individualVale muito a pena você conhecer esses serviços e escolher um pra chamar de seu!

Brasil Game Show: maior evento de games da América Latina será realizado em outubro

Nós já comentamos aqui que com vídeo games é possível até mesmo alguém ganhar “a vida” profissionalmente

A partir de 2009, o Brasil passou a ter um dos mais maiores eventos relacionados ao mundo dos games da América Latina, o Brasil Game Show. Em sua primeira edição, realizada no Rio de Janeiro, 4 mil pessoas prestigiaram o evento. Em sua última edição porém, o evento reuniu mais de 300 mil pessoas. Incrível não é?

Hoje em dia o público que consome video games é cada vez mais grande. Se no início dos anos 80 jogar jogos eletrônicos era “coisa de criança”, hoje em dia de acordo com uma pesquisa mais de 24% de quem joga hoje em dia tem idade entre 25 a 34 anos, e a tendência lógica é que essa média de idade aumente com o passar do tempo. Afinal, quem era criança nos anos 80 e hoje tem seus “trinta e poucos” ou até mesmo já são “quarentões”. E não deixaram de gostar dos jogos.

Isso faz com que o público consumidor de jogos eletrônicos hoje em dia não é apenas o público “pedinte” (que pede para os pais comprarem os games), mas também é um público com poder aquisitivo, e que quer comprar e compra os jogos.

Não é mais vergonha nenhuma um adulto dizer que vai a uma loja para comprar um console ou algum game. Graças a isso, os canais de games no Youtube se multiplicam em proporções absurdas a cada dia. Se você procurar o termo “games” no Youtube, e filtrar para que apareçam apenas canais, verá que existem mais de 55 milhões de canais com esse termo. Mas com certeza o número é muito maior.

Pong, lançado em 72, foi o primeiro jogo com sucesso comercial

Esse ano o Brasil Game Show vai trazer uma atração extremamente aguardada por todos os fãs de video games: a presença de Hideo Kojima, um dos criadores de games mais antológicos de todos os tempos, criador de obras primas como a série “Metal Gear Solid” uma das séries de games mais famosas com enredo em espionagem.

Além da presença de Kojima, vários expositores fortes no mundo dos games estarão lá como Playstation, Ubisoft, Activision e muitos mais. O evento ainda promoverá vários campeonatos de games, com a Brasil Game Cup.

E claro, pra quem quer conhecer, tirar fotos, tietar ou tudo isso junto, vários Youtubers estarão presentes no evento, muitos deles gravando vídeos para seus canais.

Com um evento de muitas possibilidades (inclusive de fazer negócios), vale a pena você marcar sua presença lá e ficar por dentro em grande estilo de tudo o que for novidade nesse mundo tão emocionante, onde você pode ser “quem você quiser”, o mundo dos games.

O evento acontece de 11 a 15 de outubro de 2017. A gente se vê por lá!

Você bloqueia anúncios no Youtube? Então leia isso

Quando queremos ver um conteúdo, seja vídeo ou artigo, geralmente gostamos de ir direto ao ponto. Afinal, quem quer ver um anúncio de banco antes de assistir a um vídeo?

É natural que a gente queira rejeitar um anúncio. Principalmente porque às vezes os anúncios são muito intrusivos. Janelas que se abrem “na nossa cara” oferecendo alguma coisa, páginas inteiras que aparecem na frente da página que queremos visitar entre outras coisas. Por causa disso, é natural que a maioria das pessoas olhem para os anúncios que aparecem na internet com maus olhos.

Mas existe outro lado que você precisa saber, e vamos comentar aqui. Veja só:

  1. Os anúncios de maneira geral, ajudam ao criador de conteúdo a manter seu serviço de criação de conteúdo (sim, fomos redundantes de propósito aqui).  Veja por exemplo o caso dos Youtubers.
    Um canal do Youtube, para ter o sucesso necessário, geralmente precisa se manter financeiramente. Quem apresenta, prepara as matérias para os vídeos e quem edita (uma edição de vídeo pode levar entre 8 horas até a alguns dias de trabalho!) precisa ter o tempo necessário para efetuar essas tarefas. Alguns Youtubers chegam a gravar vídeos diariamente, com conteúdo variado e é claro que se eles puderem se dedicar exclusivamente a isso, as chances de produzirem vídeos de boa qualidade são grandes.
    Não devemos criticar quem usa os anúncios nativos do Youtube para monetizar o canal. Apesar de não ser a única maneira de se fazer isso, é uma das formas mais conhecidas e simples.
  2. Muitas empresas oferecem serviços importantes, gratuitamente, graças aos anúncios. Existem sites que falam de assuntos muito importantes como saúde e bem estar, culinária entre vários outros que dão informações importantes para quem os visita. Organizar, escrever e postar notícias dá trabalho.
  3. Manter um website online não é grátis. Pensando novamente nos sites em geral, você deve saber que para manter um website no ar é preciso pagar algumas coisas, como o domínio, hospedagem, serviços de segurança e às vezes contar com um servidor seguro e confiável. E isso não é barato. Elogios e compartilhamentos em si não pagam e mantêm um site online.
    Existe cada vez mais uma cultura do “tudo grátis” que está distorcendo as coisas, faz muito tempo. Lógico, quando uma pessoa ou empresa consegue oferecer algo grátis, isso é bom pra todos, mas mesmo assim, essa empresa ou pessoa vai precisar pagar as contas em algum momento.
  4. Mesmo usando um bloqueador de anúncios, tem como ser seletivo. Sim, geralmente os bloqueadores de anúncios oferecem opção para você decidir qual página terá seus anúncios bloqueados e qual não. Assim, se você se deparar com uma página que exagerou na dose nos anúncios, você pode bloquear essa página, deixando outras páginas mais sensatas com seus anúncios.

Quando Bloquear um anúncio

Como comentamos, às vezes uma página passa dos limites. Janelas excessivas com anúncios, páginas que se abrem na sua “cara”, banners em todo o lugar que se possa imaginar, podem atrapalhar sua navegação no site. Às vezes fica muito difícil ler um artigo de tanta propaganda que aparece!

Nesse caso de abuso, vale sim a pena usar um bloqueador de anúncios, mas apenas para essa página em questão. Existe ainda opção de configurar o bloqueador para parar os anúncios em uma página específica de um site, deixando os anúncios em outras páginas do mesmo site.

Nossa sugestão: não bloqueie TODOS os anúncios. Seja seletivo. Saiba escolher as páginas que irão merecer ganhar os centavos de dólar que você poderá gerar com os anúncios. Eles fazem a diferença e o ganha pão honesto de muita gente, pense nisso!

YouTubers fazendo vídeos “fake”: que tão ruim é isso?

Desde de que YouTube ganhou força, os canais que estão lá disputam a audiência de milhares (ou milhões) de pessoas. Com uma concorrência cada vez mais grande, tem ficado muito difícil manter a audiência ultimamente, e mesmo canais com milhões de inscritos tem tido dificuldades para continuar tendo sucesso. Infelizmente alguns tem apelado para o tema deste artigo: fazer vídeos “fake”. Vamos entender melhor isso.

Se você acompanha algum canal do tipo “aceito desafios”, cujo conteúdo é voltado para o público jovem, pode ser que já tenha visto o apresentador do canal supostamente cumprindo desafios absurdos, inclusive com grandes riscos para sua saúde ou sua liberdade (sim, porque já houve relatos de vídeos onde se cometem atos ilegais para cumprir um desafio). Mas, você já se perguntou se esses vídeos são “reais”?

Já se viu no YouTube vídeos onde o apresentador diz ter se embalado e se enviado pelos correios, alguém que supostamente passou 24 horas dentro de um túmulo em um cemitério, uma pessoa que supostamente arrancou um dente usando um alicate, pessoas que gravam “assombrações” em sua casa, outros que gravam um suposto “invasor” e até apresentador de canal que cortou o cabelo da mãe e gravou a reação desesperada dela ao perceber o “trote”.

Existem enormes suspeitas de que muitos desses vídeos (pra não dizer todos) são “fakes”, ou seja, a história que eles contam não é real, tudo foi devidamente ensaiado e combinado para que parecesse como a gente assistiu no vídeo. Inclusive existem já alguns canais no YouTube que se dedicam a investigar supostos vídeos “fake”.

O desafio de conseguir chamar e manter a atenção do público

Como já comentamos, existem sim um grande desafio hoje em dia para se manter a atenção do público, que cada vez mais exige coisas diferentes e divertidas de se ver. E como o número de canais no YouTube se multiplica mais rápido que vírus de gripe, por assim dizer, se você hoje navegar pelo YouTube e pesquisar por qualquer tema, você terá literalmente milhares de vídeos para ver. E lógico, não dá pra ver todos, então você vai pelo que te interessa. E qual vai ser esse vídeo? É aí que entra o desespero dos criadores de conteúdo.

É como se todos gritassem “olhe pra min”, “veja meu canal” “olha como sou legal”. E como existem muitas opções, a estratégia de fazer algo “diferente” em geral costuma funcionar. O problema é que muitas vezes esse “algo diferente”, por falta de outra ideia, costuma ser inventado, criado para parecer real e ao mesmo tempo absurdo, para poder chamar a atenção e ao mesmo tempo fazer com que o público queira compartilhar o vídeo, afinal, o que é chamativo é interessante para compartilhar.

Assim nascem os vídeos “fake”. Se você prefere agir sozinho, basta inventar uma boa história, dar um toque de realismo nela, organizar um cenário da maneira mais convincente e pronto. Ou se você preferir, pode chamar amigos para fingirem fazer algo em seu vídeo.

Os canais de Vlog costumam fazer bastante isso. Muitas das histórias contadas nos vídeos nem sempre aconteceram de verdade. E às vezes você percebe isso, porque em um vídeo o apresentador diz ter feito uma coisa, mas em um vídeo posterior ele diz jamais ter feito aquilo. Mas o problema é mais antigo do que você pensa.

Não é só no YouTube que vemos vídeos falsos

Se você acha que apenas no YouTube temos vídeos falsos, você se engana completamente. Rádios nos anos 50 às vezes (ou muitas vezes) davam notícias que não eram totalmente verdadeiras. Em certa ocasião, nos anos 50, uma rádio americana chegou a noticiar uma invasão alienígena. Apesar de depois dizer que a notícia era uma brincadeira, centenas de pessoas entraram em pânico com a informação.

Já na TV, já faz alguns anos, muitos devem se lembrar da ocasião em que o apresentador, então no SBT, Gugu Liberato, supostamente entrevistou um membro do PCC (Primeiro Comando da Capital), uma organização criminosa. Depois foi revelado que na verdade o entrevistado era um ator contratado para parecer um membro de tal organização. O episódio com certeza manchou a reputação tanto do apresentador quanto do programa.

Existe ainda o “mercado de figurantes”, muito usado por programas de TV onde supostamente uma pessoa com um problema familiar vai resolver esses problemas “ao vivo” com as partes envolvidas (briga de marido e esposa, disputa de paternidade, etc). Existem vídeos que parecem comprovar que alguns desses programas contratam figurantes para fingirem ser membros de família em alguma disputa ou problema. Um dos vídeos que afirmam que são atores mostra uma jovem em um programa brigando com um membro de sua família e também em outro programa, mas com outro nome e outro marido!

E você já se perguntou se nesses programas de TV por assinatura onde se ajuda a uma família com a reforma de sua casa ou se negocia itens raros se tudo já não foi combinado previamente?

Hoje em dia, a ficção quer parecer cada vez mais a realidade. E quanto mais fantástica for a ficção, mais ela precisa ser maquiada de realidade. Dessa forma, se consegue convencer ou pelo menos confundir a muita gente, gerando audiência.

Então o que muitos YouTubers têm feito é simplesmente copiar algo que a mídia do entretenimento já faz por vários anos.

Mas então, como devemos ver os vídeos fake?

Isso depende. O vídeo foi criado com a intenção de apenas divertir? Nesse caso, não se preocupe, pois se você gostou do vídeo e achou interessante, o vídeo cumpriu bem seu papel. Apenas você precisa ter um sentido crítico para diferenciar o que é real do que é ficção, coisa que cada vez é mais difícil.

Agora um vídeo que supostamente quer te informar com uma notícia falsa, precisa ser rejeitado completamente.

O bom senso precisa reinar. Imagine o que seria desses YouTubers se eles não pudessem inventar essas histórias? Imagine se ninguém acreditasse em histórias do tipo “um estranho colocou cadeado no portão da minha casa e fiquei preso 3 dias”. Ou que “um invasor” (que inclusive é mencionado como se fosse o título de um personagem, “o invasor”) realmente estivesse invadindo a casa de uma pessoa e isso servisse para gerar audiência para o dono do canal? O mais curioso é que quando outro canal tenta mostrar que certos vídeos são falsos, o dono do canal acusado em vez de se defender, geralmente o que ocorre é uma ameaça (sem nenhum contra-argumento).

Se divirta, mas saiba a diferença entre ficção e real

No YouTube você pode encontrar vídeos falando praticamente de qualquer assunto. Não tem nenhum problema em você acompanhar um canal que muitas vezes faz vídeos com histórias “fictícias” se você se diverte com eles. Mas você precisa saber a diferença entre o real e o fictício, e hoje em dia, a maioria dos vídeos “hard core” ou extremos no YouTube são ensaiados, ou a história narrada é totalmente inventada.

Valorize quem te valoriza e não quem subestima sua inteligência e seu bom senso. Lembre-se disso.

Até o próximo artigo!

Análise: Google Adwords versus Anúncios diretos no Youtube – qual é melhor?

Desde que a Google lançou seu sistema de anúncios, este vem sendo a principal forma de ganho da empresa, representando mais de 96% dos lucros da gigante da internet. E antes que você diga “mas o Youtube também é da Google, porque vocês estão fazendo essa comparação?”

Neste artigo não vamos falar sobre o Adwords nativo do Youtube e sim dos anúncios que você pode colocar diretamente em certos canais, que irão mencionar, usar ou mostrar seu produto em seus vídeos. Vamos analisar as duas plataformas e mostrar para você qual é a melhor opção ao investir em anúncios na internet. Vamos lá!

Google Adwords

O sistema do Adwords é interessante pois permite que você possa anunciar seu produto ou serviço usando teoricamente “qualquer tamanho de orçamento”. Eu já explico porque colocamos em aspas o “qualquer tamanho’.

Seu anúncio irá aparecer somente para quem ao fazer uma pesquisa no Google digitar algum termo que você pré determinou para acionar seu anúncio. Mais ou menos assim: se você tem uma loja de video games, e você quer promover uma oferta em seus consoles Playstation por exemplo. Provavelmente você irá escolher termos como “comprar video game”, “promoção Playstation” “oferta Playstation” entre outros termos (ou palavras chave se preferir). Aí, quem escreva no Google alguns desses termos, teoricamente seu anúncio irá aparecer para essa pessoa. Note que o “teoricamente” aqui de novo. Calma, que daqui a pouco a gente te explica.

E quanto custa anunciar com o Google Adwords? Isso varia muito, pois existem muitas coisas que determinam o valor do seu anúncio. Se você escolher ser cobrado por cada clique que seu anúncio receber (que é a escolha de quase todos), cada clique pode variar seu preço, de acordo com o que a Google chama de “leilão” e também com a qualidade do seu anúncio.

Existem palavras ou termos que, por serem muito utilizados, são mais caros que outros. Por exemplo, o termo “oferta Playstation” pode custar R$5,00 por clique, enquanto um outro termo menos concorrido pode custar 1 real o clique ou menos. Existem certas palavras chave que podem custar acima de 10 reais por clique!

A Google exibe para você um relatório com a quantidade de vezes que seu anúncio apareceu na tela das pessoas e a quantidade de cliques que ele recebeu, além de vários outros dados. Geralmente você percebe que seu anúncio foi “visualizado” por milhares de pessoas, porem recebeu menos de 10% dos cliques em comparação com as visualizações. Como a Google cobra por clique (se você escolheu assim), então apenas os cliques são cobrados. Obvio!

Aí você diz, ok aí eu ganho visualizações “grátis” para meu anúncio. É verdade porém como o texto do anúncio não dá tantas informações, geralmente é necessário clicar nele para a pessoa saber da sua oferta. Se você está procurando por algo no Google e te interessou o texto de algum dos anúncios, o que você faz, ignora clicar no anúncio e procura o website da empresa anunciante ou clica no anúncio para saber do que se trata?

Esse é um ponto: em geral se não tivemos interesse em clicar em um anúncio, é porque o anúncio em si não nos interessou. Então sim, no caso do Google Adwords é muito importante que seu anúncio receba muitos cliques de pessoas certas, que tenham interesse em comprar seus produtos.

O que faz com que voltemos ao ponto: se seu anúncio teve 10.000 impressões e foi clicado 500 vezes, isso significa não apenas que 500 pessoas se interessaram pelo seu produto, mas que 500 pessoas foram conferir exatamente qual é sua oferta, foram ver mais detalhes.

Uma das métricas para determinar o sucesso de uma campanha no Adwords é o resultado que ela teve, em comparação ao número de cliques. No exemplo, a campanha que teve 500 cliques, quanto custou cada clique, em média? Vamos supor que para esta palavra, que por sinal é muito concorrida, o custo seja de 3 reais por clique. Nesse caso você teve um custo de R$1.500. Bom e desses 500 cliques, quantas vendas efetivamente saíram? Claro que isso vai depender da oferta, mas vamos considerar uma taxa de 5%, ou seja, vamos supor que você vendeu 25 consoles.

Foi bom, não? Sim, pois se a gente considerar que para cada console você tem um lucro líquido de R$300 reais (pode ser bem menos que isso), você lucrou R$7.500 com essa campanha.  Sim, a ferramenta de anúncios se for bem configurada pode trazer lucros para o anunciante. Agora, falemos dos anúncios diretos no Youtube.

Anúncios diretos em canais do Youtube

marketing de influenciadoresO sistema Adwords também funciona dentro do Youtube. Sabe quando você vai ver um vídeo e antes aparece um anuncio em vídeo que você pode cortar depois de 5 segundos? Esse é um exemplo de Adwords do Youtube em ação. Também podem aparecer banners embaixo do vídeo e anúncios ao lado.

Mas como comentamos, nesse artigo vamos falar apenas dos anúncios que você pode colocar diretamente em um ou mais canais do Youtube.

Sabe quando você está assistindo a um vídeo no Youtube e o apresentador do canal está te mostrando um novo celular que ele está analisando no vídeo? Bom, muitas vezes esse celular analisado veio de uma empresa que o enviou para promover a empresa. Em outros casos, o apresentador menciona uma marca ou produto em seu vídeo e põe os links na descrição. Esses são exemplos de anúncios diretos.

Não existe muito segredo nessa estratégia: você tem um produto que sabe que é interessante para certo público então você procura um canal ou canais que falam para esse público. O valor de uma campanha assim varia muito de canal para canal. Se você quer seu anúncio aparecendo em canais de grande público, terá que desembolsar mais, se preferir canais em ascensão, vai pagar menos. Simples não é? Agora vamos à parte polêmica deste artigo: vamos comparar as duas formas de anúnciar.

Adwords versus anúncios diretos no Youtube

Adwords: pontos a favor

  • Cada vez mais simples de usar
  • Você decide que termos irão acionar seu anúncio
  • Tem controle sobre quanto vai gastar
  • Paga apenas quando alguém clica em seu anúncio
  • Dependendo do anúncio e dos termos usados, pode gerar bons resultados com baixo investimento

Adwords: pontos contra

  • Depois que a Google simplificou a plataforma, funções importantes para analisar palavras chave já não mostram tantas informações como antes, deixando a análise menos objetiva.
  • As palavras chave que você escolher para acionar seu anúncio não necessariamente vão deixar seu anúncio na primeira página. Se seu produto for muito concorrido, muitos outros anunciantes podem aparecer na frente do seu anúncio. É preciso às vezes um investimento maior para ter melhores resultados. E também caprichar no texto do anúncio.
  • Às vezes uma pessoa pode pensar que, como somente os cliques são cobrados, sempre que os anúncios são exibidos, sua empresa está recebendo divulgação útil. Isso pode ser verdade, mas nem sempre é assim. Como comentamos, geralmente se um anúncio é de interesse, clicamos nele, de outra forma ignoramos. Em outros casos apenas exibir o anúncio pode até resultar em vendas, mas isso apenas se o texto tiver informações suficientes para uma tomada de ação sem clicar no anúncio.
  • O bom resultado em uma campanha de Adwords é variável. Se houver muita concorrência com os termos que utilizamos para acionar nosso anúncio, podemos ter cliques insuficientes para conseguir vendas que justifiquem o investimento.  Então é necessário um planejamento detalhado para que você possa ter resultados bons. E geralmente, é necessário um investimento mais substancial do que apenas algumas centenas de reais para se conseguir boas vendas.

Anúncios diretos no Youtube: pontos a favor

  • O produto anunciado é visto por todos os que assistirem ao vídeo. Isso significa que dependendo do anúncio em si, o apresentador do canal pode dar todas as informações que você precisa para vender seu produto.
  • Como você já havia selecionado o Youtuber, você já sabe que ele fala com o seu público com potencial de comprar seus produtos.
  • Você investe um valor fixo, por vídeo ou por mês, que geralmente não precisa ser ajustado.
  • Todos os que assistirem o vídeo irão ver seu anúncio, assim o alcance é igual a quantidade de visualizações do vídeo, que pode ser de centenas de milhares.
  • A relação investimento-visualizações é muito boa, seu anúncio pode ser visto por exemplo por mais de 100.000 pessoas por um valor que não seria possível pelo Adwords.
  • Quando um influenciador fala de seu produto, ele usa a influência que tem para te convencer a comprar o produto anunciado. Esse método é muito mais poderoso do que ler um anúncio por exemplo, já que o vídeo é mais amigável de se ver.  E está sendo recomendado por alguém que as pessoas confiam.

Anúncios diretos no Youtube: pontos contra

  • É importante saber em que canal anunciar: não adianta anunciar em um canal “grande” mas que o público não tem interesse em cobrar o que se anuncia lá.
  • Se o anúncio for mal executado, pode prejudicar a imagem do Youtuber, e também da sua empresa.
  • É preciso escolher um canal que cobre valores coerentes com os resultados que ele pode gerar, de outra forma o anúncio pode sair “caro”.

Veredito: quem “ganha?”

Se você pensar em marketing como ele realmente é, sabendo que ele depende de um grupo de estratégias diferentes, você pode dizer que as duas formas de anunciar são válidas e importantes, cada uma no seu segmento.

O Youtube pode ser uma opção mais barata e muito assertiva quanto se fala de resultados. Com um investimento relativamente baixo, seu anúncio pode chegar para um público muito maior. O que você precisa é do apoio de profissionais do marketing nessa área específica para que a campanha seja bem montada e os resultados sejam otimizados.

Quer saber mais? Deixe um comentário abaixo ou clique aqui.

Um abraço!

 

Entrevistando Youtubers: Roberto, do canal RK Play

Entrevistamos o Roberto do canal RKPlay que gentilmente falou sobre como é ser Youtuber e deu muitas dicas legais pra quem está começando um canal no Youtube.
Se você tem canal no Youtube e quer ter sucesso, assista com atenção essa entrevista, porque vale muito a pena!
A Warp Media é uma startup dedicada entre outras coisas a dar suporte gratuito para canais no Youtube. Nós ajudamos seu canal a conseguir contratos e assim rentabilizar (ou seja você ganhar dinheiro).

Entrevistando Youtubers: Daniel Verçosa do New York Treta

O NYT, como tem sido conhecido o canal New York Treta está crescendo rapidamente, pois muitas pessoas tem interesse em ficar por dentro do que acontece no Youtube.
Nós já estamos acostumados a assistir telejornais. Vai dizer que nunca assistiu ao Jornal Nacional enquanto jantava ou almoçou vendo o Jornal Hoje (ou outros)?

É um formato muito interessante que ultimamente tem sido amplamente utilizado pelo que alguns apontam como sendo o mais provável substituto da TV aberta: o Youtube, ou melhor dizendo, alguns canais dessa plataforma.

Lembra lá na escola quando alguém dizia que ia ter uma briga? Como o povo fazia uma roda pra assistir o “combate”? Isso acontece porque nós somos muito curiosos, sim, as pessoas em geral querem saber o que vai acontecer quando surge uma “treta”. Baseado nisso, surgiram vários canais de notícias no Youtube, retratando as principais “tretas” ou discussões entre donos de canais do Youtube.

Nós conversamos com o Daniel Verçosa, que tem alguns canais no Youtube entre eles o “New York Treta” que é um canal que apesar de seguir a linha de assunto do já “cultuado” Treta News, o NYT, como tem sido chamado, apresenta um formato bem diferente e muito divertido.

Perfil Warp: Pedro Augusto do canal #TádeSacanagem

Pedro Augusto é um garoto de 14 anos, Youtuber, que mora em Alexandria, no Rio Grande do Norte. Em seu canal no Youtube, o #TaDeSacanagem ele faz vlogs comentando com muito humor as coisas engraçadas do nosso cotidiano, além de cumprir desafios diversos (ele é bem corajoso pra isso) e quadros humorísticos bem engraçados.

Nesta entrevista, uma das mais divertidas que fizemos, ele fala um pouco sobre porque ele decidiu criar o canal. Ficou muito divertida! Dá uma olhada: