como fazer um roteiro

O guia definitivo para expandir seus negócios de marketing com influenciadores

O que é marketing de influenciador e, mais importante, você deve alavancá-lo para sua própria marca?

O marketing pode empurrar até o empreendedor mais obstinado. Criar marca, falar a língua do seu público, escolher as plataformas apropriadas para o seu produto e descobrir quais estratégias de marketing são mais eficazes para o seu mercado-alvo pode ser um verdadeiro desafio.

Mas você não precisa enfrentar tudo isso sozinho.

O marketing de influência é uma ótima maneira de ajudá-lo a alcançar novos públicos, aumentar o conhecimento da marca e impulsionar o ROI de marketing e os resultados financeiros.

Este é realmente um guia épico, cobrindo tudo o que você precisa saber sobre marketing de influenciadores, então leia do início ao fim. Ânimo!



Capítulo 1: Primeiro, uma breve visão geral do marketing de influência (definição, ROI)

Este primeiro capítulo é uma visão geral do marketing de influenciador, desde o que é um influenciador até como escolher uma pessoa apropriada para obter o máximo ROI com o marketing de influenciador e onde encontrar influenciadores legítimos. (Bem como a maior lição que aprendemos ao fazer marketing de influenciadores. 😀)

Em seguida, vamos nos aprofundar em cada aspecto do marketing de influenciador nos capítulos 2 a 10.

1) O que é marketing de influenciador?

O marketing de influência é uma estratégia que as empresas usam para promover seus produtos e serviços por meio de parcerias com usuários populares de mídia social ou blogueiros. Os influenciadores geralmente têm um público grande e engajado que as marcas podem alcançar para construir credibilidade e até mesmo impulsionar as vendas.

Se você já quis comprar uma roupa, um fone de ouvido, um game, porque você viu alguém que acompanha na internet usando ou falando do produto, então você já sentiu na pele o funcionamento do marketing de conteúdo.

Isso é marketing de influenciador.

A parceria com influenciadores é a estratégia de marketing número um para muitas marcas. A resposta simples de porque o marketing de influenciador funciona inclui estes benefícios:

  • Alcance um público maior
  • Crie confiança para sua marca
  • Aumente seu número de seguidores sociais
  • Aumente o tráfego do site
  • Obtenha mais leads
  • Impulsione as vendas

Quando você vê celebridades e outras pessoas famosas, você adora usar coisas ou usar outras coisas, é muito mais provável que você faça o mesmo também.

Os influenciadores quem você vê na mídia social tem algumas centenas de milhares ou mais de um milhão de seguidores no Instagram ou Snapchat ou YouTube. Essas pessoas construíram seu público-alvo, e é por isso que são chamadas de influenciadores.

Lembre-se de que construir seguidores é muito difícil. O YouTube e o Facebook estão pagando um bom dinheiro a essas pessoas porque têm um grande público orgânico.

2) Como aproveitar o marketing de influência

A maneira mais fácil de alavancar o marketing de influenciadores é pagar diretamente influenciadores pelas postagens.

Veja o Instagram, por exemplo. Existem toneladas de modelos lá vendendo seus produtos de proteína ou garrafas de água ou algo semelhante. Esses modelos estão sendo pagos por postagem.

 

 

Digamos que você esteja no e-commerce e vendendo produtos. Você não precisa necessariamente de influenciadores no nível de LeBron James ou Kim Kardashian. Muitos influenciadores não têm milhões de seguidores, mas têm um público grande o suficiente para impulsionar uma boa campanha de marketing, cobrando bem menos que grandes nomes.

Se sua empresa de comércio eletrônico está pagando R$ 1.000 por postagem e o valor médio do pedido é R$ 500, você pode ver como os números somam a seu favor. Digamos que uma das publicações de um influenciador dê a você R$ 10.000 em pedidos. Esse é um negócio que você faria o dia todo, todos os dias. Na verdade, você vai procurar ainda mais influenciadores. Isso é algo que você deseja duplicar.

Saiba mais no Capítulo 2:  Como fazer seus negócios crescerem com marketing de influência mutuamente benéfica

3) Quais influenciadores você deve recrutar?

Quando você olha para pessoas que têm um milhão de seguidores no Instagram, se elas estão recebendo apenas mil curtidas por foto, o que isso quer dizer? Seus seguidores não são leais. Se alguém não tiver seguidores leais e disser: “Compre este produto. Use este serviço”, o que você acha que vai acontecer? Ninguém vai se importar.

Por outro lado, se alguém tiver seguidores leais, receberá mais curtidas, mais comentários e mais engajamento por postagem.

É quase impossível fingir essa taxa de engajamento mais alta e é uma indicação clara de que esse influenciador dedicou tempo para construir seguidores orgânicos e leais.

Portanto, quando estiver tentando descobrir quais influenciadores recrutar, não escolha apenas aqueles com maior número de seguidores ou decida com base em quanto eles cobram. Baseie-o puramente no envolvimento que eles estão obtendo.

 

4) Atingindo o ROI Máximo com Influenciadores

Quando estamos fazendo marketing de influenciador no Instagram, não olhamos para quantos seguidores alguém tem, apenas olhamos quantas curtidas por foto eles recebem e quantos comentários recebem porque:

  • Queremos ter certeza de que a proporção está acima de 5% para públicos menores de 10.000-20.000 seguidores
  • Queremos ter certeza de que a proporção é de pelo menos 3% para mais de 20.000 públicos (este é um bom sinal de que estamos lidando com seguidores leais)

A partir daí, tentamos comprar o máximo de postagens possível, negociando e comprando em pacotes a granel. Não faça eventos pontuais. Você tem que fazer isso de forma consistente ao longo do tempo. Assim como o Beats by Dre.

Se eles pagarem a Kim Kardashian uma vez para usar os fones de ouvido, eles não se sairão bem. Mas se eles pagam uma tonelada de influenciadores e fazem isso ao longo de seis meses a um ano, começa a ter um impacto. Isso cria um movimento.

 

5) Onde encontrar influenciadores

Existem plataformas onde você pode encontrar os influenciadores que procura.

Mas como agência, a Warp Media pode te ajudar a encontrar a pessoa certa para sua campanha. Há alguns fatores que você precisa analisar na hora de escolher um bom influenciador.

Pense nisso desta maneira:

  • Se você está vendendo um produto de jogo, pode enviá-lo para os streamers do Twitch.
  • Se você está vendendo algo como garrafas de água, pode enviá-lo aos influenciadores do esporte.
  • Se você tem um produto cosmético, precisa ir a um influenciador de beleza.
  • Mas se você está vendendo software corporativo, o marketing de influenciador provavelmente não é a escolha certa para você.

É tudo uma questão de segmentação.

 

Capítulo 2: Como fazer seus negócios crescerem com marketing de influência 

As referências têm sido uma das estratégias de marketing mais eficazes.

Se você tiver um problema e um de seus amigos lhe falar sobre uma ótima solução para ele, há uma boa chance de você comprá-lo.

O marketing de influência é assim – apenas em escala. Quando os influenciadores contam a seus fãs e seguidores sobre o quão bom é o seu produto, há uma chance muito maior de que seu público se converta, simplesmente porque eles precisam do produto e confiam no influenciador.

Normalmente, o vendedor ou profissional de marketing fornecerá um código de desconto especial apenas para o público do influenciador, a fim de rastrear a eficácia da campanha.

1) O crescimento das parcerias com influenciadores da marca

Aqui estão algumas estatísticas inspiradoras sobre marketing de influenciador :

  • 70% dos assinantes adolescentes do YouTube confiam nas opiniões dos influenciadores em vez das celebridades tradicionais
  • 49% dos consumidores dependem de recomendações de influenciadores
  • Em média, as empresas geram US $ 5,20 para cada US $ 1 investido em marketing influenciador
  • 89% dos profissionais de marketing dizem que o ROI do marketing influenciador é comparável ou melhor do que outros canais de marketing

Por essas razões, marcas e influenciadores estão agora construindo relacionamentos de longo prazo:

Por exemplo, quando a Motorola lançou uma nova linha de smartphones, eles recorreram a influenciadores no YouTube para promovê-la.

Porque YouTube? Eles já estavam comercializando seu produto para um público jovem e perceberam que essas pessoas costumam usar essa plataforma em particular.

Eles escolheram 13 influenciadores, cada um dos quais fez seu próprio vídeo promovendo os smartphones. Um dos vídeos de maior sucesso foi feito por um influenciador que o amarrou a um foguete de 3 metros! O resultado final  foi:

  • 11,6 milhões de visualizações
  • 38,1 milhões de impressões sociais
  • 122.000 cliques no site (80.000 dos quais foram visitantes pela primeira vez)

Não deve ser surpresa que o espaço de marketing do influenciador deve atingir US $ 15 bilhões até 2022 :

Como os custos dos anúncios pagos continuam a aumentar em plataformas de mídia social como YouTube e Instagram, as empresas precisam encontrar uma maneira de sobreviver. É aqui que entra o marketing de influenciador.

Trabalhar com influenciadores pode ser mais barato do que publicidade paga e é muito mais eficaz porque você pode comprar os seguidores leais (e muitas vezes enormes) do influenciador.

Setores como moda / beleza e fotografia viram um grande aumento na popularidade do marketing de influenciador nos últimos anos: 57% das empresas de moda atualmente usam parcerias com influenciadores e 21% esperam começar a alavancá-lo em breve.

Então, o marketing de influenciadores é uma tendência que logo desaparecerá ou se tornará supersaturada? Ou vale a pena pular nisso?

Tenha certeza de que o marketing de influenciador não irá embora tão cedo simplesmente porque o número de olhos nas mídias sociais continua a crescer. A popularidade das redes sociais, por sua vez, leva a um aumento no número de influenciadores, o que significa que é aí que está o gasto com marketing.

Na verdade, 65% dos orçamentos de marketing de influenciadores  aumentarão em 2021.

O espaço de marketing do influenciador ainda tem um longo caminho a percorrer antes de ficar saturado, embora você deva esperar que fique mais caro em breve, porque funciona muito bem.

Ainda não tem certeza se deve entrar no movimento?

Dê uma olhada para ver se há outras marcas em seu setor que veiculam anúncios com influenciadores. Você provavelmente notará que vários estão, e se algum deles veiculou anúncios por vários meses ou anos, é um bom sinal de que está funcionando.

Mesmo que você não veja ninguém usando em sua indústria, ainda pode valer a pena encontrar um influenciador altamente compatível e testá-lo.

 

2) Por que as marcas confiam no marketing de influência

Como o marketing de influência ainda é uma estratégia relativamente nova, ele continua a ser uma solução viável para profissionais de marketing que desejam pensar fora da caixa para construir a confiança de seu público-alvo.

É aqui que as marcas contam com o marketing de influenciadores.

Influenciadores têm poder real

Não há muitas coisas que impulsionam as vendas de forma mais eficaz do que o bom e velho marketing boca a boca:

Isso é parte de uma mudança geral na forma como priorizamos recomendações em vez de anúncios pagos de televisão, revistas e jornais e é difícil ignorar o poder desses embaixadores não oficiais da marca:

imagem 2 2

Os influenciadores são sociais

De acordo com Oberlo , todo mundo usa a mídia social, até mesmo seus avós:

  • 90,4% da geração do milênio
  • 77,5% da Geração X
  • 48,2% dos baby boomers

geração de uso de mídia social

Ter um forte número de seguidores nas redes sociais é uma forma dinâmica de interagir com os clientes, que estão nas redes sociais pesquisando produtos e marcas:

pesquisa de produtos de mídia social

Os influenciadores provavelmente serão capazes de ajudá-lo a aumentar seu número de seguidores sociais quase da noite para o dia, apenas apresentando muitos clientes direcionados às suas páginas de mídia social. Mesmo que eles não convertam com a campanha inicial do influenciador, você pode redirecioná-los com, por exemplo, anúncios do Facebook.

Os influenciadores afetam seu SEO

Ter um influenciador o ajudando a aumentar o número de seguidores nas redes sociais também melhora o seu SEO.

Como? Embora a presença na mídia social não seja um fator de classificação confirmado, é um sinal para os mecanismos de pesquisa de que você tem muitos seguidores, o que equivale à qualidade da marca. Como você provavelmente sabe, as marcas são de fato o caminho do futuro.

3) Marca + influenciador: torne-os mutuamente benéficos

Assim como qualquer relacionamento, o marketing de influenciador deve ser uma via de mão dupla.

Se sua marca for a única parte que se beneficia, você provavelmente não conseguirá que ninguém concorde em um relacionamento com você e, se concordar, provavelmente não terá muitos seguidores.

Nós defendemos que você deve considerar cerca de R$0,03 centavos para cada visualização que seu anúncio receber em um vídeo em um canal do YouTube.

Use esta fórmula para ter uma ideia de compensação antes de começar a alcançar as pessoas (mais sobre isso mais tarde). Certifique-se de não rebaixar seus parceiros em potencial e ofendê-los antes mesmo de entrar no processo de negociação!

Existem várias maneiras diferentes de remunerar os influenciadores:

  • Dinheiro. Essa é a forma mais comum de compensação, e a maioria dos influenciadores prefere esse método e o solicitará. A única ressalva é que a pessoa pode não estar realmente investida em sua marca e, portanto, não coloca seu coração no projeto. Se sua empresa dispõe de recursos, no entanto, os dados confirmam que esta é uma de suas melhores opções.
  • Produto grátis ou desconto.  Por que não oferecer a alguém um produto grátis ou um desconto em troca de uma mensagem? Esse não precisa ser o único arranjo, mas é uma boa maneira de construir um relacionamento. Com o tempo, você pode desativar isso e optar por outra forma de pagamento.
  • Comissão. É uma situação em que todos ganham, já que ambas as partes estão envolvidas no jogo. Você paga a pessoa para compartilhar o produto de sua marca com o público dela e qualquer venda que ela gerar resultará em uma comissão paga ao influenciador. Contanto que você seja justo com a estrutura de comissões, este é um dos melhores arranjos. Cuidado com essa tática, muitos influenciadores atualmente não gostam de receber comissões, sem um valor fixo combinado em conjunto desta estratégia.
  • Liberdade creativa.  Crowdtap fez uma pesquisa com 59 influenciadores, perguntando-lhes o que os persuadiu a trabalhar com marcas mais de uma vez, e 77% disseram que a liberdade criativa é importante para eles:

 

Com um acordo mutuamente benéfico, sua campanha de marketing de influenciador prosperará.

Defina um orçamento, acompanhe seu ROI

Antes de ficar muito entusiasmado e influenciar o seu caminho para a falência, é importante definir um orçamento.

A NeoReach analisou 2.000 campanhas de marketing de influenciadores e descobriu que o valor agregado da mídia era em média $ 5,20 por $ 1 gasto . Em outras palavras:

Para cada dólar gasto em marketing de influenciador, as marcas geraram mais de 5 vezes mais impressões e engajamentos do que a publicidade paga.

Se esta é sua primeira aventura no marketing de influenciadores, comece com um orçamento pequeno para descobrir o que funciona e o que não funciona.

É fácil exagerar no marketing de influenciador, já que todas as oportunidades são atraentes de alguma forma, então é sua função cumprir o seu orçamento e gastar dinheiro apenas quando fizer sentido.

Para fazer isso, você precisará rastrear seu ROI. Isso não apenas mostra o que está e o que não está funcionando, mas também o coloca em uma posição para ajustar sua estratégia e aumentar seu orçamento no futuro.

Conteúdo relacionado: Como contratar um influenciador

Capítulo 3: Como escolher um influenciador que seja melhor para sua campanha de marketing

Escolher um influenciador para sua campanha de marketing nem sempre é uma tarefa fácil.

Antes de entrar em contato, certifique-se de definir os objetivos de sua campanha. Somente quando você tiver um objetivo claro para sua campanha, sua busca poderá começar. Em seguida, use as ferramentas listadas na seção 3 abaixo (Encontre o seu influenciador ideal) ou outros métodos engenhosos de pesquisa para encontrar o influenciador apropriado para sua campanha de marketing.

Depois de ter tudo definido, lembre-se de que o processo de criação deve ser colaborativo, portanto, você precisa se comunicar constantemente com seu influenciador e oferecer informações relevantes. Se a campanha de marketing do primeiro influenciador der certo, você poderá ter um relacionamento frutífero e de longo prazo.

Vamos examinar como escolher um influenciador para impulsionar sua campanha de marketing.

 

 

1) Exemplos de parcerias de marketing de influência

De acordo com a Pesquisa de Avaliação do Consumidor da Bright Local, 76% das pessoas confiam nas avaliações on-line tanto quanto em recomendações pessoais, o que leva a uma conclusão muito importante:

Os clientes confiam mais em completos estranhos do que em empresas bem conhecidas.

E depois de ler uma crítica positiva, um terço das pessoas visitará o site de uma marca e 11% entrará em contato com a empresa :

O-que-você-faz-depois-de-ler-uma-crítica-positiva-1 em escala

Vamos dar uma olhada em um exemplo de parceria de marketing de influenciadores bem-sucedida.

Cristiano Ronaldo e Nutrição Herbalife

Um exemplo de parceria de marketing de influenciador é aquela entre Cristiano Ronaldo e Herbalife Nutrition , que começou em 2013 e foi recentemente estendida até 2021:

Cristiano Ronaldo sócio da Herbalife Nutrition

A Herbalife associou-se a Cristiano Ronaldo, um jogador de futebol português internacionalmente famoso (ou seja, jogador de futebol), para o lançamento da sua Herbalife24® CR7, uma bebida desportiva “concebida especificamente para ir ao encontro das necessidades nutricionais da lenda do futebol mundial e beneficiar atletas de todos os níveis. ”

Este é o efeito “mágico” do marketing de influenciador: quando você vê ou ouve falar de um produto ou empresa, automaticamente o associa a uma pessoa conhecida, como um atleta famoso ou estrela de cinema, e vice-versa.

Mas não desanime pensando que, se você não for uma marca grande e conhecida, esse tipo de marketing não funcionará para você. Você não precisa pagar a uma personalidade seis ou sete dígitos para que ela promova seus produtos. Na verdade, a maioria dos influenciadores não é tão notável e famosa. Influenciadores, existem muitos, grandes e pequenos, e é provável que você encontre um (ou mais) que seja uma combinação perfeita para sua marca ou produto.

2) Defina os principais objetivos de sua campanha de influenciador

Antes de fazer um brainstorming para algumas ideias de campanha extraordinárias ou começar a procurar o influenciador de seus sonhos para alavancar sua influência com o seu público, primeiro você precisa delinear seus objetivos.

Se você não quer desperdiçar recursos preciosos, toda decisão que você tomar precisa ter um objetivo final. Continuaremos nosso exemplo de Cristiano Ronaldo para torná-lo compreensível para todos.

Digamos que você seja uma grande empresa que vende suplementos nutricionais e, embora tenha um portfólio impressionante, ainda não se tornou uma referência no setor. Este é um nicho muito competitivo com muitas empresas poderosas competindo, então você precisa se destacar.

Ao escrever os objetivos de sua campanha, você deve ter em mente três aspectos muito importantes:

  • Público-alvo (idade, sexo, localização, estudos, renda etc.)
  • Papel principal do influenciador
  • Papel do influenciador durante a campanha

Um influenciador para esta campanha em particular deve ter menos de 40 anos, ser conhecido na indústria do esporte e ter uma base de fãs jovem. Porque queremos dar um impulso real à nossa marca, o influenciador precisa ter uma base de fãs de 8 dígitos ou mais . Ronaldo tem 200 milhões de seguidores nas redes sociais, o que o torna um candidato ideal.

O principal objetivo desta campanha é aumentar as vendas em 30% nos primeiros três meses. Incluirá pelo menos seis postagens de mídia social do influenciador durante esses três meses e haverá um anúncio de 20 segundos que será compartilhado em canais de mídia social (principalmente Facebook, Youtube, Twitter e Instagram).

Por que 20 segundos? Porque, de acordo com o YouTube, a retenção do usuário cai nos primeiros 15 segundos do anúncio .

Tempo de exibição do vídeo

 

Ao definir o objetivo de sua campanha, eles precisam ser   SMART  (em inglês)

  • Específico
  • Mensurável
  • Alcançável
  • Relevante
  • Tempo limite

Nossa meta é bem específica: ver um aumento de 30% nas vendas. Você pode medir facilmente seu progresso e alcançá-lo não é irreal. O aumento das vendas é muito relevante para a nossa empresa porque queremos aumentar as nossas receitas e, por último, mas não menos importante, é um prazo. Tem um período experimental de 3 meses.

3) Encontre o seu influenciador ideal

Agora que você definiu os objetivos da sua campanha, faça um esforço e vamos encontrar o seu influenciador!

Encontrar o lugar certo para vender seus produtos pode ser muito fácil – basta pesquisar as lojas que vendem produtos semelhantes e chegar até elas.

Bem, os influenciadores não são tão fáceis de encontrar. Este é um novo tipo de marketing e não é como se houvesse lugares aonde você pode ir e colocar um anúncio de um influenciador.

Aqui estão alguns métodos eficazes de busca por seu influenciador ideal:

Pesquisa Manual

Primeiro, você precisa descobrir quais canais deseja usar e que tipo de influenciador deseja:

Aqui estão algumas maneiras de descobrir isso:

  • Pergunte ao seu público.  Se você trabalha com uma empresa de software, por exemplo, pode simplesmente ligar para um de seus clientes e perguntar quais tipos de mídia eles preferem e onde gostam de consumi-la (podcasts, postagens em blogs, vídeos; YouTube, Instagram, Facebook etc.). Você também pode fazer isso por meio de sua lista de e-mail. Em seguida, encontre alguns influenciadores nessas plataformas e pergunte a seus clientes se eles seguem alguma dessas pessoas. Se o fizerem, bingo! Se não pedir sugestões.
  • Faça alguma pesquisa sobre a concorrência.  Provavelmente, você já está fazendo parte dessa pesquisa, portanto, verifique com quem seus concorrentes estão fazendo parceria. Você provavelmente não será capaz de fazer parcerias com os mesmos influenciadores, embora deva encontrar concorrentes dos influenciadores e, em seguida, criar parcerias com eles.
  • Contrate uma agência de influenciadores, como a Warp Media. Isso conecta você diretamente com influenciadores que estão dispostos a fazer parcerias de longo prazo com marcas. (Veja o capítulo 7 para mais ferramentas.)

Avaliando o Influenciador Perfeito para a Sua Marca

Agora que você tem algumas ideias sobre como encontrar o influenciador certo, veja como avaliá-lo para sua marca:

 

a) Alcance de mídia social

Um influenciador só é um influenciador se puder realmente influenciar os outros. Um pouco trava-língua, mas faz sentido, certo?

Simplificando, quanto maior o alcance, maior o número de pessoas que verão seu produto ou serviço. Um usuário do Instagram com 1.500 seguidores pode ser capaz de gerar alguns resultados, mas um usuário do Instagram com 150.000 seguidores pode realmente levar sua mensagem ao seu público.

Claro, maior nem sempre é melhor. Você também deve levar em consideração o envolvimento anterior, pois isso ajuda a entender se o público da pessoa realmente ouve o que ela tem a dizer:

Continuando com o Instagram, você pode descobrir que uma pessoa com 15.000 seguidores recebe uma média de 500 curtidas em cada atualização. Por outro lado, uma pessoa com 30.000 seguidores pode receber apenas uma média de 100 curtidas por atualização.

Embora a pessoa com mais seguidores coloque sua marca na frente de mais pessoas, a postagem ou o vídeo pode não receber tanto engajamento. Este é um ato de equilíbrio com um componente de tentativa e erro.

Dependendo do seu orçamento e do nível de engajamento por seguidor que você deseja, você pode procurar um microinfluenciador ou um influenciador com um público menor (geralmente até 10 mil) em um nicho específico. Novamente, um macro influenciador pode promovê-lo a milhões, mas quantos estão realmente ouvindo? Eles estão realmente dispostos a se envolver da maneira que alguém especificamente em seu nicho faria?

Aqui está uma ideia de quanto cobram os micro influenciadores :

Postagens de blog patrocinadas:

  • 96% cobram R$ 1.000 ou menos por postagem
  • 87% cobram R$ 500 ou menos por postagem

Postagens no Facebook:

  • 96% cobram R$ 500 ou menos
  • 90% cobrar R$ 250 ou menos

Tweets de marca:

  • 96% cobram R$ 300 ou menos
  • 90% cobrar R$ 150 ou menos

b) Segmento de público influenciador

Antes de se envolver com um influenciador, entenda onde seu público se encontra. Por exemplo, eles preferem Instagram ou Twitter ?

Um dos principais erros dos profissionais de marketing influenciadores é correr atrás de personalidades com muitos seguidores e nada mais. Conforme observado acima, um grande alcance é um bom lugar para começar. Mas, novamente, não é o único ponto a considerar.

Você deve certificar-se de que o público-alvo da pessoa corresponde à sua marca. Por exemplo, um modelo de maiô com 100.000 seguidores pode ser o alvo perfeito se você estiver vendendo roupas femininas. Mas essa pessoa seria capaz de fazer alguma coisa pelo seu negócio de software? Provavelmente não (ou melhor, espero que não!). O público desse influenciador não está interessado em software.

Criando um banco de dados

Allen McGregor, pesquisador líder do Aussie Writings , explica este método:

“Este é o mais estafante. Você precisa revisar manualmente cada página que contém informações sobre o seu setor. Você precisa encontrar blogueiros ou personalidades muito bem conectadas ao seu público. Basicamente, é assim: Google-Read-Write-Down-the-Relevant-Facts-Repeat. ”

Você precisará compilar todas as suas descobertas em um banco de dados e o Google Drive e Google Docs são recursos simples e gratuitos para isso.

Aqui estão as principais coisas que você deve adicionar ao seu banco de dados para cada influenciador que você pesquisar:

  • Nome
  • Nicho
  • Tamanho da base do ventilador
  • Canais de mídia social (e links para eles)
  • Pontos fortes
  • Pontos fracos
  • Informação de contato
  • Observações: anote suas peculiaridades (tende a usar muito o vídeo, tem um ótimo senso de humor, tem muitos anúncios, nosso concorrente o tem / ela sob contrato etc.)

Bancos de dados online

Você pode encontrar facilmente muitos softwares que vasculham a Internet em busca dessas informações e geralmente são divididos em tipo de autoridade ou local. Lembre-se de que, embora esse método leve menos tempo para obter as informações, nem sempre é muito relevante, portanto, você terá que verificá-lo novamente.

 

Esses bancos de dados são uma excelente maneira de encontrar influenciadores e provavelmente fornecem a seleção mais ampla possível de influenciadores online. Você só precisa abordar essas pessoas você mesmo, depois de identificá-las.

 

4) Crie sua campanha de influenciador

Agora que os objetivos de sua campanha estão claros em sua mente e você decidiu qual influenciador prefere, é hora de começar a se envolver com essa pessoa e alavancar sua imagem.

Aqui estão as coisas mais importantes que você deve ter em mente ao criar sua campanha de influenciador:

  • Sua mensagem deve ser exclusiva: ao criar a mensagem e o tema de sua campanha, você precisa ser 100% original. Junto com seu influenciador, faça um brainstorm de ideias originais e tente métodos incomuns de anunciar sua mensagem. Estes são os que causam o melhor impacto.
  • Use canais relevantes. Você pode ter a melhor mensagem lá fora, mas se não usar os canais certos, ela não alcançará seu público. Por exemplo, se seu público é composto por usuários finais, não empresas, você não deve perder tempo anunciando sua mensagem em plataformas como o LinkedIn. Esta plataforma é mais adequada para interações B2B.
  • Ofereça informações privilegiadas ao seu influenciador. Convide seu influenciador para sua sede, destaque a missão de sua empresa, demonstre como seu produto é útil para seus clientes etc. Dê a ela informações substanciais para trabalhar. Se houver histórias interessantes ou momentos engraçados durante a existência de sua empresa, compartilhe-os com seu influenciador. Essa será a prova de que ela precisa de sua confiança e a inspirará a promover genuinamente sua marca. Por meio do conteúdo real que ela gera, os clientes também sentirão essa confiança na sua marca.

Conteúdo relacionado: Passo a passo para você se tornar um influenciador de sucesso

 

 

Capítulo 4: Como reforçar sua estratégia de aquisição de clientes com marketing influenciador

Colaborar com influenciadores para reforçar sua estratégia de aquisição de clientes é provavelmente a maneira mais econômica de conquistar novos clientes. Como os influenciadores são genuínos, autênticos e criativos, eles podem facilmente estabelecer uma conexão com seus clientes potenciais.

Mas certifique-se de encontrar influenciadores relevantes em seu nicho para o sucesso de sua campanha.

Monitore suas campanhas, pois isso pode ajudá-lo a entender o que está funcionando e o que não está e, se necessário, faça as alterações necessárias. Você também deve rastrear o tráfego e as conversões geradas a partir do conteúdo de seus influenciadores.  É importante que você continue aproveitando essas táticas de marketing de influenciadores para uma estratégia de aquisição de clientes bem-sucedida.

Vamos dar uma olhada em algumas táticas de marketing de influenciador vencedor para ajudá-lo a criar uma estratégia robusta de aquisição de clientes.

1) Faça com que influenciadores promovam a história da sua marca

A maneira como você representa sua marca para seu público é muito importante para a aquisição de clientes. Os valores e a missão da sua marca precisam ser comunicados com clareza ao seu público de uma forma simples, facilmente compreensível e identificável. Em grande medida, a imagem da sua marca vai depender do que e como você se comunica.

As histórias são a melhor maneira de construir uma conexão emocional com as pessoas, então você pode pedir aos seus influenciadores que compartilhem as histórias da sua marca com seus seguidores nas redes sociais de uma forma que os atraia. Mas por que você precisa de um influenciador para se tornar um contador de histórias para sua marca?

Os influenciadores são conhecidos por sua criatividade e autenticidade, portanto, quando apresentam suas histórias aos seguidores, isso pode fazer maravilhas pela sua estratégia de aquisição de clientes. Como 89% das marcas dependem de influenciadores para compartilhar suas histórias com conteúdo autêntico, isso tende a atrair novos clientes:

2) Faça com que influenciadores colaborem em brindes e concursos

Organizar brindes ou concursos é uma das melhores maneiras de fortalecer sua estratégia de aquisição de clientes.

Quando feito da maneira correta, com certeza atrairá novos clientes para sua marca, porque é sempre emocionante ganhar um prêmio, sem custos. E quando você colabora com influenciadores para realizar concursos ou brindes, você pode alcançar um público mais amplo que não seria possível de outra forma.

3) Faça com que os influenciadores sejam os defensores da sua marca

Uma das maneiras mais fáceis de aumentar o conhecimento de sua marca é transformar seus fãs leais em defensores da marca. Você também pode usar a mesma estratégia com seus influenciadores. Portanto, junte-se a influenciadores que já são grandes fãs de sua marca e transforme-os em defensores para apoiar sua estratégia de aquisição de clientes.

Essa tática é muito mais eficaz quando você constrói uma comunidade influente de defensores da marca, em vez de colaborar com apenas alguns deles. Você pode usar várias ferramentas de monitoramento social , como Hootsuite, Brandwatch ou Alertas do Google, para rastrear qualquer menção à sua marca ou produtos. Essas ferramentas o ajudarão a identificar seus maiores influenciadores leais.

 

) Faça com que os influenciadores usem hashtags específicas da campanha

Para reforçar ainda mais sua estratégia de aquisição de clientes, você pode usar hashtags que sejam relevantes para sua campanha.

A chave para ser descoberto por públicos relevantes e aumentar o conhecimento da marca é usar as hashtags certas, mas lembre-se de que é preciso tempo, esforço e extensa pesquisa para encontrar os relevantes. Certifique-se de que são uma mistura de hashtags comuns e exclusivas e incentive seus influenciadores a usar essa combinação de hashtags em suas postagens.

Por exemplo, LaCroix , uma marca de água com gás, trabalha com micro influenciadores para promover seu produto e conquistar novos clientes. No exemplo abaixo, embora a microinfluenciadora tenha menos de 5 mil seguidores, sua taxa de engajamento é muito alta.

LaCroix water Instagram

Como você pode ver aqui, a marca usa hashtags específicas e pediu ao influenciador que as usasse também.

Assim como o LaCroix, você também pode promover seus produtos usando hashtags específicas e relevantes em suas campanhas. Uma forma de colaborar com micro influenciadores é enviar amostras grátis de seus produtos e pedir que revisem e / ou promovam nas redes sociais.

 

 

5) Faça com que influenciadores escrevam críticas honestas

Para fortalecer e apoiar ainda mais sua estratégia de aquisição de clientes, peça a seus influenciadores para escrever e compartilhar avaliações honestas sobre seus produtos. O feedback genuíno nunca deixa de atrair novos clientes.

Avaliações e depoimentos de usuários são ainda mais importantes quando você é uma marca relativamente nova no setor. Nesses casos, são grandes as chances de que as pessoas não tenham ouvido falar de seu produto ou ainda não confiem em você o suficiente para investir seu dinheiro. No entanto, uma avaliação positiva de um influenciador em quem eles confiam pode revelar muito sobre sua marca e seu valor.

Portanto, colabore e peça a influenciadores relevantes para lhe dar um feedback honesto sobre seus produtos ou serviços e peça que compartilhem sua experiência com sua marca em suas contas sociais. Essas táticas certamente o ajudarão a conquistar a confiança de novos clientes.

6) Obtenha influenciadores para alavancar o conteúdo gerado pelo usuário

Aproveitar o conteúdo gerado pelo usuário é uma das táticas mais bem-sucedidas e poderosas para conquistar novos clientes.

Você pode pensar no como uma vantagem oculta para suas campanhas de marketing de influenciador. Para que essa tática funcione, você precisa primeiro estabelecer e construir conexões com seus influenciadores e, em seguida, alavancar sua confiabilidade e confiabilidade para posicionar a imagem de sua marca nas mídias sociais.

O conteúdo gerado pelo usuário impacta positivamente as decisões de compra de seus clientes em potencial. Na verdade, a geração do milênio acredita que as informações recebidas por meio do conteúdo gerado pelo usuário são 50% mais confiáveis do que de outras fontes de mídia, incluindo TV, jornais e revistas.

Quando você compara todas as formas de conteúdo, as pessoas confiam nos recursos visuais dos usuários mais do que em qualquer outro formato. Os visuais gerados pelo usuário são mais impactantes e influentes quando comparados às imagens ou vídeos da própria marca.

 

Capítulo 5: Marketing de influência para SEO: como construir links com o alcance de influenciador

Antes de mostrar como impulsionar o SEO com marketing de influenciador, primeiro explicarei por que funciona. Os benefícios de SEO do marketing de influenciador podem ser diretos ou indiretos.

1) Como o marketing de influência pode impulsionar seu SEO

Aqui estão quatro maneiras pelas quais o marketing de influenciador pode impulsionar o SEO da sua marca.

Desenvolva o conhecimento da marca

Construir sua própria base de público exclusiva leva anos ou até mais sem a ajuda de outras pessoas. Quando você faz parceria com participantes do setor já estabelecidos, pode encurtar o processo.

86% dos profissionais de marketing usam o marketing de influência para alimentar suas estratégias de marketing de conteúdo e 57% dizem que ele tem um desempenho melhor do que os ativos criados pela marca.

Se você faz parceria com influenciadores, especialmente aqueles que têm seguidores leais de centenas de milhares de pessoas, você pode obter um alcance melhor do que promover apenas em seu próprio site.

Obtenha backlinks

Quando você atinge um público maior por meio do marketing de influenciador, também obtém significativamente mais oportunidades de construir backlinks. Os links são um dos fatores de classificação mais importantes que o Google usa em pesquisas.

Quando você faz parceria com blogueiros por meio de comentários de visitantes, análises de produtos ou outros tipos de colaboração, quase sempre garante um novo link para o seu site. Alguns deles podem ser nofollow (o que significa que são sinalizados para não impactar as classificações de pesquisa). Mas eles ainda podem impactar o SEO indiretamente, construindo o conhecimento da marca e direcionando o tráfego.

Ganhe seguidores nas redes sociais

Os especialistas em SEO gostam de discutir se a mídia social tem um impacto direto no PageRank nos motores de busca. De qualquer forma, uma coisa é clara: os sinais de mídia social podem melhorar o SEO , indiretamente ou de outra forma:

 

Quando sua empresa se envolve com um novo público social, isso abre o potencial para mais seguidores e engajamento. Isso pode levar a mais tráfego no site, backlinks e outros fatores que melhoram o SEO .

Crie mais conteúdo orgânico

Em última análise, quanto mais conteúdo você cria por meio do marketing de influência, mais oportunidades você tem para sua marca se classificar nos resultados de pesquisa do Google.

Digamos que sua empresa seja nova e sua autoridade de domínio não seja boa o suficiente para ter uma boa classificação. Escreva uma postagem em algum site de alta autoridade. Este conteúdo provavelmente terá uma classificação muito melhor na pesquisa enquanto espalha a palavra sobre sua marca.

O mesmo acontece quando você trabalha com um influenciador do YouTube  É uma grande oportunidade de se classificar melhor na Pesquisa de vídeos do Google e nos resultados orgânicos regulares:

 

2) Estratégias para trabalhar com influenciadores para construir links

Existem muitas maneiras diferentes de colaborar com influenciadores. Aqui estão algumas estratégias em que você deve se concentrar se construir links for seu objetivo principal:

Críticas de produto ou site

Existem muitos blogueiros que estão dispostos a revisar seu produto e criar um link para seu site.

Ao procurar influenciadores para avaliar seu produto, certifique-se de verificar a autoridade de domínio deles. Os blogueiros que oferecem oportunidades de avaliação tendem a vincular de volta a vários sites diferentes. Isso pode impactar negativamente sua autoridade de domínio se eles estiverem vinculando a muitos sites de baixa qualidade. Você não quer esse tipo de link para o seu site.

Quanto mais autoridade de domínio um site tiver, mais valiosos seus links serão para o seu SEO. Você pode usar várias ferramentas para comparar a autoridade de domínio deles com a sua. O Link Explorer da Moz,  por exemplo, oferece uma pontuação de autoridade de domínio gratuita com base no potencial de um domínio para classificar nos resultados de pesquisa:

Moz link explorer

Postagem de Convidado (Guest Post)

A postagem de visitantes é uma ótima maneira de aumentar os links enquanto colabora com outro site, gratuitamente. Como acontece com os sites de revisão, você deve segmentar domínios que tenham autoridade de domínio comparável ou superior.

É fácil encontrar oportunidades de postagem de convidados em sites que publicaram diretrizes de envio. Basta usar consultas de pesquisa como estas para começar:

  • [Palavra-chave do nicho] “escreva para nós”
  • [Palavra-chave de nicho] “diretrizes do contribuidor”
  • [Palavra-chave de nicho] “enviar uma postagem de convidado”
  • [Palavra-chave do nicho] “guest post”
  • [Palavra-chave do nicho] “torne-se um contribuidor”

Leia as letras miúdas de suas diretrizes e tente segmentar blogs que permitem um link dofollow de volta ao seu site.

Concurso ou Giveaway

Brindes são uma ótima maneira de gerar buzz nas redes sociais, atrair pessoas de volta ao seu site e obter links. Mas você pode ampliar ainda mais a estratégia trabalhando com influenciadores.

 

Código de desconto para seus leitores

Se você não está preparado para distribuir produtos grátis para trabalhar com influenciadores, um código de desconto deve ser suficiente para começar a trabalhar com eles e atingir um novo público.

 

Mencione o influenciador

As pessoas adoram criar links de volta e compartilhar o conteúdo que as apresenta. Você pode se beneficiar com isso criando regularmente conteúdo de blog que menciona ou apresenta outros influenciadores.

As postagens resumidas são uma ótima maneira de fazer isso:

 

Você também pode citar um influenciador ou destacar o negócio / produto dele em seu conteúdo.

Depois que seu conteúdo for publicado, entre em contato com eles por e-mail (você pode encontrar seus endereços de e-mail com Hunter ) para que saibam que foram mencionados. Forneça um link para o conteúdo para que eles possam compartilhá-lo facilmente.

 

 

Contribua com sua experiência

Se você der uma olhada mais de perto em alguns dos melhores conteúdos da web, quase sempre verá que foi o resultado da colaboração entre figuras do setor.

 

Se você tiver alguns dados do setor que outro player do setor poderia analisar e usar, ou apenas conhecimento útil sobre um tópico para melhorar seu conteúdo, proponha uma colaboração.

Otimização de Conteúdo

O conteúdo que foi cuidadosamente otimizado tem melhor desempenho nas SERPs: classifica-se melhor e para uma maior difusão de termos de pesquisa. Isso significa mais atenção ao seu conteúdo e uma chance maior de que outros acessem a partir de seu próprio conteúdo. Não apenas isso, mas o trabalho envolvido de sua parte para conseguir links extras que possam surgir em seu caminho é mínimo.

Se você chegou até aqui nesta postagem (viva!), agora você entende completamente o poder do marketing de influenciador. Mas de que adianta esse poder se você não o está rastreando?

Rastrear suas campanhas de marketing de influenciador é uma estratégia importante para ajudá-lo a fazer escolhas de marketing informadas para gerar um melhor ROI . Quanto mais métricas detalhadas você tiver acesso, mais precisos serão seus esforços.

 

Caso você esteja interessado, aqui estão mais algumas estatísticas sobre o marketing de influenciadores :

  • 65% dos orçamentos de marketing de influenciador aumentarão em 2021.
  • O orçamento de influenciador mais comum é de $ 1.000 – $ 10.000 / ano, seguido por $ 100.000 – $ 500.000 / ano.
  • 89% dizem que o ROI do marketing influenciador é comparável ou melhor do que outros canais de marketing.
  • 69% dos profissionais de marketing planejam gastar mais dinheiro no Instagram para o marketing de influenciadores este ano.
  • Postagens do Instagram, histórias do Instagram, vídeos do YouTube e vídeos do Instagram são os formatos mais usados, nesta ordem.
  • O setor de marketing de influenciador deve crescer para aproximadamente US $ 9,7 bilhões em 2021 .
  • O valor médio de mídia ganho por $ 1 gasto aumentou para $ 5,78 .

 

 

3) Marketing de influenciador B2B = campanha boca a boca

Se B2B e B2C forem comparados, o primeiro é fortemente influenciado pelo marketing boca a boca.

Muitos fatores diferentes influenciam como um consumidor compra e de quais marcas ele decide comprar, mas para empresas que precisam colaborar com outras empresas, isso tem muito a ver com a credibilidade de uma marca nesse setor e com quantas outras empresas estão optando por trabalhar com eles.

O marketing de influenciador é tecnicamente uma das melhores abordagens de marketing para B2B porque é basicamente uma versão ampliada da campanha de propaganda boca a boca.

Quando um influenciador promove uma marca, a palavra se espalha dentro da indústria e outras marcas se tornam mais conscientes. Afinal, para outras empresas, não se trata apenas de comprar e consumir, mas sim de buscar ganhos e benefícios mútuos. O boca a boca é e provavelmente sempre será a única forma de marketing que nunca perderá seu charme.

4) O B2C precisa de novos rostos, mas o B2B precisa de rostos respeitáveis

Para o marketing de influenciador dirigido ao consumidor, encontrar novos rostos e nomes para promover sua marca é a chave. Rostos populares e novos sempre costumam dar certo, pois geram curiosidade e engajam o público na campanha. Quanto maior o número de pessoas que falam sobre sua marca, mais credibilidade seus consumidores agregam a ela.

Isso funciona inversamente quando se trata de marketing de influenciador B2B. Novos rostos e nomes não geram curiosidade, mas carecem do tipo de confiabilidade e reputação que você está tentando estabelecer. Agora, se um influenciador conhecido em seu setor começar a advogar em favor de sua marca, isso terá muito mais valor.

Por exemplo, alguém que foi proclamado um especialista do setor por anos é uma ótima escolha para ser um influenciador para sua marca ou mesmo alguém que tem revisado ou falado sobre sua linha de trabalho por um período significativo para que sua palavra seja confiável.

Como mencionamos no capítulo 3 acima, ao compilar seu próprio banco de dados de influenciadores em potencial, aqui estão algumas coisas que você deve observar:

  • Nome
  • Nicho
  • Tamanho da base do ventilador
  • Canais de mídia social (e links para eles)
  • Pontos fortes
  • Pontos fracos
  • Informação de contato
  • Observações: anote suas peculiaridades (tende a usar muito o vídeo, tem um ótimo senso de humor, tem muitos anúncios, nosso concorrente o tem / ela sob contrato etc.)

5) Seu influenciador DEVE ter conhecimento aprofundado de sua marca

O brilho e o glamour do marketing de influenciador têm seu apelo único, sem dúvida, mas para transações B2B simplesmente não é o suficiente. Uma mensagem errada comunicada pode anular completamente todo o objetivo de sua campanha de marketing, e isso tende a acontecer quando o (s) influenciador (es) com quem você decide colaborar carecem de conhecimento crítico sobre sua marca e produto.

Portanto, você tem duas opções: escolher alguém que já tenha conhecimento detalhado que pode ajudar sua campanha a se tornar bem-sucedida ou tomar a iniciativa extra de educá-los e informá-los detalhadamente sobre seus produtos antes de dar o pontapé inicial na campanha.

De qualquer forma, seu briefing visa garantir que seu influenciador esteja totalmente em sincronia com os ideais de sua marca e tenha conhecimento técnico quando necessário. Lembre-se de que o público-alvo da sua empresa já conhece bem as nuances do seu setor e é por isso que você não pode cometer erros.

6) Os números das mídias sociais não contam para o B2B

O marketing de influência é uma forma massivamente digital de promoção e isso não pode ser negado. No entanto, estatísticas de mídia social como número de seguidores ou curtidas e comentários em postagens não ditam a extensão da influência de uma pessoa, pelo menos para o marketing B2B.

É verdade que o alcance de um influenciador que está promovendo diretamente para os consumidores depende muito de quantos seguidores ele tem, mas isso não é verdade quando outras empresas e marcas são seu público-alvo.

Então, sim, o marketing de influenciador B2B funciona em várias plataformas sociais, mas os números sociais não indicam quão confiável ou não um influenciador é. É aqui que o conhecimento interno da indústria e os círculos entram em jogo, e porque escolher um influenciador com muito cuidado é uma etapa crucial.

7) Tenha cuidado com os conflitos de influenciadores de B2B

O segmento de marketing influenciador B2B é muito mais sensível aos conflitos de lealdade corporativa e de marca, por isso você precisa ter muito cuidado com quem vai contratar.

Os influenciadores que trabalham em projetos de curto prazo não têm essas restrições ou diretrizes sobre com quem podem trabalhar, mas existem aqueles influenciadores que têm contratos de longa data com outras marcas. Esses contratos os restringem de uma série de coisas, mesmo que não os proíbam de trabalhar com sua marca.

Portanto, certifique-se de ter todos os fatos corretos antes de decidir divulgar qualquer informação importante sobre sua campanha de marketing com eles. Você deve ter um acordo hermético sobre o que eles vão entregar e o que você vai dar a eles em troca, sem que ocorram conflitos em relação ao seu escopo de envolvimento.

8) Tendências são importantes no marketing B2B

O mercado consumidor é extremamente volátil, com tendências indo e vindo mais rápido do que temporadas de chuva em Seattle. O que está em voga hoje pode cair nas avaliações durante a noite.

E embora você não possa controlar exatamente como essas tendências funcionam, você pode ser inteligente e se manter atualizado sobre elas. É aqui que a análise de tendências e as previsões entram em jogo e, sim, tem uma correlação direta com o marketing de influenciadores.

A ideia de optar pelo marketing de influenciador é escolher um defensor da marca que se alinhe aos ideais da sua marca e apresente-a da maneira mais vantajosa possível. Se as tendências atuais não combinam com sua campanha de marketing de influenciador, então não importa o quão boa ela seja ou quão eficaz seja a comunicação de seu influenciador, a campanha tem maior probabilidade de falhar.

Então, todos aqueles artigos e notícias sobre tendências que você encontra? Preste atenção a eles! Use listas do Twitter, inscreva-se em boletins informativos sobre marketing de influenciadores, configure Alertas do Google, etc .:

9) O marketing influenciador de B2B ainda precisa ser criativo

Há um equívoco de que o marketing de influenciador B2B tende a ser mais tecnicamente orientado e menos inclinado à criatividade, e é aí que a mentalidade precisa mudar. O marketing de influência nesse nicho tem espaço mais do que suficiente para criatividade e apelo de massa – são apenas os pequenos detalhes que precisam ser mais ajustados e específicos.

Mesmo para um projeto que envolve a revisão de sites ou a criação de guest posts para outros sites, há uma série de aspectos criativos que você pode adicionar à campanha.

A questão é que o marketing de influência entre empresas e marcas não é menos competitivo do que o lançamento de um novo produto / serviço no mercado de varejo. Embora seu público-alvo seja composto de especialistas do setor que procuram uma oportunidade de negócio, eles ainda querem se impressionar com um conceito e se envolver com o processo de pensamento que o envolve.

Outro bônus é que até mesmo seus influenciadores estarão mais inclinados a pensar fora da caixa e colocar suas proezas criativas para funcionar!

10) Um sistema é essencial para escolher o influenciador certo

Voltar à prancheta para reavaliar sua estratégia de marketing de influenciador é essencial, e isso também significa verificar se você escolheu os influenciadores certos para se associar

Para ajudá-lo a analisar melhor essa estratégia, você pode fazer uma lista de estatísticas e números que precisa examinar. Se os números e as métricas corresponderem aos objetivos que você está tentando alcançar, você sabe que está no caminho certo. Esta lista pode consistir no seguinte:

  • Alcance potencial e classificação
  • Estatísticas de engajamento
  • Pior e melhor desempenho de campanha
  • Gráfico de crescimento
  • Presença e reputação na mídia
  • Relevância do conteúdo e hashtags
  • Alcance com base na localização
  • Melhores resultados em termos de nicho e indústria
  • Cobertura e tópicos

E com essa lista em vigor, você pode tomar uma decisão mais abrangente sobre quem e quantos influenciadores embarcarão em suas campanhas!

11) Co-criar com o seu influenciador é a chave

Os influenciadores que você contrata podem ser simplesmente defensores que recitam palavra por palavra tudo o que você lhes diz sobre sua campanha, ou podem escolher fazer parte da própria concepção.

Muitas marcas deixam de ver a importância de envolver influenciadores em todo o processo de criação de uma campanha de marketing eficaz. Esse envolvimento do início ao fim não só faz maravilhas para a execução final da campanha, mas também emprega o envolvimento muito necessário de toda a equipe.

E, é claro, com seus influenciadores trabalhando em conjunto com você, o influxo de ideias e estratégias será muito mais lucrativo!

12) Crie uma estratégia para influenciadores

Se as vantagens e a associação parecem uma situação em que todos ganham, você terá influenciadores mais interessados em fazer parcerias com você para várias campanhas.

É sobre como você embala e apresenta sua marca ao seu mercado potencial:

  • Qual é o tom de comunicação que você emprega?
  • Qual é a mensagem geral que ele transmite?
  • Quando alguém pensa ou fala em sua marca, quais são os adjetivos que está usando?

Tudo isso e muito mais adiciona ao perfil da sua marca, e quando a imagem maior entrar em jogo, você estará recuperando os criadores de conteúdo e influenciadores sem muito esforço.

Capítulo 6: Tudo o que você precisa saber sobre o ROI do marketing de influência

O marketing de influência está ajudando grandes marcas a alcançar mais pessoas e ajudando as pequenas empresas a crescerem melhor, dando-lhes mais publicidade. E a melhor parte é que ele fornece um melhor ROI do que outros métodos de marketing.

89% de todos os profissionais de marketing consideram o ROI do marketing influenciador comparável ou melhor do que outros canais de marketing:

 

Mas como calculamos o ROI do marketing de influenciador? Vejamos alguns fatores que precisamos considerar ao calcular o ROI de marketing do influenciador – e confira o infográfico no final deste capítulo!

1) Conhecimento da marca

Quando você deseja expandir seus negócios, precisa ter certeza de criar buzz em torno de sua marca – e os influenciadores podem ajudá-lo a fazer isso rapidamente. Uma postagem nas redes sociais ou um vídeo de um influenciador pode ajudar a colocar sua marca no centro das atenções. Os influenciadores, que têm um público grande e fiel, podem tornar sua marca mais reconhecível e identificável.

2) Melhor percepção da marca

Os influenciadores são conhecidos por se envolverem com seus seguidores e formarem relacionamentos genuínos com eles, e sua palavra sobre um produto ou serviço é considerada confiável. Portanto, conseguir um influenciador a bordo pode realmente afetar a maneira como os consumidores percebem sua marca.

A melhor coisa é que, quando os influenciadores promovem o seu produto ou serviço, ele não aparece como publicitário. Para o varejista de alimentos congelados, Iceland Foods, a colaboração com influenciadores fez uma grande diferença em seus índices de aprovação. Depois de lançar vídeos apoiados por influenciadores, seus índices de aprovação saltaram de 10% para 80%.

3) Aumento do tráfego e envolvimento

Links de afiliados e tags de mídia social ajudam os seguidores de influenciadores a chegarem diretamente a uma marca. Isso significa que eles podem ser redirecionados para o site da sua marca ou páginas de mídia social.

Por causa disso, os influenciadores costumam usar links de afiliados e tags de mídia social junto com suas postagens. Eles podem fornecer uma maneira de redirecionar os seguidores para o site da sua marca. Portanto, os profissionais de marketing podem esperar um aumento no tráfego e no engajamento do site.

Fique de olho no número de visualizações de página, visitantes diários, curtidas, compartilhamentos e comentários para acompanhar esse ROI.

 

4) Feed de conteúdo diversificado

Os influenciadores sabem que tipo de conteúdo repercute em seu público, portanto, trabalhar com influenciadores o ajudará a diversificar seu feed de conteúdo. De análises a aquisições de mídias sociais e tutoriais, você pode experimentar muito. Os depoimentos de influenciadores também podem ajudá-lo a ganhar mais credibilidade.

Para entender melhor o ROI do marketing influenciador, confira este infográfico:

Resumidamente? O marketing pode se beneficiar muito com influenciadores.

Esperamos que esse guia possa ter te dado boas ideias. Caso queira, ENTRE EM CONTATO para que nossa equipe possa cuidar de sua campanha.

Como fazer dinheiro no YouTube mesmo sem ter milhões de inscritos

As estrelas do YouTube são as próprias celebridades de hoje – pessoas que conquistaram público ao criar conteúdo voltado para o ensino, entretenimento, avaliação e serem incríveis na Internet.

A maioria dessas celebridades da tela pequena faz o que faz só para fazer, para satisfazer a vontade de criar coisas e estar na frente de um público.

Ganhar dinheiro pode não ser o motivo para começar um canal no YouTube , mas as oportunidades de ganhar são uma surpresa agradável quando você percebe quantas delas existem.

Segundo a Forbes, em 2020 esses foram os YouTubers que mais ganharam dinheiro com o Youtube:

10ª. Jeffree Star

Ganhos: US$ 15 milhões
Visualizações (junho de 2019 a junho de 2020): 600 milhões
Inscritos: 16,9 milhões

9ª. David Dobrik

Ganhos: US$ 15,5 milhões
Visualizações: 2,7 bilhões
Inscritos: 18 milhões

8ª. Blippi (Stevin John)

Ganhos: US$ 17 milhões
Visualizações: 8,2 bilhões
Inscritos: 27,4 milhões

7ª. Nastya (Anastasia Radzinskaya)

Ganhos: US$ 18,5 milhões
Visualizações: 39 bilhões
Inscritos: 190,6 milhões

6ª. Preston Arsement

Ganhos: US$ 19 milhões
Visualizações: 3,3 bilhões
Inscritos: 33,4 milhões

5ª. Markiplier (Mark Fischbach)

Ganhos: US$ 19,5 milhões
Visualizações: 3,1 bilhões
Inscritos: 27,8 milhões

4ª. Rhett e Link

Ganhos: US$ 20 milhões
Visualizações: 1,9 bilhão
Inscritos: 41,8 milhões

3ª. Dude Perfect

Ganhos: US$ 23 milhões
Visualizações: 2,77 bilhões
Inscritos: 57,5 milhões

2ª. Mr. Beast (Jimmy Donaldson)

Ganhos: US$ 24 milhões
Visualizações: 3 bilhões
Inscritos: 47,8 milhões

1ª. Ryan Kaji

Ganhos: US$ 29,5 milhões
Visualizações: 12,2 bilhões
Inscritos: 41,7 milhões

Esta lista pode deixar você com muitas perguntas sobre como essas estrelas do YouTube ganharam sua fortuna. Vamos explorar algumas dessas questões.

Você é pago para enviar vídeos no YouTube?

Os criadores de conteúdo não são pagos pelo YouTube pelos vídeos que enviam. Os vídeos também não geram receita por padrão. Para começar a ganhar dinheiro no YouTube, você deve habilitar a monetização nas configurações de sua conta do YouTube. A partir daí, você tem as opções de participar do Programa de parceiros do YouTube ou ter seus vídeos listados no YouTube Premium.

Como você ganha dinheiro com o YouTube?

Existem algumas conclusões da lista da Forbes, deixando de lado os milhões de dólares feitos e assinantes ganhos. 

Primeiro, os canais do YouTube podem ser monetizados mesmo que não tenham milhões de assinantes. Seu potencial de ganhos não é determinado apenas pelo número de assinantes e visualizações que você tem, mas também pelo nível de engajamento que você gera, o nicho que você atende e os canais de receita que você explora. Isso não quer dizer que a contagem de inscritos não importa – confira nossas dicas para conseguir mais inscritos no YouTube .

Em segundo lugar, esta lista dos 10 maiores ganhadores pode dar a impressão de que os milhões de dólares ganhos vêm diretamente do YouTube. Na verdade, cada um desses canais possui sua própria linha de mercadorias. Esses canais encontraram e construíram seu público primeiro, antes de lançar seus próprios produtos. Se ganhar dinheiro no YouTube está em seu plano de marketing, o primeiro passo é o mesmo para todos: tenha uma compreensão clara de seu público-alvo.

Quem vai assistir ao seu canal no YouTube?

Construir seu próprio público coloca você em uma ótima posição para monetizar conteúdo de várias maneiras. Mas você só conseguirá aproveitar ao máximo as oportunidades que tem se entender a composição de seu público.

Para muitos YouTubers que procuram monetizar, quanto mais nicho for seu canal, melhor posição você estará para trabalhar com marcas que buscam públicos específicos (mais sobre isso mais tarde).

Quem vai assistir ao seu canal no YouTube?

Você vai querer prestar atenção a:

  • O gênero do seu público, para ver se ele se inclina para um grupo específico.
  • A faixa etária em que a maioria do seu público se enquadra.
  • A localização geográfica – países ou cidades – onde seus vídeos estão sendo assistidos.
  • O envolvimento geral do seu público ou “tempo de exibição”.

Com essas informações demográficas em mãos, você terá um melhor entendimento de seu próprio público e poderá trabalhar melhor com as marcas. Todos os insights demográficos podem ser obtidos de suas análises do YouTube , mas para comparar seu próprio canal com outros, experimente uma ferramenta como o Social Blade .

Com isso esclarecido, podemos começar a falar sobre as diferentes maneiras como seu canal do YouTube pode ganhar dinheiro.

Como ganhar dinheiro no YouTube

Assim como aprender a ganhar dinheiro no Instagram ou por meio de blogs, seu público pode desbloquear o potencial de ganhos de seu canal no YouTube. Mas quando você criar vários fluxos de receita, é mais fácil para rentabilizar.

Felizmente, existem várias maneiras de fazer isso – vamos dar uma olhada mais profunda em cada um desses fluxos.

1. Participe do Programa de Parcerias do YouTube e ganhe dinheiro com anúncios

A primeira fonte de receita que você provavelmente irá explorar são os anúncios. Quer queira ganhar dinheiro no YouTube sem criar vídeos ou como criador de conteúdo, aderir ao Programa de Parceiros do YouTube e configurar a rentabilização é um passo vital. Você pode se inscrever para monetização assim que atingir 1.000 assinantes e 4.000 horas de exibição no ano passado.

Como ativar a monetização no YouTube

  1. Faça login na conta do YouTube que deseja monetizar.
  2. Clique no ícone da sua conta no canto superior direito.
  3. Clique em YouTube Studio.
  4. No menu esquerdo, selecione Outros recursos> Monetização.
  5. Leia e concorde com os termos do Programa de Parceiros YouTuber.
  6. Crie uma nova conta do AdSense ou conecte uma existente ao seu canal. (Você precisa de uma conta do AdSense para receber o pagamento.)
  7. Defina suas preferências de monetização.

Depois de fazer isso, volte ao painel e clique na guia Analytics no lado esquerdo. A partir daí, você precisará escolher Receita nas guias na parte superior e, em seguida, role para baixo até o gráfico Receita estimada mensal para ter uma ideia de sua receita prevista.

Quantas visualizações você precisa para ganhar dinheiro?

O número de visualizações que você obtém não se correlaciona com a receita obtida. Se o seu vídeo obtiver milhares de visualizações, mas ninguém assistir ou clicar no anúncio, você não ganhará dinheiro. Isso ocorre por causa dos critérios do YouTube para cobrança de anunciantes: um visualizador deve clicar em um anúncio ou assisti-lo por completo (10, 15 ou 30 segundos) para que você seja pago. 

No entanto, com o lançamento do YouTube Premium, você não precisa mais depender dos anunciantes para criar anúncios envolventes ou atraentes para gerar receita.

Confira o YouTube Premium

O YouTube Premium é um programa de assinatura paga que permite aos fãs assistir e apoiar seus criadores de conteúdo favorito sem anúncios. Para os criadores, não muda muita coisa, já que eles serão pagos pelo conteúdo consumido por não membros no YouTube junto com o conteúdo do YouTube Premium. 

Os criadores são pagos pelo YouTube Premium com base na quantidade de membros que assistem ao conteúdo. Considere a receita obtida com o YouTube Premium como uma fonte de receita secundária, além do que você já ganha com os anúncios.

Embora seja fácil de configurar, ganhar dinheiro por meio de publicidade como parceiro do YouTube está longe de ser o fluxo de receita mais lucrativo que você pode criar para si mesmo.

Por que você deve olhar além dos anúncios para obter receita

O YouTube recentemente recebeu muitas reações devido à sua decisão de ser mais transparente sobre a publicidade na plataforma e o que se qualifica como conteúdo “adequado para anunciantes”. Basicamente, muitos criadores temiam que, devido à natureza de seu conteúdo, eles perderiam a receita de anúncios que ajuda a manter seu canal.

De acordo com o YouTube, seu conteúdo pode ser excluído da receita de anúncios se incluir:

  • Conteúdo sexualmente sugestivo, incluindo nudez parcial e humor sexual
  • Violência, incluindo demonstrações de lesões graves e eventos relacionados ao extremismo violento
  • Linguagem imprópria, incluindo assédio, palavrões e linguagem vulgar
  • Promoção de drogas e substâncias regulamentadas, incluindo venda, uso e abuso de tais itens
  • Assuntos e eventos polêmicos ou delicados, incluindo assuntos relacionados a guerra, conflitos políticos, desastres naturais e tragédias, mesmo se imagens gráficas não forem mostradas

Mas a realidade é que o YouTube vem desmonetizando conteúdo que não considera favorável para anunciantes desde 2012 por meio de um processo automatizado, sem aviso e sem o conhecimento do criador do conteúdo.

Agora, a situação é realmente melhor, pois os criadores são notificados quando seu conteúdo é sinalizado e podem contestar a qualquer momento que acharem que um vídeo foi excluído por engano da rede de publicidade do YouTube.

A publicidade pode ser um meio comum de gerar receita passiva para os criadores, mas a compensação é que o YouTube fica com cerca de 45% da receita de publicidade .

Resumindo, os YouTubers devem explorar outras fontes de receita para sustentar seu hobby criativo.

A seguir, compartilharemos como ganhar dinheiro com o YouTube sem o AdSense.

2. Vender produtos ou mercadorias

Existem muitos produtos para vender que podem ajudar você a ganhar dinheiro com seu canal no YouTube. Fazer e vender mercadorias – camisetas, canecas de café, sacolas, snapbacks, você escolhe – tem um benefício além da receita.

A mercadoria aumenta sua exposição ao colocar sua marca e personalidade online no mundo offline e aprofunda o relacionamento entre você e seus fãs, pois eles literalmente “compram” o que você está fazendo.

Ganhe dinheiro no Youtube com a venda de produtos ou mercadorias como Roman Atwood

Vender brindes de marca é mais fácil do que pode parecer à primeira vista.

Você pode solicitar designs acessíveis personalizados para produtos específicos, como camisetas , usando sites freelance como o Fiverr .

E quando se trata de lidar com pedidos, você pode integrar sua loja com serviços como Oberlo ou um dos muitos fornecedores de impressão sob demanda que cuidam do envio, atendimento e suporte ao cliente, permitindo que você obtenha todos os benefícios de um negócio de dropshipping que exige menos esforço de sua parte.

Como alternativa, você pode fazer parceria com uma rede de merchandising existente para criadores, como DFTBA (Don’t Forget to Be Awesome). No entanto, você estará competindo com outros YouTubers e terá menos controle sobre como adicionar produtos, oferecer descontos, integrar seu conteúdo e todas as vantagens de possuir seu próprio site de comércio eletrônico.

Você pode até dar um passo adiante fabricando e vendendo seus próprios produtos exclusivos e impulsionando sua empresa por meio de seu canal no YouTube, como a Luxy Hair fez para vender suas extensões de cabelo com tutoriais em vídeo sobre como fazer.

Como um YouTuber que já conquistou um público, você terá duas vantagens desde o início que os outros donos de loja ficariam com inveja:

  1. Um mecanismo de conteúdo que direciona consistentemente o tráfego para sua loja.
  2. A confiança do seu público, que você conquistou servindo regularmente com sua própria marca de conteúdo gratuitamente.

3. Financie seu próximo projeto criativo com crowdfunding

Quando dinheiro é tudo o que resta entre uma ideia e sua execução, o financiamento coletivo é uma boa maneira de fazê-la acontecer.

Quer você precise de ajuda para comprar equipamentos melhores, contratar atores ou cobrir outros custos de produção, pode convocar seu próprio público e a comunidade de crowdfunding para ajudar se sua ideia for atraente o suficiente.

Sites populares de financiamento coletivo com histórico comprovado de campanhas de YouTubers incluem:

  • Kickstarter : um dos sites de crowdfunding mais conhecidos, ótimo para financiar produtos interessantes e projetos criativos. Certifique-se de definir uma meta de financiamento alcançável, porque você só a garantirá se realmente cumprir a meta definida.
  • Indiegogo : Uma alternativa Kickstarter que oferece opções de financiamento mais flexíveis.
  • Vakinha: site brasileiro, fácil de usar

4. Deixe seu público apoiar seu trabalho por meio de “financiamento por fãs”

Semelhante ao financiamento coletivo de um projeto, você também pode configurar fluxos de “financiamento por fãs” para obter doações de seu público.

Como criador, você está contribuindo com sua voz para a internet sem forçar seu público a pagar pela admissão. Portanto, se você está oferecendo um bom conteúdo, seu público pode estar inclinado a apoiá-lo continuamente.

Muitas plataformas de financiamento por fãs oferecem aos criadores outro lugar para as pessoas descobrirem seu conteúdo e uma maneira de envolver seu público mais fiel e recompensá-los por seu apoio.

Se você escolher a rota de financiamento coletivo, certifique-se de seguir algumas das práticas recomendadas. Primeiro, crie transparência em torno de como o dinheiro será gasto. Isso fará com que sua base de fãs seja investida em sua história ou missão, e eles literalmente comprarão o valor de seu conteúdo. Em segundo lugar, ofereça recompensas atraentes por melhores promessas. Quanto mais você fizer com que os doadores sintam que estão recebendo algo exclusivo por serem um fã leal, mais chances você tem de receber doações e promessas maiores.

Algumas opções populares de financiamento por fãs incluem:

  • Super Chat do YouTube : o Super Chat é um recurso usado durante a transmissão ao vivo no YouTube. Ele permite que você crie um jarro de gorjetas para seus espectadores doarem quando e quanto quiserem. Você precisará configurar sua conta do YouTube para publicidade conforme descrito acima .
  • Patreon : a plataforma de adesão que torna mais fácil para os criadores serem pagos. Os fãs podem se inscrever em seus criadores favoritos por apenas um dólar por mês e receber recompensas exclusivas.
  • Tipeee : permite que você obtenha uma combinação de doações pontuais e recorrentes

5. Licencie seu conteúdo para a mídia

Se acontecer de você criar um vídeo viral com apelo de massa – digamos, um clipe engraçado com seu cachorro – você pode licenciar seu conteúdo em troca de dinheiro.

Os canais de notícias da TV, programas matinais, sites de notícias online e outros criadores podem entrar em contato sobre os direitos de uso dos seus vídeos se eles virarem.

Você também pode listar seus vídeos em um mercado, como Juken Media , onde seu conteúdo será mais fácil para as pessoas certas encontrarem e comprarem. 

Ganhe dinheiro no YouTube licenciando seu conteúdo para a mídia

Quando este vídeo de uma mulher usando uma máscara Chewbacca se tornou viral, muitos veículos de comunicação queriam entrar 

6. Trabalhe com marcas como um influenciador ou afiliado

O marketing de influência será um dos alicerces da publicidade na próxima década.Gary Vaynerchuk

As marcas estão investindo cada vez mais em marketing de influenciadores, gastando seus orçamentos de publicidade geralmente grandes em influenciadores que já conquistaram a lealdade de seu público.

Isso cria uma grande oportunidade para você como criador, se puder negociar os negócios certos.

Brendan Gahan , um especialista em marketing e influenciador do YouTube, recomenda estabelecer sua taxa fixa de base observando o número de visualizações que seus vídeos normalmente obtêm e multiplicando-o por 5 a quinze centavos por visualização (que é em torno do que muitas marcas estão dispostas a pagar por visualizações por meio de anúncios do YouTube).

Dependendo de sua influência – dados demográficos de seu público, qualidade de conteúdo e quão único e lucrativo seu nicho é – você poderá negociar um acordo melhor se a marca for adequada.

Tornar-se um influenciador no YouTube é relatado como a plataforma mais bem paga para parcerias de marca, de acordo com Aqer . Mas, para se ter uma ideia do que você pode cobrar potencialmente, um influenciador de nível médio cobra de uma marca cerca de US $ 20 por 1.000 assinantes, ou US $ 2.000 por US $ 100.000 seguidores, de acordo com um estudo. 

A chave ao fazer parceria em conteúdo patrocinado por marca é ser transparente sobre isso, não endossar nada de que você realmente não goste ou em que não acredite, e ser franco com seu público sobre por que está fazendo isso.

Aqui estão apenas alguns dos muitos mercados influenciadores aos quais você pode adicionar seu canal e ser descoberto por marcas grandes e pequenas:

  • Grapevine Logic : Um dos mercados de influência mais populares, você só precisa de 1.000 seguidores para entrar.
  • Famebit : Com uma ampla gama de marcas para trabalhar, você pode encontrar uma oportunidade de patrocínio da qual terá orgulho de fazer parte. Você precisa de 5.000 seguidores para entrar.
  • Channel Pages : estabeleça parceria com outros YouTubers e também com marcas.
  • Crowdtap : Complete pequenas “tarefas” de criação de conteúdo em troca de dinheiro e outras recompensas. Não há restrição de quantos seguidores você precisa aderir.

Alguns mercados de influência oferecem produtos grátis, enquanto outros são conhecidos por terem grandes marcas dispostas a pagar mais. Aproveite as oportunidades que melhor atendam às suas necessidades, mas liste-se em tantos lugares quanto possível para garantir a máxima visibilidade para seu canal.

Como alternativa, você também pode se tornar um afiliado de marketing de marcas e obter uma renda residual passiva por meio das comissões de cada venda gerada por meio de seu canal. Isso funciona especialmente bem se você analisa produtos como parte de seu canal no YouTube. Uma vez que não há risco envolvido no final da marca (eles só pagam quando fazem vendas), geralmente há um baixo padrão para começar.

Programas afiliados populares incluem Click Bank (comissão de 1% a 75%, dependendo do que o fornecedor definir) e rede de afiliados da Amazon (ganhe até 10% por venda). Você também pode alcançar marcas em seu nicho que estão executando seus próprios programas de afiliados, o que não é incomum no espaço de comércio eletrônico.

Como “vender” sem incomodar seu público

Muitas das estratégias de monetização acima envolvem a promoção de produtos ou campanhas (por exemplo, financiamento coletivo de uma série de vídeos). Mas você vai querer ter certeza de que suas promoções não sabotam a integridade de seu conteúdo.

“Encher o saco dos inscritos” é uma preocupação real para muitos criadores. Mas se você nunca pedir, você nunca vai conseguir.

Existem vários “canais” que você pode escolher para promover produtos ou campanhas.

Grave uma frase de chamariz em seus vídeos

“Se você gostou deste vídeo, clique no botão Curtir e inscreva-se.”

Muitos YouTubers incluem um apelo à ação nesse sentido no final dos seus vídeos para aumentar a audiência. Ao sugerir a ação pretendida que você deseja que eles realizem, é mais provável que o seu público a realize.

Você pode adaptar essa abordagem para direcionar a atenção do seu público para uma oportunidade de geração de receita.

Adicione cartões do YouTube oportunos a seus vídeos

Quer seja parte do seu negócio com uma marca ou você está promovendo seus próprios produtos, os cartões do YouTube oferecem uma maneira atraente de chamar a atenção de espectadores engajados.

Você pode configurá-los para aparecer no momento certo, quando forem mais relevantes e menos perturbadores, para aumentar seu impacto. 

Adicione links nas descrições de seus vídeos

Você pode direcionar os espectadores para sua loja, página do Patreon, campanha do Kickstarter ou outra parte da sua presença online com foco na receita, adicionando links às descrições de seus vídeos.

Promova sua oferta em outras plataformas

Só porque seu conteúdo está hospedado no YouTube, não significa que você não deva aproveitar todas as vantagens de todos os outros canais de distribuição por aí.

Espalhe a palavra sobre novas campanhas ou descontos no Twitter, Facebook e quaisquer outros perfis que você possui.

Quanto mais lugares sua mensagem viver, maior será a chance de ela ser vista. Portanto, é sempre uma boa ideia aumentar o número de seguidores além do YouTube com marketing de mídia social .

Você está pronto para monetizar seu canal do YouTube?

O que obriga a maioria dos criadores a criar raramente é dinheiro. É a ideia de fazer algo para o mundo desfrutar.

Mas, ironicamente, isso os coloca em uma ótima posição para realmente ganhar dinheiro em um mundo obcecado por conteúdo.

Embora a parte mais difícil para muitas empresas seja obter e manter a atenção do público, os YouTubers já descobriram isso.

Tudo o que resta é ser criativo – canalizar o impulso empreendedor para explorar ideias – com a forma como você escolhe monetizar sua paixão.
Se você precisa de ajuda para sua carreira de influenciador digital, CLIQUE AQUI para conhecer nossos serviços.

Vai desistir de ser YouTuber? Então tenta fazer isso primeiro…

Parece pra você que seu sonho de ser um grande influenciador digital está acabado? Você criou um canal no YouTube “faz muito tempo” e até hoje não conseguiu o sucesso que você sonha tanto? Então, espere um pouco aí, tire essa corda do seu pescoço, vem aqui pro solo firme que temos algumas coisas para te contar.

Nós já falamos inúmeras vezes aqui sobre o que faz com que um YouTuber não tenha sucesso com seu canal. E vamos repetir algumas dessas coisas agora para te relembrar.

Em primeiro lugar, você precisa descobrir se seu conteúdo é interessante e seu canal é uma boa opção para quem o visita pela primeira vez. Pra você descobrir isso, tente ver seu conteúdo como se fosse outra pessoa. Você se inscreveria no seu canal? Além disso peça a opinião sincera de outras pessoas. Lembre-se que muita gente que gosta de você pode a princípio evitar fazer críticas, mas você precisa deixar essas pessoas completamente à vontade para comentar livremente sobre seu conteúdo, principalmente para criticar de maneira construtiva. Deixe eles falarem sobre a edição, os assuntos dos vídeos, a música e o que mais eles quiserem. Isso vai te dar uma noção sobre se seu conteúdo está bom ou precisa melhorar.

Outras coisas que você deve analisar:

  • Se você usa tags em boa quantidade e que estejam relacionadas ao tema do vídeo.
  • Se você usa bem o espaço para descrição dos vídeos, colocando um texto com as palavras das tags nele.
  • Se sua thumbnail (capa de vídeo) é realmente chamativa.
  • Se você grava e posta conteúdo novo todas as semanas, sem falta, nos mesmos dias e horários.
  • Pra ver mais dicas clique aqui e aqui.

Reduza, reuse, reclicle!

Nós estamos observando que o famoso slogan dos ativistas do meio ambiente é bem válido no meio do segmento de influenciadores digitais. Algumas pessoas estão descobrindo que a plataforma social que elas estavam investindo tanto pode não ter “a cara” delas, podem simplesmente não haver uma “química” entre eles. Mesmo seguindo dicas como as que mostramos acima, parece que o canal delas no YouTube não cresce, não se desenvolve.

Mas aí entra a “reciclagem”. Em lugar de desistir de se tornar um influenciador digital de sucesso, essas pessoas decidem investir seu tempo e esforços em outras plataformas sociais.

Atualmente, existem outras plataformas sociais crescendo no mercado, como o TikTok, que atualmente é uma febre mundial e como é uma rede social ainda jovem, o algorítimo não é tão rígido como acontece no Facebook e YouTube por exemplo.

E existem muitas pessoas simplesmente migrando do YouTube por exemplo, para o TikTok. Ainda iremos publicar algo sobre isso com mais detalhes, mas por enquanto queremos comentar com você que isso está acontecendo de maneira massiva. E muita gente está mais feliz com isso.

Não iremos postar imagens com exemplos de pessoas que já fizeram isso, para não expôr essas pessoas de maneira desnecessária. Mas você deve saber que está acontecendo, e muito.

Pessoas que em seus canais no YouTube haviam com muito custo alcançado um pouco mais de 2.000 seguidores, migram para o TikTok e em questão de semanas, chegam a 10.000 seguidores, com crescimento constante. Outros deixaram o YouTube para investir no Instagram, que apesar de não ser tão restrito como o YouTube, ainda é um ponto de encontro de muitas pessoas.

Então o objetivo desse artigo é que, se você REALMENTE já fez de tudo, de tudo da maneira correta, e mesmo assim sente que não foi muito longe, nossa sugestão é tentar novamente, quem sabe em outra plataforma social. Não tenha medo de recomçar, nunca! Você nunca sabe o que te aguarda em outra vizinhança.

Sente que não deu certo no YouTube? Vai pro TikTok! Tenta investir no Instagram! Tem o Reels aí! O Facebook oferece muitas opções também! E ainda existe a possibilidade de você criar um blog, um podcast…As possíbilidades são muitas.

Muito sucesso para você!

Ah, e se você precisa de ajuda profissional para sua carreira de influenciador digital, nós somos uma agência de YouTubers e outros influenciadores digitais, e podemos ajudar. CLIQUE AQUI e veja como.

Vida de Youtuber: você é um inscrito “pidoncho”? Descubra aqui.

Então você está procurando algo legal pra ver no YouTube e de repente se depara com um vídeo super legal, que você assiste do começo ao fim. Em seguida, você vai ver outros vídeos desse canal e gosta de tudo o que vê. Não dá outra, você vai se inscrever no canal e ativar o “sininho” para acompanhar tudo no canal.

Aí você se tornou um fã do YouTuber em questão e do canal. E é aí que pode estar o ponto que queremos comentar nesse artigo. Com o tempo, você pode se transformar num verdadeiro “mala”, sem nem perceber. Olha só algumas atitudes que os YouTubers em geral não gostam.

Você é um “pidoncho”?

Nós já gerenciamos a carreira de vários YouTubers e acredite, a maioria das mensagens de inscritos que eles recebem são de inscritos que pedem, pedem, pedem sem parar.
Mas o que tanto eles pedem? Bem, alguns YouTubers fazem sorteios em seus canais e páginas nas redes sociais. Sorteiam itens de jogos, jogos em si, entradas para eventos entre outras coisas.
E se esses sorteios são muito frequentes, o número de pessoas que querem ganhar parece que aumenta cada vez mais. O ponto é que muitos não querem esperar para ser sorteados, eles simplesmente querer ganhar algo de seu ídolo, seja como for. Então eles começam a mandar mensagens pedindo para ganhar algo.
Mensagens assim para alguns influenciadores digitais são diárias.
Outro tipo de pedido são os de pessoas que mandam mensagens com “histórias tristes” dizendo o quanto eles tem o sonho de (ser YouTuber, ser famoso, ser isso ou aquilo) ser ou conseguir algo, mas suas circunstâncias financeiras não permitem. Dessa forma, alguns pedem computadores, jogos, vaga em equipes de e-sports, vagas em canais de games entre outras coisas.
É verdade que alguns YouTubers realmente fazem doações para pessoas necessitadas, o que é nobre da parte deles. Mas aqui, nos referimos a pessoas que querem se aproveitar da influencia do YouTuber para serem famosos também.

E apesar de que existem pessoas que realmente estão desesperadas e têm problemas sérios, como a necessidade de um veículo adaptado ou outra coisa relacionado à saúde, e apelam para seus “heróis”, a maioria dos pedidos tem outro foco.
Acredite, a maioria dos grandes YouTubers quando identificam mensagens, seja por comentários nas redes sociais ou e-mails com pessoas que vão pedir coisas, ignoram essas mensagens por completo.
Não seja um “chato” pidoncho. Você está perdendo seu tempo.

Agora, se você é ou quer ser um YouTuber de sucesso, nós somos assessoria para YouTubers e outros influenciadores digitais e podemos ajudar.

Para dar um “gás” na sua carreira de influenciador digital, CLIQUE AQUI.

6 erros básicos que Youtubers iniciantes não devem cometer

Youtuber de sucesso em 2020! Essa é sua meta?
Muita gente começa um canal, já pensando que em pouco tempo terá seus milhares de inscritos, milhares de visualizações por vídeo e já se vê em um curto espaço de tempo com mais de 1 milhão de inscritos. Isso acontece com você também? Se sim, não se preocupe, todo mundo tem o direito de sonhar e querer ter sucesso no que gosta de fazer.

Mas às vezes, o desejo de ter sucesso leva a pessoa a cometer alguns erros que podem atrasar seu sonho de ter sucesso no YouTube em 2020. Vamos comentar alguns desses erros.

1. Pensar que você merece sucesso imediato no YouTube

Até você provar seu valor primeiro ao seu público e depois ao YouTube, lamento dizer, mas você não tem direito a absolutamente nada. Lembre-se, esta é uma plataforma gratuita. Você pode falar com um público global e impactar suas vidas, mas precisa fazer isso primeiro antes de merecer qualquer recompensa.

Obviamente, seria fantástico se o YouTube fosse um campo de jogo completamente equilibrado e todos desfrutassem do sucesso que merecem, dependendo do conteúdo que criarem.

Mas haverá alguns criadores que têm um momento viral com conteúdo impactante, enquanto outros se esquivam de criar vídeos bons que por isso, nunca são vistos pelo público que merece vê-lo.

Infelizmente, esse é o YouTube, mas no momento em que você assume que deve receber isso ou aquilo ou que esse criador não deve obtê-lo, porque seu conteúdo é melhor então é momento de você pensar primeiro em quem deve estar em primeiro lugar: o público que você quer atingir e que sejam seus inscritos. Primeiro vem seu público, depois vem você.

2. Exclusão de conteúdo do seu canal

Existem duas razões principais para isso:

Primeiro, você está danificando as métricas do seu canal. Se você excluir um vídeo, ele removerá todas as visualizações e todo o tempo de exibição. O que é especialmente importante para as pessoas que trabalham com a monetização. Em segundo lugar, não fique constrangido com o conteúdo que você já possui em seu canal.

Se você olhar para canais que hoje são famosos poderá ver as centenas de vídeos terríveis que eles publicaram antes de serem um sucesso. Portanto, é maravilhoso e fascinante ver o progresso de um criador que saiu do nada e agora é uma mega estrela do YouTube.

3. Criar Conteúdo Fora do Tema do canal

É interessante porque geralmente é um sintoma de um canal que não tem foco ou tem muita autoindulgência. Você está criando uma série de vídeos para um público específico e decide fazer algo um pouco diferente. E esse vídeo um pouco diferente decola no seu canal. E você fica com a decisão de tentar ou não aproveitar esse vídeo bem-sucedido ou continuar a segmentar seu público-alvo com o qual estava tentando se envolver.

De repente, você deixa de se tornar um canal de viagens para um canal de beleza ou um canal financeiro para um canal de revisão de laptops. Não caia na tentação de mudar o assunto de seu canal, a menos que você esteja totalmente decidido a fazer essa mudança. Mas saiba que isso vai te trazer consequências que você pode não gostar depois.

4. Inconsistência (postar só quando “der na telha”)

Em última análise, tudo isso tem a ver com foco. Encontrar seu nicho, percorrer cinco centímetros de largura por um quilômetro de profundidade, sobre um tópico específico, e formar uma audiência através da consistência. O que naturalmente nos leva ao tópico da inconsistência.

Isso pode ocorrer em diversas formas e tamanhos.  Mas para muitos criadores, é a inconsistência da saída de vídeo. É por isso que é bom ter algum tipo de programação no fundo da sua mente. Seja fiel a ele religiosamente, postando no mesmo dia da semana, ao mesmo tempo ou informando ao público que publicará alguns vídeos por semana. 

Se você criar cinco vídeos em uma semana, isso é ótimo. Talvez publique quatro delas e guarde uma para mais tarde, quando precisar fazer uma pausa.

5. Confiar em apenas uma plataforma de vídeo

Se  você colocar “todos os seus ovos em uma cesta” de mídia social, basta o YouTube acionar um botão, como fizeram com o Adpocalypse, a COPPA e a FTC , para ver seu canal, seu público, seus negócios em potencial cair pelo chão.
O conteúdo publicado no YouTube é de propriedade do YouTube. Então se amanhã a plataforma deixar de existir, ou ainda se o YouTube decidir dar outro foco para os vídeos e eliminar canais fora desse foco, você corre o risco de perder todo seu trabalho.

É por isso que, a longo prazo, é importante diversificar suas habilidades, seu alcance, sua marca, por assim dizer. Sei que as pessoas odeiam essa palavra, sua presença na Internet não pode se restringir apenas a uma plataforma que, com efeito, tem total controle sobre o destino de seu sucesso.
Existem várias opções e não é má ideia você ter conteúdos em mais de uma delas.

6. Ignorar seus dados do YouTube Analytics

Ok, então você fez sua pesquisa, sabe qual é o seu título e gravou o vídeo. Você tem a melhor miniatura possível, o melhor título possível e publicou seu vídeo. Mas o YouTube ainda não está recomendando seus vídeos. O que está acontecendo?

Ok, agora você é detetive; você está analisando suas análises e procurando pistas. Um dos melhores lugares para procurar pistas está em algo chamado retenção . A retenção é basicamente um indicador informando em que momento as pessoas deixaram o seu vídeo. Eles estão assistindo a 20% do seu vídeo e saindo? Ou 50% do seu vídeo e depois sair? Esse é um sinal muito, muito importante para o YouTube, porque se refere à qualidade do conteúdo.

Pense nisso do ponto de vista do YouTube. Se você tem um vídeo com um título incrível e uma miniatura incrível, mas as pessoas estão assistindo 1% e saindo imediatamente, isso emite um sinal de que talvez seja um vídeo com isca de clique. Talvez você não esteja entregando o que prometeu em seu título e, portanto, o YouTube certamente não recomendará seu vídeo. No entanto, se o seu vídeo tiver uma taxa de retenção de 50, 60, 70%, o YouTube dirá: “Ok, bem, se as pessoas estiverem assistindo a 60 e 70%, vamos tentar com um público diferente. Vamos distribuí-lo cada vez mais , e mais.”

A primeira coisa a fazer é olhar para a retenção de meus vídeos individuais. Veja em que formato está o gráfico. As pessoas caem logo no começo? Isso me diz que eu não os capturei o suficiente, não os liguei o suficiente, não cumpri minha promessa desde o início. Não prendi a atenção deles. Eles vieram para o vídeo, viram o começo e disseram: “Isso é chato, não é pra mim. Vou sair fora daqui”. Então eles deixam o seu vídeo.

Se você observar que as pessoas ficam na parte inicial do vídeo, mas estão saindo no meio, descubra por que elas deixaram no meio, nesse ponto. De fato, no gráfico de retenção, você pode realmente clicar nesses vários pontos e reproduzir o vídeo ao mesmo tempo. Talvez você tenha se repetido de novo e de novo e de novo. Talvez você tenha falado sobre um tópico por muito tempo. Talvez tenha sido algo que saiu do tópico e você tenha perdido parte do seu público. Aprenda com esses erros para não repeti-los no próximo vídeo e no próximo vídeo.

A retenção é, na verdade, dividida em três: sua introdução, sua parte inicial, seu meio, que é a carne e os ossos do seu vídeo, seu conteúdo e o outro, que é o bit final. Melhore em cada seção. Especialmente o começo, para garantir que as pessoas não saiam imediatamente. Trabalhe na sua introdução, talvez a recorte, diminua. Talvez você deva diminuir ou até eliminar aquelas belas animações da introdução do canal – as pessoas não se importam com esse tipo de coisa, apenas querem a informação do vídeo. Se você achar que é isso que as pessoas estão deixando, se livre disso, pare com isso. Então comece a entrar no assunto de uma vez. A retenção é um recurso super, super poderoso e muito subestimado, ao qual precisamos prestar muito mais atenção.

Se seu sonho é ser um grande criador de conteúdo, podemos ajudar. Clique AQUI para saber como trabalhamos.

Influenciadores Digitais devem levantar alguma bandeira?

Influenciadores digitais são, por definição, pessoas que influenciam um público. Em tempos de fake news, guerra entre lados ideológicos e desinformação, será que é válido que um influenciador digital se pronuncie, tome um lado, levante uma bandeira?

É verdade que alguns influenciadores digitais já levantam “uma bandeira” porque seus canais já tem uma temática sobre algum assunto ideológico ou sobre alguma causa.
Mas, de vez em quando vemos influenciadores digitais que são “gamers” ou de humor e até de culinária falando de causas sociais. Quais os prós e contras disso?

Quando levantar uma bandeira pode ser positivo

Sempre que falamos bem ou mal de uma ideia uma linha de pensamento, uma causa ou modo de vida, estamos “nichando” nosso público. Isso faz com que talvez em pouco tempo, iremos atrair a atenção de pessoas que talvez não conheçam nosso trabalho, mas por se interessarem naquele tema que agora estamos defendendo, irão começar a nos acompanhar também.

Além disso, se esse público for grande, isso pode nos transformar em “especialistas” no tema que agora divulgamos. Isso pode inclusive, atrair a atenção de anunciantes que simpatizam com a ideia que estamos defendendo e podem vir projetos novos.

Mas lógico que existe um lado oposto nessa “moeda”.

O lado ruim de se levantar uma bandeira

O lado ruim é que sempre que você se pronunciar a favor ou contra uma ideia ou uma causa, ao mesmo tempo em que você vai atrair um público novo para sua audiência, você também vai espantar quem já é seu seguidor, mas não concorda com seu posicionamento. E dependendo do tema, você pode perder vários seguidores nesse processo.
Se posicionar a favor ou contra uma causa só é interessante, do ponto de vista estratégico se você perceber que existe um público muito grande que pode concordar com seu posicionamento. Então, no fim das contas, você vai perder seguidores, mas pode ganhar muitos mais.
Porém obviamente que o risco do inveso acontecer é grande: seu canal ou perfil social pode fica vazio em pouco tempo.

Além disso, ao mesmo tempo que alguns anunciantes podem passar a se interessar por seu posicionamento, pode ser que os anunciantes que você tem agora não queiram mais anunciar com você. Pense nisso também.

Mas além do lado estratégico existe outro lado.

Influenciador digital influencia onde?

Essa é uma boa pergunta. Pode ser que você tenha milhares ou até milhões de pessoas que acompanham seus passos pela internet. Elas já confiam no que você diz e são ansiosas para sempre terem notícias suas. Até onde você pode ou você quer ser uma influencia na vida delas?

Você acha que suas ideias podem mudar o pensamento das pessoas? Acha que se você defender uma causa, seu papel como influenciador será mais completo?
Ou você prefere influenciar apenas dentro do tema do seu canal?

Na verdade, não existem respostas certas ou erradas à essas perguntas. Cabe a você decidir o que vai fazer com seu poder de influência. Mas uma coisa que você deve saber é que apesar de você não ser o He-man, você tem a força! Resta saber onde você quer aplicar essa força.
E saber que ela vai te gerar consequências, boas ou ruins.

Se você quer que a gente cuide de sua carreira como influenciador, entre em contato! Clique aqui!

Youtuber: quanto vale seu canal?

Iguatu – CE. “Não permita que pessoas ponham preço no seu serviço”. Você já ouviu isso antes? Ninguém gosta de ouvir que seu preço é caro, e pensar que você talvez não esteja cobrando corretamente, quando por exemplo, seu canal irá fazer uma divulgação de algum produto, é algo que preocupa a muitos.

Quanto vale um canal do YouTube?

Já é quase um clichê dizer que “valor é diferente de preço” de tão repetido que é essa declaração. Mas infelizmente nós precisamos ouvir e ler isso muitas vezes, porque geralmente confundimos uma coisa com a outra. Então vamos lá:

Valor é o benefício percebido pelo usuário de certo produto ou serviço. Ele é a soma de tudo o que um cliente recebe (e percebe que recebeu) depois de adquirir algo

Preço é o que ele tem que pagar, financeiramente ou não pelo serviço adquirido. A ideia de preço está associada à ideia de “dor”, pois a pessoa vê preço como algo que se perdeu.

Como você vê, “valor” está associado a algo positivo enquanto “preço” a algo negativo. O grande segredo para se agradar a um cliente então, é fazer com que ele sinta que o valor do seu produto ou serviço é alto, mais alto que o preço. Ele precisa sentir que o preço que ele paga é menor que os benefícios que ele recebe por pagar. Se você conseguir equilibrar essa equação assim, para qualquer coisa que você venda, então pode esperar muitos clientes felizes.

Então quando falamos em “quanto vale meu canal”, nos referimos aqui não ao preço que você cobra para fazer uma campanha, mas sim ao valor ou ao benefício que sente o anunciante que te contratou. Assim como tudo, um canal no YouTube vale todo o benefício que ele pode gerar para um cliente (seja ele um anunciante ou até mesmo um inscrito no seu canal).

Como medir o valor do seu canal

Ah isso não é muito fácil. Em primeiro lugar, você precisa deixar de lado o sentimento que você tem para com seu canal. Obviamente, seu canal vale muito para você, afinal se supõe que você gosta de fazer seus vídeos. Mas, para avaliar seu canal, pense como um anunciante, um inscrito, alguém que de certa forma, “consome” o que você produz.

Pensando como um inscrito: os vídeos do canal são realmente bons? Estão bem preparados? O conteúdo novo vem pelo menos toda semana? O apresentador do canal se importa com seu público, respondendo a comentários e perguntas?

Pensando como um anunciante: esse canal vai me ajudar a vender meu produto? Ele tem boa reputação? Meu produto vai aparecer para pessoas suficientes para eu ter vendas pela divulgação? O preço que estão me cobrando é justo, ou seja, em relação ao que vou pagar, vou ter um lucro que considero bom?

Se você como YouTuber conseguir pensar do ponto de vista tanto de inscritos como de anunciantes, você não terá tanta dificultade para saber qual é o valor do seu canal.

Ok, mas quanto devo cobrar?

Nesse caso você precisa saber as contas que um anunciante faz, para saber o que mais ou menos ele pensa antes de te contratar. Vamos lá:

Retorno sobre o investimento: essa métrica é a chave, praticamente, para que um anunciante decida em qual canal ele vai anunciar. Vamos fazer uma conta rápida.

Você fez um video anunciando um produto que custa R$100,00. Nesse vídeo do seu canal você teve 10.000 visualizações e você mostrou um produto que tem tudo a ver com as pessoas que assistem seus vídeos. Dos 10.000 que viram o video, quantos vão clicar no link que você indicou, para ver o produto? Isso varia bastante, mas pensemos em um número realista, como 1%, ou seja 100 pessoas.

Dessas 100 pessoas, quantas irão realmente comprar o produto? Essa é a parte mais crucial. Se você conseguir que 10% delas (pode variar entre 1% a 10%) comprem, ou seja 10 pessoas, então seu anunciante terá R$1.000,00 em vendas, o que não é o lucro e sim o faturamento bruto, mas aqui para não aprofundar muito no assunto, pensemos nos mil reais de venda. Quanto esse anunciante pagou para você?

Vamos supor que ele pagou R$500,00. Vamos usar uma fórmula que ajuda aos empresários a medir a eficiência de um investimento, principalmente de publicidade, a fórmula ROI.


Aplicando na fórmula ROI = (Retorno do Investimento – Custo do Investimento) / Custo do Investimento, temos: (1.000-500)/500=1, ROI=1. Isso significa que, na prática, para cada real investido, o anunciante ganhou outro. Embora você possa pensar que esse número é bom, na verdade não é muito, pois existem custos que o anunciante tem como impostos e fretes, dependendo do produto, o que poderia desanimar um anunciante de fazer uma campanha com seu canal, se o resultado fosse esse.

Geralmente as empresas procuram conseguir uma taxa de ROI entre 3 a 5. E no exemplo que foi dado para que isso fosse atingido, o seu preço teria que ter sido entre R$170,00 a R$300,00. Em outras palavras, levando em conta as vendas que seu video gerou, para que seu anunciante ficasse feliz, e inclusive quisesse investir em seu canal novamente, o preço ideal que ele se sentiria confortável em pagar é de R$170,00 a R$300,00

E essa conta vale para qualquer “tamanho” de canal. Ou seja, mesmo que seu canal tenha o sonhado número de 1 milhão de inscritos, se a média de visualizações for cerca de 10 mil e imaginando um cenário (bem realista) como fizemos, o preço adequado para se cobrar seria o que comentamos acima.

Vamos fazer outras simulações, usando o mesmo preço de produto já mencionado e o mesmo volume de vendas (1% dos inscritos vendo o produto no site do anunciante e 10% deles comprando o produto).

Canal tem video com média de 100.000 visualizações que cobra R$1.000,00 por um video patrocinado, 10% dos inscritos (10.000) vão até o site do anunciante e 1% compra (100 vendas), o produto custando R$100,00: fórmula ROI = (Retorno do Investimento – Custo do Investimento) / Custo do Investimento ou (10.000-1000)/1000= ROI 9 Nesse caso o que temos é um retorno sobre investimento alto, pois a cada real investido, o anunciante ganha 9.

Um canal que consiga esses números, independente de quantos inscritos tenha, pode cobrar tranquilamente entre R$1.000,00 e R$1.500,00 por um vídeo patrocinado.

Lógico, para que isso aconteça, os números precisam ser exatamente os que comentamos. Dependendo do produto anunciando, a margem de pessoas que vão ir ver o anúncio pode ser muito menor ou muito maior. O grande “jogo de xadrez” é saber anunciar o produto certo no canal certo.

Isso também pode indicar que um canal, para ser de interesse para um anunciante, deveria pensar em contar com uma média de pelo menos 10 mil visualizações em cada vídeo. Claro, se seu canal for “muito persuasivo” e com menos visualizações você conseguir vendas, excelente. Mas não é muito fácil mostrar isso para um anunciante, que em geral não vai conversar com você antes de primeiro analisar minimamente seu canal quanto a visualizações e interação do público.

Porque alguns YouTubers cobram tanto?

Deveria ser pelo ROI que eles entregam. Dizemos “deveriam” porque desde de que o YouTube se popularizou e transformou os criadores de conteúdo em verdadeiras estrelas, o fator “estrela” muitas vezes prevalece ao fator “retorno sobre investimento”

Alguns YouTubers chegam a cobrar entre R$15.000,00 a R$60.000,00 por um video. E um detalhe: o fator que para eles é determinante é o número de inscritos, e não a quantidade de visualizações que seu canal tem atualmente.

Para que você possa fazer uma análise, existe uma quantidade enorme de canais com 1 milhão de inscritos. Mas infelizmente para eles, muitos já não têm o público de antes. Não vamos citar nomes, mas existem vários que com 1 milhão de inscritos, tem a média de 10 mil visualizações (1% do total de inscritos). Mesmo assim, pode ser que o dono do canal queira continuar cobrando igual ao tempo em que ele conseguia centenas de milhares de visualizações.

Ao mesmo tempo, existem canais com 100.000 inscritos que conseguem os mesmos 10% de visualizações ou seja, 10.000. Um aproveitamento muito melhor, não acha?

Isso mostra que o valor monentário de um canal, do ponto de vista de um anunciante deve ser medido pelos resultados potenciais que ele pode trazer por se anunciar nele.

Isso mostra um conceito equivocado que muitos YouTubers têm sobre seus canais: de que eles podem “valer” mais do que realmente valem. Por outro lado, outros YouTubers podem estar cobrando um valor abaixo do que deveriam.

Esperamos que as informações que passamos sejam úteis para te orientar sobre quanto você deve cobrar para anunciar em seu canal, e você que é anunciante a ver o que realmente deve ser analisado em um canal.

Se você quer ajuda com seu canal ou se você é anunciante, entre em contato com a gente, podemos te ajudar. CLIQUE AQUI.

Como ser YouTuber?

Como ser um YouTuber de sucesso? Essa é a pergunta que cada vez mais pessoas fazem.

Primeiro vamos definir o que é um YouTuber.

O QUE FAZ UM YOUTUBER AFINAL?

Bem, estamos falando de um termo de origem inglesa. Geralmente palavras que utilizam um substantivo e o alteram com a terminação “er” como que transformam esse substantivo numa profissão, uma ocupação, seja ela paga ou não. Então se “YouTube” é o substantivo, “Youtuber” se refere a quem utiliza o YouTube como uma ocupação, mesmo que não necessariamente a pessoa ganhe dinheiro com isso.

Então, se você produz conteúdo para o YouTube de maneira frequente, parabéns, você pode corretamente se considerar um YouTuber! Lembre-se, um YouTuber precisa produzir conteúdo constantemente, então ter um canal e apenas “quando dá” colocar vídeos novos lá não faz de você um YouTuber. Pense nisso, ok?

ORGANIZE SUAS IDEIAS

Parece óbvio mas não é. Quando pensar em criar um canal, pense bem sobre o que irá ser seu canal. Antes de simplesmente pensar num nome qualquer (veja os nomes dos canais no YouTube e veja como o pessoal é “criativo”), pense em pelo menos 3 temas nos quais você é bom ou gosta muito de falar. Se você não consegue pensar em nenhum tema em especial, o ideal é esperar até ter isso bem definido, pois não ter ideia sobre o que falar é indicativo de que você não está pronto para começar.

Das 3 ideias, veja as que mais tenham a ver com você: qual dos assuntos você domina mais? Qual você já teve boas experiências? E principalmente, avalie qual dos temas seria mais fácil para atrair público, pois alguns temas são mais populares que outros. Tente achar um equilíbrio entre algo popular mas que você domine.

FAÇA O PLANEJAMENTO DO SEU CANAL

E com planejamento queremos dizer de verdade, à sério. Com poucas exceções, a maioria dos canais têm como fazer um planejamento de tudo o que vai acontecer no canal, desde roteiros, temas e até mesmo o que vai postar nas redes sociais relacionado ao seu canal.

Grandes YouTubers em geral costumam ter uma rotina de planejamento bem rigorosa, inclusive muitos criam planilhas no Excel para controlar os temas que serão abordados e como serão abordados. Aliás essa é uma ótima ideia para você se organizar. Crie uma planilha no Excel e em cada aba nomeie com o nome do mês corrente. Escreva os temas que quer produzir e em outra coluna, a data da produção. Em outra coluna, inclua detalhes que você quer colocar no vídeo como fonte de vídeos, imagens, áudios e mais.

Mas todo o planejamento será inútil se você não fizer o abaixo:

TENHA DISCIPLINA

Depois de tudo planejado, é hora de agir. E essa ação precisa ser disciplinada, senão o que vai acontecer é você na primeira semana de canal se dedicar, e na segunda já perder o ritmo e além de já não planejar nada, ainda vai começar a postar vídeo apenas “quando der”. Se essa queda acontecer, não reclame depois de que seu canal não cresce e você não sabe o porquê.

TENHA FREQUENCIA

Isso tem tudo a ver com disciplina também. É importante que você dedique um tempo, se possível diariamente, para cuidar do seu canal, mesmo que não seja o dia marcado para postar vídeo novo.

Separe um dia (todo dia é melhor) para divulgar seus vídeos, falar com inscritos, fazer postagens nas redes sociais, enfim, trabalhar sua marca como YouTuber. Isso não pode falhar, precisa ser metódico e constante. Com o tempo você consegue pegar o hábito e aí fica tudo mais fácil.

FAÇA CONTEÚDO QUE PRESTE!

Sem preconceitos, mas capriche no que vai apresentar no seu canal. Não adianta gravar “qualquer coisa” e esperar que isso vai fazer sucesso. Se seu conteúdo não for no mínimo, interessante para um bom número de pessoas, você não vai chegar onde quer. Por isso é tão importante pensar bem no que vai postar. Pra isso, pesquise sobre os assuntos mais falados (dentro do tema do seu canal, lógico) e produza algo em cima disso.

Lembre-se que seu canal precisa ter um foco. Se é de games, você precisa falar de games, se é vlogs, vlogs e assim por diante. Fazer de tudo um pouco é péssimo, principalmente no começo do canal, onde sua audiência está em formação.

Outra coisa: se por algum motivo você não gostou do vídeo, não o poste! Grave outro vídeo e tantos quantos forem necessários, até você satisfeito com o resultado. Se você que é o dono do canal não ficar satisfeito, quanto mais sua audiência. Você precisa ser o crítico mais feroz do conteúdo que você produz.

NÃO DESISTA!

Com certeza, esse é o conselho mais importante. Se você for persistente no que fizer e se dedicar da maneira certa, pode ter certeza que os bons resultados virão.

Se você procura por uma assessoria profissional para seu canal, CLIQUE AQUI

 

 

 

YouTube muda novamente regras do Adsense: nossa opinião

Recentemente, a maior plataforma de vídeos do planeta anunciou novas regras (de novo) para que os criadores de conteúdo pudessem ganhar algo com anúncios internos que o YouTube pode inserir nos vídeos, chamado de Adsense (o sistema de monetização do Google).

 

Antes de mais nada, se você quer ler na íntegra sobre a nova posição do Youtube, você pode ler (em inglês) neste link.  Vamos colocar aqui, traduzido, um trecho do artigo:

A partir de hoje, estamos alterando o requisito de elegibilidade para a monetização para 4.000 horas de horário de atendimento nos últimos 12 meses e 1.000 assinantes. Chegamos a esses novos limiares após análises detalhadas e conversas com criadores como você. Eles nos permitirão melhorar significativamente a nossa capacidade de identificar criadores que contribuam positivamente para a comunidade e ajudem a gerar mais receita de publicidade para eles (e longe de atores ruins). Esses padrões mais elevados também nos ajudarão a evitar que os vídeos potencialmente inapropriados sejam monetizados, o que pode afetar as receitas para todos.

TÁ, MAS MEU CANAL VAI SOFRER ALGUMA COISA?

Depende.  Vejamos como na prática isso vai afetar a milhares de canais:

Canais novos: desde abril de 2017, para que um canal pudesse começar a juntar dinheiro do Adsense em seus vídeos, ele teria que juntar primeiro 10 mil visualizações totais. Algo que pra quem começa parece muito, mas é totalmente fácil de se atingir, se você posta vídeos regularmente e recebe visitas. Mas como se pode ler no artigo do YouTube, eles viram que era necessário um rigor maior para “melhorar o conteúdo”.

Agora, é necessário pelo menos duas coisas: ter mil inscritos no mínimo e também atingir 4 mil horas de visualização durante um ano (o ano mais recente). Para se ter ideia, é como ter 20 mil minutos de vídeo assistidos por mês (240 mil minutos por ano), apenas para facilitar suas contas, já que o YouTube em sua plataforma conta em minutos e não em horas.

Canais inativos: por motivos óbvios, canais que não tem frequência de postagem ou que ficaram abandonados, sem conteúdo, não serão monetizados, mesmo que já tenham histórico de visualizações e milhões de inscritos. Lembre-se que é necessário uma média de 240 mil minutos totais NO ÚLTIMO ANO. Então mesmo que seu canal tiver milhões de minutos assistidos, se nos últimos 365 dias a média caiu, seu canal já não se enquadra na nova política do YouTube.

ESSA TÁTICA REALMENTE IRÁ ATINGIR QUEM FAZ CONTEÚDO RUIM?

Sim e não. Se nos argumentos do YouTube está o de “fazer uma comunidade melhor” e essas coisas, precisamos entender o que, para o YouTube, é “conteúdo ruim”. Existem centenas de canais com enorme audiência que produzem conteúdo idiotizado (ou até nenhum conteúdo) e recebem muitos milhares de dólares mensalmente. A culpa é claro, vem principalmente de quem vê esse tipo de conteúdo e diz muito sobre o público em geral.

Spammers serão mesmo detidos com essa nova política? Veja só, atualmente um canal “pequeno” com conteúdo spammer (cheio de propagandas ou informação falsa ou plagiada no entender da plataforma) já não ganha em Adsense o suficiente para justificar a manutenção do canal. Tornar a regra mais dura para os canais “pequenos” não irá afastar quem ganha dinheiro com conteúdo plagiado por exemplo, pois esses canais já tem audiência e visualizações suficientes para se enquadrarem nas novas políticas. Pra eles, essa regra nova não muda absolutamente nada.

Quem faz conteúdo lixo irá ser detido com essa nova política? Quem estiver começando e fizer conteúdo “lixo” (idiotizado) pode ser. Mas quem já ganha com Adsense por já ter um canal bem estabelecido não. Esses canais canais poderão estar “livres e soltos” criando vídeos ruins sem nenhum problema.

Acreditamos que essa nova política em si, é bem intencionada, porém servirá unicamente para desanimar quem está começando. É como se o YouTube pensasse assim:

“já temos muitos canais sendo feitos todos os dias, com tantos canais no ar cada vez mais precisamos de servidores maiores e melhores. Melhor dar um jeito de diminuir a quantidade de canais criados por ano e assim “tirar o nosso da reta.” “

A estrutura para manter o YouTube vivo é cada vez mais cara, afinal são milhões de vídeos acumulados todo dia. Se a plataforma tivesse mais canais rentáveis e menos canais “amadores” isso significaria não só uma economia mas um lucro ainda mais grande .

Criar um canal “apenas por diversão” não é interessante para o Youtube. Fazer aquele vídeo vergonhoso de churrasco em família é divertido, mas não mais para o YouTube. E quem sabe se a tendência seja cada vez mais “elitizar” a plataforma, para canais seletos.

Quem sabe um nome mais apropriado para plataforma atualmente seja “Someonetube” (alguém no tubo) em lugar de YouTube (você no tubo).

AINDA DÁ PRA GANHAR DINHEIRO NO YOUTUBE?

Sim! A palavra chave agora é PERSISTÊNCIA. Não se deve desistir, se seu sonho é se tornar um influenciador digital. Se você acredita no seu conteúdo e gosta dele, então não deve se preocupar com o dinheiro do Adsense e sim principalmente com sua audiência, com que vê seus vídeos.

Com o tempo e dedicação seu canal poderá ser analisado para voltar a receber do YouTube. Além do Adsense existem outras formas de ganhar dinheiro com seu canal, mas isso falaremos em outro artigo.

Quer ajuda para seu canal? CLIQUE AQUI.